-21.45307-59.67773Map mag.png

América do Sul

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A América do Sul faz parte das Américas e é um continente de superlativos.

A maior floresta tropical do mundo (Amazonas), a maior cordilheira fora da Ásia (Andes), ilhas remotas (Ilhas Galápagos, Ilha de Páscoa e Fernando de Noronha), praias paradisíacas (como no nordeste do Brasil), desertos extensos (Atacama), paisagens geladas (Patagônia e Terra do Fogo), a cachoeira mais alta do mundo, entre várias outras atrações naturais de tirar o fôlego.

Os seres humanos também deixaram sua marca no continente: das ruínas antigas (Machu Picchu e outras cidades incas; os Moai na Ilha de Páscoa) e as pinturas rupestres mais antigas das Américas (na Serra da Capivara) às metrópoles de classe mundial (São Paulo, Buenos Aires, Bogotá, Caracas, Santiago, Lima e Rio de Janeiro), notável arquitetura moderna e europeia. A forte herança africana (em Salvador, Rio e Montevidéu), a genuína cultura indígena (Belém, Manaus, Cuzco, La Paz) e a influência oriental (a enorme comunidade japonesa de São Paulo) se misturam às impressões digitais dos colonizadores ibéricos. Algumas das maiores festas, como o Carnaval do Rio, o Círio de Nazaré de Belém e o Campeonato Mundial de Tango na Argentina também fazem parte desse continente diverso.

Países[editar]

América CentralIlhas MalvinasBrasilParaguaiBolíviaUruguaiArgentinaChileFrench GuianaSurinameGuianaPeruEcuadorColombiaVenezuelaMap of South America.png
Argentina
Conhecida por ser uma "nação europeia na América do Sul", oferece uma vida cultural dinâmica e rica em suas cidades e savanas, montanhas e parques glaciares, escassamente povoados no sul.
Bolívia
Este país sem litoral é indiscutivelmente o único na América Latina com uma maioria étnica de povos indígenas e uma cultura que é muito afetada pela alta altitude dos Andes.
Brasil
O maior país em termos de área e população, e também o único de língua portuguesa na América do Sul. Oferece uma grande variedade de atrações, desde a Floresta Amazônica a grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro.
Chile
Uma longa e fina área de terra no lado ocidental dos Andes que se destaca em qualquer mapa. Este país é um dos países mais ricos da América Latina, e contém grande parte do Atacama, um dos desertos mais secos do mundo.
Colômbia
Após décadas de violência, o país é agora um destino muito mais seguro, oferecendo selvas, vulcões e dois litorais com uma forte sensação caribenha.
Equador
Atravessado pela Linha do Equador, este pequeno país oferece uma incrível diversidade em suas quatro regiões: a Floresta Amazônica, os Andes, a Costa do Pacífico e as Ilhas Galápagos.
Ilhas Malvinas (Reino Unido)
Embora a maioria pense apenas na guerra de 1982 e na disputa em curso com a Argentina, essa parte do Reino Unido no Atlântico Sul tem muito a oferecer, incluindo a vida selvagem da Antártida e vistas de longo alcance sobre paisagens remotas.
Guiana Francesa (França)
A parte francesa da América do Sul também faz parte da União Europeia e foi a plataforma de lançamento do principal espaço-porto da Europa.
Guiana
O único país de língua inglesa na América do Sul, com montanhas, cachoeiras e selva.
Paraguai
Possivelmente o país menos visitado do continente. Aqui é possível ver missões jesuítas, alguns rios importantes e a impressionante barragem de Itaipu, além de ouvir a língua guarani nativa.
Peru
O coração histórico dos Incas, este país ainda oferece muitas heranças como o Machu Picchu (o lugar mais visitado) e as linhas de Nazca, feitas por uma cultura anterior para um propósito ainda não totalmente claro.
Suriname
Parte da Holanda até 1975, este país é uma mistura única de Caribe, Ásia, Holanda e América Latina.
Venezuela
Não pense apenas no petróleo e no socialismo, pois a Venezuela também oferece selvas, cachoeiras, grandes cidades como Maracaibo e Caracas, e o Lago Maracaibo, um dos maiores do mundo.


