Baixe o arquivo GPX para este artigo
38.797361111111-9.3904166666667Map mag.png

Sintra

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Sintra é uma cidade de Portugal.

Chegar[editar]

  • De carro, pela autoestrada A16 ou pela IC19.
  • De comboio, a partir de Lisboa, estação Rossio. Passagem ida e volta 3,50€ mais 0,50€ pelo bilhete, que pode ser o mesmo usado por 24h em Lisboa, desde que não haja créditos. Partidas a cada 15 minutos, viagem com duração de 30/45 minutos. Não se esqueça de validar o bilhete antes de entrar nas carruagens.
  • O passeio de um dia inteiro, a partir de Lisboa, é suficiente para visitar os pontos mais importantes da cidade, mas não proporciona a mesma magia de tirar um dia inteiro para um único monumento e parque.

Circule[editar]

Da estação de comboios chega-se a pé ao centro histórico numa caminhada de 10 minutos. Há também uma linha de autocarros que efectua o transporte até esse ponto mas com intervalos de cerca de 20 minutos.

Para visitar os principais pontos turísticos, existe uma linha de autocarro que faz o circuito da cidade. Vale a pena para quem não goste de andar pois os trajectos para estes pontos incluem bastantes subidas e são por vezes longos para quem não esteja fisicamente preparado. Linha do circuito turístico da Pena, ida e volta, por 4,60€.

Se quiser fazer os trajectos a pé (o trajecto mais longo é o para o Convento dos Capuchos, 40km ida e volta) deve informar-se no posto de turismo da cidade e obter mapas da cidade. Não se sentirá sozinho nesta aventura, que por vezes envolve caminhos bastante inclinados e até mesmo através da encosta do castelo ou pelo meio de florestas, pois muitos turistas tomam a opção de o fazer.

Pode também, se tiver boas pernas, alugar uma bicicleta num dos muitos pontos disponíveis no centro da cidade. Pode obter informação sobre esse assunto no posto de turismo.

Os mais ousados podem fazer o circuito de charrete, que pode ser encontrada no centro da cidade em frente ao palácio da Vila.

Veja[editar]

Ruínas do Castelo Mouro
  • Castelo dos Mouros. Fica próximo do palácio da Pena. A mesma linha turística acima referida também pára no loall, mas tal como referido, a melhor forma de passear por este local é indo a pé pela encosta. A entrada no Castelo dos Mouros em época alta custa 7€ e está aberto entre as 9h30 e as 20h00.
  • O Centro Histórico é apenas o começo do passeio. Aí irá encontrar muitas lojas de artesanato, velharias (como chamam às antiguidades), doces, restaurantes etc.. Veja o prédio da prefeitura, o casario, a praça principal e as ruelas e escadinhas no entorno.
  • Convento dos Capuchos. A entrada em época alta custa 6€. É o mais longínquo dos monumentos, sendo também o de mais difícil acesso, não existindo transportes para este local à excepção de táxis. Se quiser ir a pé, prepare-se para uma longa caminhada de 40km ida e volta, mas pelo meio de estradas calmas e floresta imensa, onde se dá para sentir como as únicas pessoas do mundo. Nesta altura do ano está aberto das 9h30 às 20h00.
  • Palácio da Pena, o principal ponto turístico da cidade e uma das sete maravilhas de Portugal. Foi construído por D. Fernando a partir de 1836, com uma grande mistura de estilos, prevalecendo o neomanuelino, com detalhes góticos, renascentistas e da cultura islâmica. Vá de autocarro, linha turística, 4,60€, ou a pé, pelos caminhos do castelo. A entrada para o parque e palácio custa 13,50 € em época alta. Aqui, existe um transfer que transporta os visitantes para o Palácio, por um valor de 2€ ida e volta. Dentro do parque é ainda possível visitar o Chalet da Condessa D'Edla, cuja entrada (parque e Chalet) tem o valor de 9€. Em época alta, o Parque da Pena está aberto entre as 9h30 e as 20h00, assim como o Chalet da Condessa D'Edla. O Palácio da Pena abre entre as 9h45 e as 19h30.
  • Palácio de Queluz Residência real de duas gerações de monarcas, a cerca de 15 minutos de Lisboa, o Palácio Nacional de Queluz constitui um conjunto patrimonial de referência na arquitetura e no paisagismo portugueses, e contém um importante acervo que reflete o gosto da corte nos séculos XVIII e XIX, percorrendo o Barroco, o Rocaille e o Neoclássico. O bilhete para o Palácio e Jardins custa 9€ e o horário de abertura é das 9h00 às 19h00.
  • Palácio de Sintra. O Palácio Nacional de Sintra, situado no centro histórico da Vila, foi habitado durante quase oito séculos por monarcas portugueses e pela corte. Era muito utilizado, sobretudo durante a Idade Média, para apoio durante os períodos de caça, como refúgio por ocasião de surtos de peste na capital ou durante os meses de verão, devido ao clima mais ameno da vila. Em época alta a entrada custa 9€ e está aberto das 9h30 às 19h00.
  • Parque de Monserrate, 4 km do Centro, com lindos e exóticos jardins, assim como um palácio da origens britâncias. A entrada no Parque e Palácio de Monserrate tem um valor de 7€. O parque está aberto das 9h30 às 20h00 e o Palácio das 9h30 às 19h00.
  • Quinta da Regaleira. Um dos lugares mais intrigantes de Portugal. Trata-se de um palácio com um jardim imenso, onde a imaginação do seu construtor, o arquitecto italiano Luigi Manini criou ambientes enigmáticos que chamam a atenção pela beleza e peculiaridade. Há lagos, cavernas, fontes, portas secretas, além dos famosos poços "Iniciático" e "imperfeito". Óptimo para meditar e transcender. Entrada 7€.

Atenção: Há um bilhete combinado para 4 parques (Pena, Mouros, Capuchos e Monserrate) e disponível por vários dias, por 50€. È ainda possível combinar as entradas nos diferentes monumentos, obtendo assim um desconto nos ingressos. Detalhes no site [1].

Faça[editar]

  • Passeio no eléctrico de Sintra, entre a Vila e a Praia das Maçãs. São 13 km em 45 min. De sexta a domingo, com 9 saídas diárias com o custo de 1€. Atenção: isto não é o comboio turístico, uma lagarta sobre pneus cheia de turistas que parte do Centro Histórico.

Compre[editar]

  • Queijadas da Sapa, a queijada mais tradicional da região, funcionando desde 1756. Nome sugestivo. Fica na rua que liga a estação ao Centro Histórico.
  • Piriquita, loja de doces no centro. Prove o travesseiro, uma exclusividade da casa.
  • Quinquilharias, nas lojinhas do centro histórico.

Coma[editar]

Na praça do centro histórico e arredores há vários restaurantes turísticos. Há muitas doceiras também.

Beba e saia[editar]

Durma[editar]

Partir[editar]

Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!