Baixe o arquivo GPX para este artigo
-13.163055555556-72.545555555556Map mag.png

Machu Picchu

Da wiki Wikivoyage
América do Sul > Peru > Machu Picchu
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Machu Picchu, o Santuário Inca localizada na Cordilheira dos Andes, na região de Cusco, Peru. Após se tornar Patrimônio da Humanidade pela Unesco atraiu grande visualização internacional transformando-se em um dos destinos mais populares do mundo e principalmente entre os viajantes independentes pela América do Sul.

Machu Picchu, no Peru.

Entenda[editar]

Machu Picchu é o sítio arqueológico mais conhecido da América do Sul. Fica a aproximadamente 150 km de Cuzco no Peru. As ruínas ficam em uma montanha a 2500 metros de altura acima do nível do mar e recebem a visita de aproximadamente 500 mil turistas por ano. A porta de entrada para Machu Picchu é a cidadezinha de Águas Calientes, cujo nome oficial pouco usado internacionalmente é Machu Picchu Pueblo, ponto final da linha de trem turística, e onde ficam quase todos os hotéis e restaurantes.

História[editar]

Machu Picchu é a mais velha conhecida ruína inca, porém pouco se sabe de sua história. Nada é mencionado nas crônicas dos conquistadores espanhóis. Conta-se que a cidade foi poupada porque não sabiam de sua existência. Por isso ela durou ainda uns séculos mais.

O sítio foi descoberto pelo historiador americano Hiram Bringman em 24 de julho de 1911. O sítio diferia muito do que hoje conhecemos. Estava coberto pela floresta.

Machu Picchu foi também um grande centro de estudos, onde se ensinava Astronomia, Agronomia, Medicina e Arquitetura. Por isso, é considerada a primeira Universidade das Américas.

Muitos esqueletos foram encontrados, sendo 80% de mulheres. Uma recente teoria diz que era a cidade das mulheres escolhidas do Inca e que já estava vazia quando os espanhóis chegaram na região. Isto explica porque não foi mencionada pelos conquistadores.

Paisagem[editar]

Flora e fauna[editar]

Ambos são abundantes e variados. A vida vegetal típica na reserva histórica de Machupicchu inclui pisonayes, alisos, palmeiras puyas, samambaias e mais de 90 espécies de orquídeas. A fauna na reserva inclui o urso, o galo das rochas, gatos selvagens e uma impressionante variedade de borboletas e insetos únicos na região. O leito da terra, o ambiente natural e a localização estratégica de Machu Picchu emprestam a este monumento uma fusão de beleza, harmonia e equilíbrio entre o trabalho dos antigos peruanos e os caprichos da natureza.

Clima[editar]

A estação chuvosa vai de dezembro a março/abril. Os demais meses são mais secos, normalmente fazendo uma temperatura agradável durante o dia e frio à noite (a temperatura pode baixar a 0 graus em junho/julho)

Chegar[editar]

Hoje comprar um pacote turístico para Machu Picchu é muito mais econômico do que ir a alguns pontos turísticos no Brasil, e se comprar diretamente de uma empresa que tenha sede em Cusco melhor, pois diminui os atravessadores que são as operadores Brasileiras que contratam outras no Peru.

A chegada a Machu Picchu é feita pela cidade de Cusco, a qual recebe voos regulares vindos de La Paz e Lima.

O acesso à cidadela Inca se dá, basicamente, de duas formas: de trem, numa viagem (partindo do centro de Cusco) de aproximadamente 5 horas; a pé, numa caminhada de 3 a 4 dias pela Cordilheira dos Andes, partindo do km 88 da via férrea Cusco-Machu Picchu; havia, ainda, a possibilidade de usar helicópteros, numa viagem de aproximadamente 20 minutos, partindo do aeroporto Internacional de Cuzco "Alejandro Velasco Astete", mas uma lei local proibiu o sobrevôo deste tipo (lei ignorada quando houve mais de 200 voos de resgate, durante as chuvas de janeiro de 2010).

Um dos modos mais conhecidos de se chegar à Machu Picchu é pela famosa Trilha Inca (na verdade um dos vários caminhos abertos pelos antigos povos da região), num percurso a pé de cerca de 82 km, passando por diversos sítios astro-arqueológicos, tais como Llactapata, Wayllabamba, Runkuraqay, Warmiwanusca, Sayacmarca, Phuyupatamarca e Winaywayna. Devido as chuvas e aos riscos do trajeto, o governo Peruano limita o número de turistas na trilha, bem como seu funcionamento na temporada de chuvas.

No trajeto deste caminho, fica evidente a relação dos antigos Incas com a Astronomia, o estudo do céu.

Para fazer a Trilha Inca, o governo limitou a entrada de 500 por dia, incluindo passageiros, guias e carregadores. Esta lei foi criada para proteger a trilha Inca, Cusco existe em vários operadores de agências de viagens de turismo, um dos quais é Tierras Vivss operador turístico desde 2006

Rota Alternativa a Machu Picchu[1]

  • Trilha Salkantay: Este caminho é o mais solicitado pelos viajantes, para ser muito especial, pois é transmitida através do Salkantay neve, esta rota é apreciada a natureza e, finalmente, para Machu Picchu.
  • Lares Trek: A rota visto pessoas locais que usam o famoso poncho vermelho e até mesmo as casas são construídas de pedra.
  • Cachicata: O percurso é semelhante ao da Trilha Inca, vemos um Intipunko (Puerta del Sol), ruínas arqueológicas, Inca múmias e no último dia está indo de trem para Machu Picchu
  • Inka Jungle Trek: Os viajantes que gostam de adrenalina, esta viagem é ideal para eles. Esta viagem é downhill bike, rafting, tirolesa, Trek a Machu Picchu.