Cidades[editar]

  • 1 Brasília - Capital do Brasil. O Distrito federal inaugurado em 21 de abril de 1960 no coração do Brasil um presente para todos brasileiros promoverem a integração nacional.
  • 2 Bogotá – Capital da Colômbia.
  • 3 Buenos Aires - Considerada a Paris da América do Sul, Buenos Aires conserva o charme e o requinte da Belle Epoque, detentora de um dos primeiros sistemas de metrô do mundo, a cidade conserva ainda grande parte de suas imponentes e suntuosas construções clássicas e ruas charmosas oriundas do período de maior prestígio internacional argentino. Considerada a "Capital do Tango", terra do famoso "Assado Argentino" e conhecida por sua grande vida cultural e boêmia a "capital portenha" reserva inúmeros encantos aos seus visitantes.
  • 4 Caracas – Capital da Venezuela.
  • 5 La Paz – Capital da Bolívia.
  • 6 Lima - Capital do Peru.
  • 7 Montevidéu – Capital do Uruguai.
  • 8 Rio de Janeiro - Simboliza o Brasil ao redor do mundo, locais como a Estátua do Cristo Redentor no Morro do Corcovado, as praias de Copacabana e de Ipanema, o Estádio do Maracanã, o Morro do Pão de Açúcar com seu famoso bondinho e a vista da Baía da Guanabara são os locais mais representativos da cidade.
  • 9 Santiago – Capital do Chile.
  • 10 São Paulo – Maior cidade do Brasil e da América do Sul.

Outros destinos[editar]

Machu Picchu, no Peru.

Entenda[editar]

O continente oferece ao viajante um repertório completo de atrações naturais, como a maior floresta tropical do mundo (Amazônia), o maior rio do mundo (Amazonas), a segunda maior cadeia de montanhas (Andes), ilhas oceânicas isoladas (Galápagos, Ilha de Páscoa e Fernando de Noronha), praias paradisíacas (litoral do Nordeste brasileiro), os lençóis Maranhenses com suas lagoas e dunas que encantam o visitante , desertos (Atacama), paisagens glaciais (Patagônia e Terra do Fogo), a mais alta cachoeira do mundo (Salto Angel, com 979 m de queda, na Venezuela) e as quedas com o maior volume de água (Cataratas do Iguaçu), dentre muitos outros monumentos naturais de tirar o fôlego.

Além disso, a mão do homem deixou preciosidades no continente: ruínas de civilizações antigas (Machu Picchu e outras cidades construídas pelos Incas, Moais da Ilha de Páscoa), metrópoles de influência mundial (São Paulo, Buenos Aires e Rio de Janeiro), obras arquitetônicas geniais (Brasília, Ouro Preto, Medellín), as pinturas rupestres mais antigas do continente americano (Serra da Capivara), manifestações da cultura negra (Salvador, Cartagena e Rio de Janeiro), indígena (Belém, Manaus, Cuzco, Lima, La Paz) e oriental (São Paulo, Lima), misturadas à matriz ibérica dos colonizadores, um dos monumentos mais conhecidos do planeta (Cristo Redentor, no Rio), a cidade mais meridional do mundo (Ushuaia, na Argentina) e algumas das maiores festas populares do globo (Carnaval de Salvador, Barranquilla e do Rio de Janeiro, Círio de Nazaré em Belém. O centro histórico nas cidades de (São Luís e Alcântara).

Fale[editar]

O espanhol é o idioma oficial em todos os países, exceto Brasil, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. O dialeto varia entre os países, embora todos sejam visivelmente diferentes do espanhol encontrado na Espanha ou do dialeto mexicano ensinado a muitos estudantes no sudoeste dos Estados Unidos.

O português é a língua oficial do Brasil, que compreende cerca de metade da população e área territorial do continente. Observe que o dialeto é muito diferente do português falado em Portugal. O espanhol e o português estão intimamente relacionados e conhecer um irá fornecer-lhe algumas habilidades básicas de comunicação com o outro.

Na área de fronteira entre Uruguai e o Brasil algumas pessoas são fluentes em uma mistura de português e espanhol, conhecida como portuñol, e é certamente viável para uma comunicação grosseira se você não fala a outra língua. Mas muitos termos homônimos possuem significados diferentes.

As expressões e gírias podem mudar drasticamente de um país para outro ou mesmo de uma cidade para outra. Como palavras que têm um significado totalmente inócuo em um lugar podem ter um significado vulgar em outro, é bom fazer algumas pesquisas antes de usar palavras como "coger" (que significa "pegar" na Espanha e uma referência vulgar a relação sexual na maior parte da América espanhola) ou "bicha" (que significa "uma fila de pessoas esperando" em Portugal, mas uma forma muito depreciativa de se referir a um homem gay no Brasil). No contexto errado é possível ofender as pessoas ou causar risos infantis.

