46.8333333333338.3333333333333Map mag.png

Suíça

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
LocationSwitzerland.png
Bandeira
Informações básicas

A Suiça [1] oficialmente Confederação Suíça (latim: Confoederatio Helvetica, daí a abreviatura "CH") é um país montanhoso da Europa Central.

A Suíça é conhecida por suas montanhas (Alpes no sul, Jura no noroeste), mas também possui um planalto central de colinas, planícies e grandes lagos. O ponto mais alto é Dufourspitze a 4.634 m (15.203 pés), enquanto o Lago Maggiore está a apenas 195 m (636 pés) acima do nível do mar, e o clima temperado varia muito com a altitude.

A Suíça é intrinsecamente mais diversificada culturalmente do que talvez qualquer outro país europeu. Possui quatro línguas nacionais que historicamente foram dominantes em várias regiões ou cantões. O alemão, o francês e o italiano são falados nas regiões limítrofes do respectivo país e o romanche - uma língua românica de origem suíça - é falado na zona montanhosa de Graubünden. A Suíça também tem uma das maiores populações de expatriados / imigrantes proporcionalmente - literalmente, cada quarto residente (25,1% em 2018) dos quase 8,5 milhões de habitantes é estrangeiro - consistindo em quase todas as nacionalidades e grupos étnicos do mundo. Famosa pela tolerância, neutralidade e democracia direta, bem como pela riqueza quase lendária, a Suíça tem um dos mais altos padrões de vida do mundo - e preços correspondentes.

Regiões[editar]

Mapa da Suíça

Cidades[editar]

Outros destinos[editar]

Entenda[editar]

Chegar[editar]

Brasileiros não precisam de visto para entrar no país para ficar até três meses. Mais do que isso, é necessário visto da embaixada. As inspeções alfandegárias costumam ser bastante rigorosas, não sendo permitida a entrada de certos tipos de alimento.

Os portugueses não necessitam de qualquer visto ou de passaporte. Apenas necessitam o Bilhete de Identidade.

De avião[editar]

De barco[editar]

De carro[editar]

O acesso rodoviário pode ser feito pelos países vizinhos como: França, Alemanha, Austria e Itália. As rodovias são excelentes, em ótimo estado de conservação e muito bem sinalizadas. Para motoristas estrangeiros é necessária a emissão da Carteira de Habilitação Internacional. Para entrar e circular de carro em território suíço necessita de possuir uma "Vignette", uma licença de período válido de 1 ano que custa 40CHF. Deve possuir a "Vignette" na fronteira junto das autoridades competentes.

De autocarro/ônibus[editar]

Desde Portugal existem várias companhias que fazem o trajecto entre Lisboa e Porto para a Suiça.

De comboio/trem[editar]

Circular[editar]

Nos aeroportos e estações de trem, é possível comprar um GH (pronuncia-se 'guê-rá'), que permite o uso de qualquer tipo de transporte público no território suíço durante o tempo de estadia. Isso inclui ônibus, trens, barcos e em alguns lugares, também teleférico. Com este passe, você pode tomar café em Zug, almoçar em Lusanne, fazer compras em Genebra e jantar em Biel sem custo adicional.

De avião[editar]

Para se locomover é uma boa ideia!!!

De barco[editar]

De carro[editar]

O sistema rodoviário suiço é excelente. As rodovias cruzam o país ligando todas as regiões. Impressionam as quantidades e extensões dos túneis que atravessam as principais regiões montanhosas, principalmente nos Alpes.

De autocarro/ônibus[editar]

De comboio/trem[editar]

O Swiss Travel Pass – é um bilhete único (nominal) que você utiliza durante um determinado número de dias, dentro de um mês, em sua viagem por esse país maravilhoso.

Você pode comprar para 3, 4, 8 ou 15 dias consecutivos. Por exemplo: você chega dia 4 de Janeiro e fica até o dia 8 e janeiro, mas vai usar só 3 dias – não quer usar na sua chegada ou saída. O seu Swiss Travel Pass será o de 3 dias, consecutivos. Válidos dias 5, 6 e 7 de janeiro. 🙂 Você pode escolher se compra na 2a ou 1a classe!

No caso do Swiss Travel Pass contínuo não é necessário. No caso do Swiss Travel Pass Flex você precisa registrar diretamente (de forma manual) os dias que estará utilizando.