Taxas e permissões[editar]

A entrada no parque custa $126 soles para visita de um dia. Bilhetes especiais para visitar Wayna Picchu. Maiores informações [2].

Circule[editar]

Chega-se de ônibus, partindo de Águas Calientes, à entrada das ruínas, mas também pode-se chegar a pé, montanha acima.

A circulação é feita totalmente a pé, a todos os locais de Machu Picchu.

Veja[editar]

Vá até Waynapicchu a partir de Machu Picchu numa trilha bem íngreme por 40 minutos e desfrute da mais bela vista das ruínas de Machu Picchu. É como estar nas nuvens.

Compre[editar]

É possível comprar as entradas na página oficial. Existem 3 tipos de entradas: Machu Picchu, Machu Picchu + Huaynapicchu (ou Waynapicchu) e Machu Picchu + montanha. O primeiro tipo é referente à cidade somente. Os dois últimos são referentes à cidade e uma subida de uma das montanhas que dá uma visão única da cidade. A subida das montanhas leva cerca de 1 hora e meia.

A partir de 01 de julho de 2017, existirão dois turnos de visitas às ruínas: de 06:00 às 12:00 e de 12:00 às 17:30. A entrada tem que ser comprada de acordo com o turno desejado.

A página ingressomachupicchu.com informa a quantidade de entradas ainda disponíveis para o parque a cada dia. É sempre bom reservar o ingresso antes porque costuma não ter mais ingressos no local, já que é limitado o número de pessoas que podem visitar o parque diariamente.

Muitas pessoas tem problemas ao comprar a entrada pela página oficial porque somente é aceito cartões de crédito Visa com o "Verified by Visa". Mesmo os cartões com o sistema de verificação podem ser recusados por motivos diversos, o que deixa muita gente frustrada. Muitos relatam que conseguiram comprar as entradas com o Visa Travel Money.

As entradas geralmente estão incluidas nos pacotes de agências de viagens.

Para chegar em Machu Picchu sem comprar pacotes de agências, pode-se ir de ônibus ou de trem.

Existem 2 companhias de trem que chegam à Águas Calientes: a IncaRail e a PeruRail. Os trens saem de Cusco (estação de Poroy), Urubamba e Ollantaytambo. Essas últimas são cidades no caminho entre Cusco e Machu Picchu. Geralmente, os pacotes de viagens levam os turistas à Ollantaytambo de van, passando pelos sítios arqueológicos no caminho, e terminam o trajeto à Águas Calientes de trem partindo de Ollantaytambo.

Em Águas Calientes, existe um ônibus que faz o trajeto até o parque de Machu Picchu, que dura mais ou menos 20 minutos. O custo é de US$ 12,00 (somente ida).

O retorno do parque para Águas Calientes pode ser feito no mesmo ônibus ou a pé (40 min), já que é de descida da montanha e o ônibus é caro.

Coma[editar]

Ao visitar as ruínas, leve consigo água e algum alimento, pois o restaurante do parque é bem caro. O restaurante do Sanctuary Lodge também. Não há mais onde comprar qualquer coisa, a não ser em Águas Calientes.

O almoço buffet no Hotel Sanctuary Lodge custa por volta de US$ 40 e a lanchonete de Machu Piccchu vende um hamburger a partir de 30 soles, enquanto que a água mineral custa 10 soles.

A dica é levar alguns biscoitos e chocolates até descer a Águas Calientes, onde um almoço custa cerca de 20 soles e a água mineral custa 1,5 soles. Pode também deliciar-se com a culinaria Nova Andina do Hotel Sanctuary Lodge.

Beba[editar]

A Inca Kola é um refrigerante originalmente peruano, e por consequência o mais consumido no país. Não deixe de dar um provadinha na cerveja Cusqueña.

Durma[editar]

Hotéis[editar]

Na entrada de Machu Picchu tem apenas um hotel, o Sanctuary Lodge[3], mas a diária é altíssima (US$ 715,00 a 1165,00). Recomenda-se pousar em Águas Calientes, onde existem inúmeros hoteis e pousadas, se tiver interesse em continuar visitando Machu Picchu no dia seguinte.

Camping[editar]

Não é permitido acampar no parque; entretanto, essa é a única maneira de pernoitar para quem faz a Trilha Inca, que leva o turista de Cusco a Machu Picchu. Em breve serão construídos dois prédios que servirão para hospedagem, já que na entrada (pequena cidade) não há lugar para hospedagem.

Segurança[editar]

É preciso tomar cuidado pois quem vai de ônibus e trem está sujeito a enfrentar alguns perigos, por isso é necessário ficar alerta.

Partir[editar]

Este artigo é usável. Ele contém informações sobre o parque, umas das suas atrações, e acomodações disponíveis lá. Uma pessoa mais corajosa poderia utilizá-lo para viajar, mas por favor mergulhe fundo e ajude-o a crescer!