Também existem muitos povos indígenas que vivem na América do Sul que falam suas próprias línguas. As línguas nativas americanas mais notáveis ​​na América do Sul são o quíchua (Bolívia e Peru) e o guarani (80% da população do Paraguai). Nas Ilhas Malvinas e na Guiana, o inglês é a língua oficial, enquanto no Suriname e na Guiana Francesa as línguas oficiais são o holandês e o francês, respectivamente.

Com exceção do Suriname, a proficiência em inglês no segundo idioma tende a ser baixa em todo o continente. Dito isso, muitas pessoas que trabalham na indústria do turismo, bem como empresários que lidam regularmente com clientes estrangeiros, falam inglês com um nível de conversação.

Chegar[editar]

De avião[editar]

Chegar à América do Sul ficou muito mais fácil devido ao grande aumento nos voos para o continente pelas principais companhias aéreas globais. Embora alguns lugares específicos ainda sejam bastante difíceis de alcançar (por exemplo Paraguai, Suriname, norte do Brasil), os lugares que você provavelmente deseja ir, como Buenos Aires e o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão, estão mais acessíveis do que nunca.

  • Da África: as únicas opções (confiáveis) que vale a pena considerar seriam o serviço da South African Airways ligando Joanesburgo com Guarulhos–São Paulo; ou o serviço da Ethiopian Airlines de Addis Ababa para o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão) e Guarulhos. Perceba que a demanda entre a África e a América do Sul é muito limitada, então mesmo os serviços mencionados acima não são frequentes e as tarifas podem ser bastante altas.
  • Da Ásia: esteja preparado para uma viagem muito longa, especialmente se o seu itinerário incluir voos de conexão. Guarulhos é o único destino com voos do Extremo Oriente. A rota da Korean Air entre Seul e Guarulhos envolve uma escala nos Estados Unidos (LAX), portanto, exigirá que todos os passageiros passem pela alfândega e imigração dos Estados Unidos. A Air China voa para São Paulo de Pequim. Do Oriente Médio, existem mais algumas alternativas; Emirates (Dubai), Etihad (Abu Dhabi) e Qatar Airways (Doha) voam sem escalas para São Paulo. Destes, a Qatar Airways segue para Buenos Aires e a Emirates tem outra linha para a América do Sul — via Galeão para Buenos Aires.
  • Da Oceania: existe um número surpreendente de opções. LATAM Airlines atende Auckland e Sydney a partir de Santiago. A Qantas introduziu um serviço sem escalas entre Sydney e Santiago em março de 2012, e a Air New Zealand voa direto de Auckland para Buenos Aires. A LATAM também opera um dos voos mais obscuros do mundo — um serviço que liga Santiago e Ilha de Páscoa. De Perth, a Emirates oferece voos acessíveis para Buenos Aires com escala em Dubai, com tempo total de vôo de cerca de 30 horas.
  • Da Europa: Os laços políticos e sociais entre ex-colônias e suas ex-metrópoles permanecem fortes. A transportadora portuguesa TAP Airlines é de longe a principal transportadora estrangeira para o Brasil, servindo uma série de destinos no norte e leste do país, bem como a capital brasileira Brasília. A transportadora espanhola Iberia voa para a maioria das ex-colônias espanholas, embora nem a Bolívia nem o Paraguai sejam servidos. KLM voa para o Suriname e a Air France para Guiana Francesa. Claro, esses serviços não são exclusivos — a KLM também voa para Lima, Air France para o Rio de Janeiro, etc. Outras companhias aéreas europeias importantes, como British Airways, Swiss Airlines e Alitalia também atendem aos principais locais da América do Sul a partir de suas respectivas sedes, enquanto as companhias aéreas sul-americanas também operam em várias das principais cidades europeias. A Air Europa também voa para muitas cidades da América do Sul a partir de Madri.
  • Da América do Norte: historicamente, o aeroporto de Miami tem sido a principal porta de entrada dos EUA para a América do Sul, mas diversos outros são populares. Companhias aéreas estadunidenses de desconto, como Spirit Airlines e JetBlue, agora atendem à Colômbia, Brasil e Peru. Operadoras latino-americanas como Avianca, LATAM e Copa Airlines oferecem bons serviços na região.