E, se na durante a minha viagem eu não queira usar dias consecutivos, tem uma outra opção?

Sim, tem! Você pode comprar para 3, 4, 8 ou 15 dias NÃO consecutivos – Swiss Travel Pass FLEX

Por exemplo: você chega dia 4 de Janeiro e fica até o dia 10 de janeiro, mas vai usar só 4 dias e não quer usar na sua chegada ou saída. O seu Swiss Travel Pass será o de 4 dias, não consecutivos. Válidos, por exemplo dias 5, 6, 8 e 9 de janeiro. 🙂 No período de um mês você poderá usar esses 4 dias quando quiser. Você pode escolher se compra na 2a ou 1a classe!

https://www.swiss-pass.ch/pt-br/

Fale[editar]

A Suíça tem quatro idiomas oficiais: italiano, francês, alemão e romanche. As pessoas, em geral, têm fluência em pelo menos dois deles e a maioria dos jovens fala inglês. Na parte alemã da Suíça, as pessoas são mais tranquilas com aqueles que não falam alemão, o que ocorre de forma diferente com a parte francesa, que não tolera muito bem aqueles que não falam francês. O país todo é muito bem sinalizado, tendo suas placas em pelo menos dois idiomas, quando não três ou quatro. Especialmente na parte alemã, cada cidade tem seu jeito de falar ou até um dialeto próprio derivado do alemão. Uma pessoa de Soloturn fala bastante diferente de uma pessoa de Bern, que por sua vez fala de forma diferente de uma pessoa de Zürich. E todos fazem piada com o sotaque dos outros.

Veja[editar]

Lac Lucerne.jpg

Faça[editar]

Caminhadas na Suíça (Hiking, Trekking)

Lar dos Alpes, pontes, cabanas de madeira pitorescas, montanhas cobertas de neve e os mais profundos lagos azuis, a Suíça é o paraíso dos caminhantes, Esporte numero um da suiça,. Trilhas épicas cortam o país, desde trilhas fáceis para viajantes individuais e famílias até caminhos extenuantes que levam você ao topo das montanhas para as melhores vistas alpinas.

De caminhadas curtas a caminhadas de um dia inteiro, aqui estão algumas das melhores trilhas para caminhadas na Suíça. Observação: algumas empresas podem estar temporariamente fechadas devido a problemas globais recentes de saúde e segurança.

Trilha Panorâmica do Monte Rigi

Uma caminhada fácil, principalmente plana (exceto por algumas seções curtas e íngremes), de sete quilômetros , a Rigi Panorama Trail oferece algumas das melhores vistas que você encontrará ao caminhar na Suíça. A maior parte da trilha é de terra e cascalho, mas o caminho é bem conservado para facilitar a manobra em qualquer época do ano.A trilha começa já no alto, no topo de Rigi Kulm, bem na linha da estação de trem da montanha. As vistas daqui já são deslumbrantes, abrindo-se sobre vales verdes e azuis e nuvens. Encontre um banco, tome um café ou apenas tire fotos até que esteja pronto para começar. Comece por seguir as indicações que apontam para Rigi. Você estará andando perto dos trilhos do trem por um tempo, até que a trilha se bifurque – nesse momento, pegue a trilha da esquerda e continue andando. É difícil escolher a melhor vista ao longo do caminho – os vales verdes floridos, a montanha Goldau ao fundo ou os picos azulados ao longe. Conforme você continua andando, você verá trilhas menores se dividindo para os lados. A maioria deles é curta, então você pode sair da trilha principal, explorar um pouco e depois retornar ao caminho principal. Continue seguindo as indicações para Rigi Scheidegg e veja se consegue encontrar um banco vazio quando chegar à área de Felsenweg – a vista sobre a água e os picos ao longe é deslumbrante e o local perfeito para um almoço rápido ou apenas uma pausa. Ao chegar mais perto de Scheidegg, você verá que a trilha se divide em duas – uma um pouco mais acidentada e mais íngreme que a outra. Ambas as trilhas eventualmente levam ao mesmo lugar, então pegue a de maior elevação se puder – as vistas são mais claras e mais abertas naquela. A trilha termina logo antes do teleférico Rigi Scheidegg. Você pode passar algum tempo na estação visitando o restaurante antes de pegar o teleférico de volta ao vale, onde você pode pegar um trem para onde quer que esteja indo em seguida.