De carro[editar]

Embora pareça que há uma conexão terrestre, na verdade não há estradas ligando o Panamá à Colômbia e, portanto, não é possível dirigir da América Central. Chile, Argentina, Uruguai, Peru e Brasil têm boas estradas. A condução noturna é geralmente perigosa neste continente.

De trem[editar]

Não há ferrovias entre o Panamá e a Colômbia, então você não pode entrar no continente de trem. Na América do Sul, os trens nem sempre são a melhor opção, ou mesmo uma opção, já que a maioria das linhas foi abandonada na maior parte das últimas décadas. No entanto, algumas linhas oferecem a oportunidade de ver paisagens incríveis.

De barco[editar]

Existem algumas balsas que ligam o Panamá à Colômbia, e também são a única maneira de ir da América do Sul para a América Central. Alguns navios de cruzeiro cobrem parte das cidades do Caribe.

Circule[editar]

A União das Nações Sul-Americanas dá acesso sem visto e uma união aduaneira entre todos os países da América do Sul. Com exceção do Suriname, os visitantes de países industrializados geralmente não precisam de visto em nenhum lugar da América do Sul. Cidadãos estadunidenses, canadenses, australianos e neozelandeses precisam de um visto na chegada ao Paraguai como um "olho por olho" nas taxas que os cidadãos paraguaios pagam pelos vistos desses países. A vacinação contra a febre amarela pode ser necessária para entrar em alguns países.

De avião[editar]

Para distâncias maiores, considere voar. Na América do Sul, os voos internacionais costumam ser de capital a capital (as exceções são São Paulo e Rio de Janeiro com voos para todo o continente). Algumas companhias aéreas, como a Aerolineas Argentinas, têm descontos notáveis ​​em conexões locais. A América do Sul até agora não viu a explosão de companhias aéreas de baixo custo que aconteceram na Europa, Ásia e até mesmo na África em certa medida e — principalmente por razões políticas — os voos internacionais podem ser surpreendentemente caros. Um voo dentro do continente pode ser tão caro ou até mais caro do que uma conexão intercontinental para chegar à América do Sul.

De trem[editar]

Não há serviços de trem entre países na América do Sul e, com exceção da Argentina e do Chile, as redes locais são bastante limitadas. Infelizmente, durante a maior parte da segunda metade do século XX, os serviços foram reduzidos. No entanto, há uma série de "trens turísticos" muito pitorescos, incluindo a rota Quito—Guayaquil de 445 km no Equador.

De ônibus[editar]

Os ônibus são o principal meio de transporte terrestre para grande parte do continente, eles representam uma alternativa econômica, mas mais lenta do que voar.

Esteja ciente de que, embora a maior parte da violência da era da Guerra Fria tenha acabado, algumas partes de alguns países ainda não são totalmente seguras e cruzá-las de ônibus pode não ser uma ideia inteligente. Para obter mais informações sobre esse assunto, leia os artigos das cidades.

De barco[editar]

Você pode ir de Montevidéu a Valparaíso de cruzeiro, passando pelas Ilhas Malvinas, Ushuaia e Puerto Montt. Ou com uma extensão para a Antártica. Também ao longo da costa sul-americana de Buenos Aires até o Brasil.

Você pode fazer todo o Rio Amazonas de barco, começando no Peru, passando por todo o Brasil. Existem todos os tipos de embarcações ao longo do rio Amazonas. Entre a Argentina e o Uruguai, você também pode cruzar o Rio de la Plata de balsa.

Veja[editar]

Monumento à independência, situado no local onde foi proclamada a Independência do Brasil

A América do Sul é extremamente rica e diversa seja em termos de paisagens, cultura ou atrações turísticas. São locais imperdíveis de visitar na região:

  • As ruínas da civilização Inca - Em meio a cordilheira dos andes fica um dos sítios arqueológicos mais importantes do mundo. As ruínas da civilização em Machu Picchu, no Peru, revelam o alto grau de civilização atingido por esta civilização pré-colombiana num cenário digno de cinema;
  • Patagônia Argentina e Chilena - Uma sucessão de paisagens repletas de vida selvagem em meio as enormes geleiras formando paisagens exuberantes que são uma experiência única para o visitante.
  • Deserto de sal - No interior da Bolívia o deserto de Salar é um impressionante local onde ao invés de areia como ocorre em todos os desertos o visitante vislumbra um inacreditável cenário onde o que domina a paisagem e rouba a atenção é uma região onde solo é somente feito de sal;
  • Pantanal - A maior planície alagado do mundo, concentra a maior quantidade de espécies de aves de todo o planeta e com suas incontáveis espécies animais como jacarés, sucuris, onça pintada (o maior felino das Américas) proporciona paisagens de incomparável beleza;
  • Floresta Amazônica - Maior selva tropical do mundo, possui também a maior biodiversidade do planeta além do maior rio do mundo (Rio Amazonas), nas selva amazônica tudo parece superlativo, espécies animais são descobertas a todo momento, é onde o exótico é a regra, tudo de mais extraordinário e inacreditável é possível nesse imenso laboratório natural que fascina o mundo inteiro.
  • Litoral Venezuelano - O litoral venezuelano é uma extensão natural do mar do Caribe, sendo característica natural dessa região um mar azul-turquesa e paisagens costeiras fascinantes e rara beleza.
  • Parque dos Lençóis Maranhenses - Numa área do tamanho da cidade de São Paulo, na costa do Maranhão com dunas entre as quais se formam naturalmente lagoas, umas muito pequenas e outras enormes, num cenário único onde a natureza foi extremamente generosa;
  • Cataratas do Iguaçu - O maior conjunto de quedas d'água do mundo fascina turistas de todo o planeta pela sua grandiosidade e beleza. É um dos pontos turísticos mais visitados da América do Sul e fica na fronteira do Brasil com a Argentina em meio ao Parque Nacional do Iguaçu, uma grande reserva natural.
  • Cidades Históricas de Minas Gerais - Talvez o mais homogêneo e conservado conjunto de arquitetura colonial portuguesa do mundo, a cidade de Tiradentes, Mariana e Ouro Preto fazem o visitante voltar ao passado num ambiente repleto de joias arquitetônicas e ruas com calçamento de pedra onde ocorreram fatos marcantes da história brasileira. Um patrimônio reconhecido pela UNESCO.

Faça[editar]

  • Tango em Buenos Aires, Argentina, e Montevidéu, no Uruguai
  • Aproveite o sol nas famosas praias do nordeste do Brasil
  • Explore a selva intocada nas muitas reservas naturais da floresta amazônica
  • Pedale pelas antigas plantações holandesas no Suriname
  • Esquie nos Andes no Chile ou Argentina
  • Experimente uma partida de futebol em qualquer lugar da América do Sul
Aconcágua, a montanha mais alta fora da Ásia, com 6.961 metros de altitude

Caminhada[editar]

Por abrigar a cordilheira dos Andes, a mais longa do mundo, a América do Sul é um grande destino para caminhadas. Os Andes são magníficos e de uma beleza de tirar o fôlego, e seu terreno varia de picos nevados a passagens íngremes e florestas exuberantes. O Peru é provavelmente o destino de trekking mais famoso, incluindo a mundialmente famosa Trilha Inca e muitas viagens menos conhecidas, mas igualmente gratificantes. A Bolívia também tem muitos picos populares que podem ser escalados por montanhistas inexperientes e muitas caminhadas desconhecidas, mas igualmente belas, de 1 a 12 dias pelas montanhas e pela floresta tropical. Argentina e Chile, com sua longa fronteira andina, também oferecem uma grande variedade de caminhadas. Na verdade, quase todos os países do continente têm belas montanhas com grandes caminhadas, com exceção dos baixos Paraguai, Suriname e Uruguai.

Compre[editar]

Algumas moedas nacionais experimentam volatilidade de tempos em tempos, mais notavelmente na Venezuela, onde a taxa de câmbio oficial do bolívar está ridiculamente desconectada da realidade. O país enfrenta uma grande crise política-econômica e sua moeda tornou-se extremamente desvalorizada.

Na maioria dos países, o dólar dos Estados Unidos costuma ser usado. Há também uso limitado de euros (na Guiana Francesa) e libra esterlina (nas Ilhas Malvinas). Outras moedas além do dólar americano tendem a ser de pouca utilidade e difíceis de trocar fora de sua área de uso e das áreas fronteiriças adjacentes.

Coma[editar]

A grande variedade étnica e cultural dos povos nativos e dos imigrantes que construíram a identidade da América do Sul proporcionaram uma riqueza gastronômica altamente relevante. A culinário regional é bastante rica e é grande a variedade de sabores, ingredientes e formas de preparo que se observa tanto nas nações de língua espanhola quanto no interior do Brasil.