https://www.rigi.ch/

Vale Engelberg

O Vale do Engelberg tem tantas trilhas que você pode passar semanas caminhando por ele e ainda ter cantos para explorar. A Trilha Brunni é um caminho panorâmico e uma ótima maneira de ajudá-lo a descobrir o básico do vale e as pastagens floridas cercadas por picos imponentes. Esta caminhada de sete quilômetros tem pouca elevação (pouco menos de 300 metros no total) e não deve levar mais de duas horas e meia para ser concluída. A caminhada mais fácil nessa trilha é pegar o teleférico Brunni até a estação Ristis . Ao sair da estação, você verá placas para a Trilha Brunni – entre nela e comece a caminhar na direção de Rigidalalp. Este é um percurso educativo, pelo que encontrará painéis com informação sobre as espécies vegetais envolventes que cobrem os prados. Continue na trilha até chegar ao refúgio Brunnihütte. Este é o local perfeito para uma pausa, pois as vistas do Monte Titlis e do Lago Härzli são deslumbrantes daqui. O refúgio também abriga um pequeno restaurante que oferece especialidades suíças, incluindo doces e queijos locais. Para uma experiência divertida, experimente o caminho BrunniTickle , um caminho especial que circunda todo o lago, destinado a ser experimentado sem sapatos. A trilha é composta por várias texturas: areia seguida de cascalho seguido de lascas de madeira. Há terreno macio seguido por terreno coberto de água e, em seguida, terreno espinhoso. Volte para Ristis da mesma maneira que você veio, depois pegue o teleférico de volta para a vila.

https://www.engelberg.ch/

Matterhorn

O Matterhorn é um dos cumes mais altos dos Alpes. Para os caminhantes que querem se testar, não fica muito mais difícil do que subir parte dos 4.478 metros da montanha que fica na fronteira entre a Suíça e a Itália. Tecnicamente uma caminhada moderada, subir o Matterhorn levará de oito a 12 horas , dependendo do condicionamento físico, paradas e algumas variações na rota ao longo do caminho. A cidade de Zermatt é o melhor ponto de partida para caminhadas em Matterhorn. Se você quiser manter isso em uma caminhada de um dia, parta assim que o sol nascer, encontre a linha do teleférico e comece a caminhar seguindo-a. Depois de três horas de um caminho muito íngreme e reto com vistas deslumbrantes sobre as montanhas azuis, você chegará ao Schwarzsee Paradise, um hotel/restaurante onde você pode parar para comer antes de continuar. Você tecnicamente ainda não está no Matterhorn, mas esta é a maneira mais rápida de chegar alto o suficiente para se conectar à trilha seguinte. A partir daqui, é uma caminhada surpreendentemente plana de uma hora ao longo do lado Matterhorn. O tempo começa a mudar a esta altitude, mas também é o último pedaço de caminhada "fácil", por isso é um bom momento para desfrutar dos arredores. Após cerca de uma hora (se você não fizer pausas), o terreno fica difícil novamente – espere muitas pedras escorregadias, pedras muito íngremes que exigem algumas manobras e muito bom equilíbrio. Após 90 minutos disso, você chegará à Hörnli Hut, a cabana de dormir para o acampamento base no Matterhorn – é onde os trekkers de vários dias passam a noite antes de continuar. Faça uma pausa aqui para admirar os picos cobertos de nuvens e o Matterhorn de perto – em dias claros, parece que você quase pode tocar o cume. A partir daqui, a trilha realmente desce para uma pausa agradável até chegar à trilha Glacier, onde você tem uma visão direta e aberta do Matterhorn beijado pela neve e das outras montanhas ao redor. Essa trilha é pedregosa e escorregadia, mas plana – em ritmo constante, você deve levar duas horas para chegar ao final dela, onde encontrará uma estação de teleférico. A menos que você queira passar a noite na montanha, termine a caminhada aqui e pule no teleférico para voltar a Zermatt. Algo a ter em mente: mesmo no verão, faz frio no Matterhorn . Com uma caminhada tão longa, você precisará levar uma jaqueta e possivelmente camadas para ficar confortável durante todo o caminho.