Nos países de língua oficial espanhola é grande a tradição gastronômica argentina, sobre tudo no que se refere a carnes e vinhos de produção local, tendo como grande destaque neste quesito naquela país a cidade de Buenos Aires. No Peru, nos últimos, anos verifica-se um alto grau de evolução gastronômica que tem rendido grande reconhecimento aquele país.

No Brasil são muito famosas a culinária típica mineira e a baiana, muito embora haja pratos populares típicos de grande tradição na região norte e nordeste e nas demais partes do país variando muito entre uma região e outra como um todo além de destinos onde, em virtude de uma grande influência cultural de imigrantes de várias partes do mundo e do próprio país, observa-se grande variedade de restaurantes, sejam eles temáticos, internacionais ou mesmo exóticos, como o que ocorre tradicionalmente na cidade de São Paulo, onde o ambiente gastronômico atinge alto grau de sofisticação.

Beba[editar]

A América do Sul oferece uma grande variedade de bebidas, algumas das quais você só pode consumir legalmente em seu país de origem. Algumas bebidas incluem erva-mate, uma infusão semelhante a um chá quente, e Inca Cola, uma alternativa à icônica marca estadunidense de refrigerantes.

Lembre-se de que as folhas e chá (saquinhos) de coca e outros produtos são restritos ou proibidos em alguns países da América do Sul, incluindo Brasil e Paraguai, e na grande maioria dos países fora da América do Sul. Portanto, certifique-se de não portar qualquer vestígio de chá ou folhas de coca antes de cruzar as fronteiras internacionais.

Durma[editar]

Os tipos de hospedagem disponíveis são os mesmos da América do Norte e da Europa. Para os mochileiros a melhor opção é pousada ou camping. No entanto, os quartos de hotel (como a maioria dos outros bens e serviços) são, com algumas exceções, bastante acessíveis em comparação com a América do Norte e a Europa Ocidental. As pragas são um risco se você dorme ao ar livre, especialmente nas partes tropicais do continente.

Fique seguro[editar]

A América do Sul tem reputação de crimes, incluindo assaltos à mão armada, com Brasil, Colômbia e Venezuela sendo apontados como os mais perigosos. Leia com antecedência sobre os destinos individuais que você planeja visitar. Como em qualquer outro lugar do mundo, o planejamento de viagem correto pode mitigar quaisquer perigos.

Usar ou carregar itens que possam identificá-lo como um turista pode ser um erro. Você não deve portar nada que você ficaria chateado se perder. Deixe joias caras, relógios e outros itens de valor em casa e leve apenas o que você precisa. Isso vale para cartões de crédito e outros documentos também; se não precisar deles, deixe-os no hotel, leve apenas o dinheiro que provavelmente gastará com você.

Embora as tempestades tropicais sejam raras, as inundações repentinas ocorrem em várias partes da América do Sul. Terremotos e, em poucos casos, erupções vulcânicas são um risco nos países andinos, especialmente no Chile.

Saúde[editar]

A água da torneira em muitos países não é potável; é aconselhável purificar a sua própria ou comprar água engarrafada. Os países com água potável são Argentina, Chile e Uruguai. Na Colômbia, a água da torneira é potável em Bogotá, mas não é recomendado beber água da torneira nas regiões mais secas do país.

Malária, dengue e febre amarela também podem ser um risco no continente, então verifique informações com antecedência para ver se você estará em uma área de alto risco, receba as vacinas e medicamentos necessários.

Os países andinos incluem áreas em grandes altitudes, tornando a fobia de altura um risco. Esta é uma preocupação especialmente em vários destinos populares no Peru e na Bolívia.

Conectar[editar]

A confiabilidade dos serviços postais na América do Sul é as vezes duvidosa. Se você tem algo importante para enviar, é aconselhável usar uma empresa privada em vez de serviços administrados pelo governo. Além disso, os governos de alguns países impõem pesadas taxas de importação ou limitações significativas às importações, o que pode causar problemas se você ou seus amigos tentarem enviar pacotes para o continente.

O acesso à internet é generalizado, mas a velocidade varia. A censura governamental na internet é rara.


Este artigo é um guia. Ele tem informações repletas sobre o assunto abordado, mas especificações podem faltar.

Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!