https://www.matterhornparadise.ch/en

https://www.zermatt.ch/en/matterhorn

Vale Glacial Lauterbrunnen

Lauterbrunnental é conhecido como o vale com as 12 cachoeiras , então uma caminhada aqui proporcionará vistas deslumbrantes, não importa em que direção você esteja indo. Este é um excelente destino para caminhadas rápidas e fáceis , pois o vale se inclina suavemente e os prados verdes oferecem boa tração e tornam o terreno confortável para caminhadas. Comece sua caminhada na estação de trem em Lauterbrunnental. Você verá placas apontando para as trilhas – basta entrar no caminho de cimento e começar a caminhar para o sul. Após cerca de 15 minutos, a estrada asfaltada termina e você estará caminhando em uma estrada de areia quase sem elevação. Os próximos 45 minutos estão cheios de cachoeiras caindo em penhascos íngremes cobertos de neve, rios e vias navegáveis, e muitas vacas pastando à distância. Assim que você vir uma bifurcação na estrada (cerca de uma hora depois de sair da estação de trem) com uma placa apontando para a cidade de Stechelberg, ignore-a e pegue o segundo caminho. Isso o levará a uma trilha um pouco mais íngreme na direção de Gimmelwald. A primeira parte da caminhada é principalmente através da floresta sombreada e rios passados ​​antes de se abrir sobre prados floridos cercados por montanhas e algumas daquelas cachoeiras deslumbrantes pelas quais o vale é famoso. Siga as placas que apontam para Gimmelwald, uma a duas horas de distância, dependendo de quantas vezes você parar para tirar fotos ou mergulhar os pés no rio. Você eventualmente verá a pequena vila montanhosa de Gimmelwald emergir entre os picos cobertos de neve – há alguns restaurantes, um albergue e alguns pontos sombreados para uma pausa novamente aqui. A partir daqui, você pode continuar para Murren para pegar o trem de volta ou dar a volta para encontrar o caminho para Lauterbrunnental novamente.

https://www.jungfrau.ch/en-gb/lauterbrunnen-valley-made-by-glaciers/

Lauterbrunnen, Um Vale encantado na Suíça.

Prados Alpinos de Höhbalmen

A poucos minutos de Zermatt – uma das mais famosas estâncias de montanha no sul da Suíça – está o prado alpino Höhbalmen, uma varanda coberta de flores silvestres com vista direta sobre os Alpes Valais. A caminhada Höhbalmen-Höhenweg, que o leva direto pela face norte do poderoso Matterhorn, é talvez uma das caminhadas mais bonitas da região - se você estiver pronto para o desafio. Uma caminhada difícil de 18 quilômetros que começa a uma altitude de 1.605 metros e sobe até 2.740 metros em um ponto, esta trilha leva você a florestas esparsas, prados onde pastam ovelhas, um reservatório de água e vistas sobre Zermatt. A trilha atravessa vales e encostas, antes de iniciar uma descida em direção a Schwarzlager, passando por uma cachoeira estrondosa antes de levá-lo diretamente a um restaurante, onde você pode fazer uma pausa para almoçar ou jantar mais cedo antes de continuar por mais 45 minutos até Zermatt.

https://www.ride.ch/de/touren/hoehbalmen

Monte Titlis

Se a ideia de caminhar pelo Mattherhorn parece muito assustadora, o Monte Titlis nos Alpes Uri é uma opção muito mais acessível. Melhor ainda, a montanha oferece várias trilhas que vão desde caminhadas fáceis de uma hora até caminhadas de nível avançado que podem levá-lo ao topo da montanha de 3.000 metros de altura – tudo ao longo de um cenário deslumbrante de flores alpinas e prados verdes e inclinados.

Para uma caminhada fácil sem sacrificar as vistas, você pode experimentar a Trilha Circular Trubsee de uma hora de duração, que leva menos de uma hora para ser concluída e oferece várias fogueiras ao longo do caminho (traga um piquenique) e uma área de descanso à beira do lago. Outra caminhada fácil (mas muito mais longa) é a Trilha Marmot , que começa na estação de montanha de Trübsee e requer um teleférico até uma colina para chegar ao início da trilha – essa caminhada, que leva cerca de cinco horas, oferece uma visão direta sobre as águas azul-escuras do lago Engstlensee. A trilha do Lago Trüb na base do Monte Titlis é uma ótima opção para uma caminhada de inverno. Trata-se de uma volta de três quilômetros ao redor do lago Trübsee em trilhas bem cuidadas, mesmo quando cheias de neve. É uma caminhada fácil e descontraída com um fundo de montanhas escarpadas e colinas suaves.

https://www.titlis.ch/pt

7. Parque Ela

Parc Ela é um grande trecho de natureza intocada no coração do cantão de Graubünden, a região mais oriental da Suíça. Embora haja muitas caminhadas aqui, a trilha Hängebrücke Val Meltger é um ótimo lugar para começar. Um caminho de oito quilômetros, principalmente de cascalho, com uma elevação total de quase 400 metros, esta caminhada oferece excelentes vistas panorâmicas sobre o vale de Oberhalbstein. A trilha começa na vila de Lantsch, de onde sobe abruptamente através de densas e belas florestas. Seguir o caminho eventualmente leva você à ponte suspensa Val Meltger, construída para substituir uma anterior destruída por uma avalanche. Atravesse a ponte e continue seu caminho e você acabará encontrando uma única cabana alpina - este é um local favorito para fotos, com vistas perfeitas da região do vale alpino de Engadin e Julier Pass, uma passagem de montanha famosa por sua estrada sinuosa. A partir daqui, você pode começar sua descida por uma floresta verde profunda, atravessando nascentes e um pequeno lago pitoresco ao longo do caminho. Você terminará de volta à vila de Lantsch, não muito longe de onde começou a caminhada.

Caminhada panorâmica Oeschinensee

O Oeschinensee Panorama Hike é um loop de 8,5 quilômetros que leva você pelas águas azul-turquesa do Lago Oeschinensee. Embora a trilha comece como uma caminhada íngreme, torna-se mais plana mais tarde. Você ainda terá que manobrar o terreno rochoso do caminho e muitas vezes manobrar em cantos estreitos e escorregadios. Boa forma física é necessária para completar esta caminhada, mas há pontos bonitos suficientes para parar para descansar ao longo do caminho, se necessário. A trilha começa na cidade de Kandersteg, a 2,5 horas de Zurique. Para partir, pegue o teleférico Kandersteg e suba a montanha – você encontrará as placas que levam à trilha na direção de Ober Bergli assim que chegar aqui. Esta é a seção mais íngreme da trilha, com passos complicados em certas partes - mas as vistas ao passar por cachoeiras gotejantes e barulhentas, falésias beijadas pela neve e prados floridos fornecerão distração suficiente para tornar a caminhada mais do que gerenciável. Espere muitas vacas adoráveis ​​com sinos se alimentando pacificamente no vale ao longo do caminho. O caminho é bem sinalizado, então não há risco de se perder ou acabar em outra trilha. Depois de passar pela cabana da montanha Ober Bärgli, você estará na metade da caminhada. A partir daqui, a trilha desce até chegar à margem do lago.

Via Engiadina

Fazer toda a trilha da Via Engiadina é um pouco difícil – a caminhada se estende de Maloja a Samedan, percorrendo 35 quilômetros de caminhos que cruzam pastagens de montanha, espessas florestas de pinheiros suíços e pequenas aldeias que parecem intocadas pelo tempo. Para ter um gostinho do que a rota tem a oferecer, você pode completar a Etapa 1 da caminhada, uma caminhada de 11 quilômetros de dificuldade moderada que leva você de Maloja a Silvaplana. A caminhada começa bem no centro da pequena vila de Maloja e segue um caminho até o Vale Engadin, passando por cabanas de montanha rústicas e prados alpinos floridos.Continue na trilha e você chegará à vila de Grevasalvas, cenário do livro de Johanna Spyri, Heidi . Rodeado por geleiras e vistas panorâmicas sobre o lago da Alta Engadina, a trilha continua descendo até chegar à igreja medieval de Sils-Baselgia, depois sobe novamente até chegar a Silvaplana. A partir daqui, você pode pegar o trem de volta para Maloja.

Trilha para caminhadas em Val Trupchun, Parque Nacional Suíço

Parte da Reserva da Biosfera da UNESCO, o Parque Nacional Suíço é tecnicamente o único parque nacional do país – o restante das áreas protegidas na Suíça são reservas ou parques naturais. A trilha Val Trupchun do parque é um dos caminhos mais populares da Suíça. Val Trupchun é uma caminhada de 14 quilômetros, mas não deixe isso te assustar – com terreno moderado e uma subida de pouco mais de 600 metros em um período de quatro horas e 20 minutos, esta é uma caminhada muito factível com impressionantes vistas e uma chance de encontrar veados vermelhos, íbex e talvez até o raro abutre-barbudo suíço. Para iniciar a caminhada, dirija-se ao parque de estacionamento Prasüras – não precisa de carro para chegar até aqui, pois os autocarros locais e turísticos o utilizam como paragem. Para entrar no parque propriamente dito, você terá que pegar a trilha da direita que começa aqui e segui-la até atravessar a ponte Punt da Scrins. Você entrará no próprio parque logo depois. A partir daqui, você verá o vale à frente, então continue andando por ele – esta é a melhor área para avistar a vida selvagem, então fique de olhos abertos. Siga a trilha em direção a Ova da Trupchun. Depois de atravessar uma ponte de madeira, você estará de volta à trilha e verá marcadores de trilha para ajudá-lo a continuar seu caminho. Encontrará dois pontos de descanso no trilho – facilmente identificáveis ​​pelos bancos, com algumas das melhores vistas panorâmicas sobre o vale e áreas onde se reúnem animais selvagens. Depois disso, a trilha começa a voltar para o estacionamento Prasüras.

Compre[editar]

A Suíça é um país caro para as coisas básicas do dia-a-dia, como moradia, comida ou contas públicas. Pode-se comprar, entretanto, eletrônicos a excelentes preços. Como souveniers para os amigos, compre chocolates no supermercado (Coop, por exemplo): é possível comprar miniaturas de 20g a 50g em grandes quantidades a um preço muito mais baixo do que no aeroporto. O mesmo vale para relógios e roupas. Não deixe de comprar pequenos utensílios do lar, como descascadores de legumes ou abridores de lata. Claro, compre canivetes de utilidade originais.

Coma[editar]

A Suíça é um país que prima pela perfeição das pequenas coisas, fazendo-as conforme suas tradições. Especialmente, existem queijos excepcionais e os famosos chocolates. Na parte da Suíça francesa, na região de Gruyère, se tem o queijo gruyéres autêntico, com sabor mais forte e muito mais marcante do que aqueles que são fabricados em outros lugares. Destaque-se também o queijo alpenzeller, de cor e sabor forte, bastante gorduroso. Nos Alpes, é servida uma comida típica chamada kaseschnitten, que é feita de uma fatia de pão embebida em vinho branco com o queijo homônimo derretido por cima, servida com um ovo frito e vinho branco seco forte. Em Zürich, não deixe de visitar a confeitaria Sprüngli, na Bahnhoffstrasse, considerada por muitos 'a melhor do mundo'.Com esse título, não espere pagar preços baixos. Visitando a região de Biel-Biene, próximo a Bern, ande pelas vinícolas próximas ao Lago de Biel, o Bielersee, onde há pequenos restaurantes que servem peixes pescados no próprio lago.

Beba e saia[editar]

Zurique tem uma ótima vida noturna com inúmeros clubes, bares e discotecas. Alguns lugares bem visitados são Lindenhof e Weinplazt e o bar Júlio Verne, que tem uma ótima vista para a cidade.

Durma[editar]

Aprenda[editar]

Trabalhe[editar]

Segurança[editar]

Em geral, é um país extremamente seguro. Cuidado apenas com os junkies perdidos pela cidade.

Saúde[editar]

Existem muitos Hospitais na Suiça, todos de ótima qualidade. A Suiça têm as melhores redes de hospitais do mundo, melhores médicos. Um atedimento excelente.

Respeite[editar]

Os suíços são um povo discreto, limpo, pontual e silencioso que foi educado para prestar atenção em pequenas coisas. Isso pode dar impressão aos desavisados que eles são intolerantes, arrogantes e cri-cris. Na verdade, eles se adaptaram muito bem à 'perfeição' de seu dia-a-dia e tradições, o que os fazem meio frios quando em seu país. Porém, são pessoas gentis e extremamente civilizadas. Não espere, contudo, grandes demonstrações de emoção ou alegria.

Mantenha contato[editar]

Este artigo está delineado. Ele já segue um modelo adequado, mas não contém informações suficientes sobre o assunto.

Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!