22-79.5Map mag.png

Cuba

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox warning pn.svg
Cuba enfrentou protestos antigovernamentais que começaram em julho de 2021. Houve protestos em todo o país. Os protestos diminuíram de intensidade, mas tenha cuidado ao visitar, pois as tensões ainda não diminuíram. Evite manifestações e não participe de protestos.
LocationCuba.png
Bandeira
Informações básicas

Cuba é a maior ilha do Caribe. O país possui nove Patrimônios da Humanidade, além de praias, arquitetura colonial e história cultural distinta. Desde 1959, é governado por uma ditadura comunista.

Regiões[editar]

Map of Cuba.png
Cuba Ocidental (Pinar del Rio, Artemisa, Havana, Mayabeque, Matanzas)
A capital, as colinas de Pinar del Rio e uma ilha pouco conhecida com bons mergulhos autônomos somam-se a uma região empolgante.
Cuba Central (Camagüey, Villa Clara, Cienfuegos, Sancti Spíritus, Ciego de Ávila)
Cuba Oriental (Las Tunas, Holguin, Santiago de Cuba, Granma, Guantánamo)


Cidades[editar]

Estátua de Che Guevara acima de seu mausoléu, Santa Clara.
  • 1 Havana – capital cosmopolita com vida noturna agitada
  • 2 Baracoa – uma pitoresca cidade à beira-mar e a primeira capital de Cuba
  • 3 Camagüey – terceira maior cidade de Cuba é um labirinto de becos estreitos, igrejas católicas e jarros conhecidos como tinajones
  • 4 Matanzas – com um nome que se traduz como "massacres", esta cidade portuária industrial no final da ferrovia Hershey é uma joia escondida da cultura e história afro-cubana
  • 5 Pinar del Rio – centro da indústria de charutos
  • 6 Santa Clara – local da batalha que venceu a Revolução e agora é a casa do mausoléu de Ernesto "Che" Guevara
  • 7 Santiago de Cuba – cidade costeira rica em influência caribenha e rica em história revolucionária
  • 8 Trinidad – patrimônio da Humanidade com edifícios charmosos da era colonial

Entenda[editar]

Casa Blanca, Havana
Tabela do clima (uso)
JFMAMJJASOND
 
 
 
64
 
 
26
19
 
 
 
69
 
 
26
19
 
 
 
46
 
 
28
20
 
 
 
54
 
 
29
21
 
 
 
98
 
 
30
22
 
 
 
182
 
 
31
23
 
 
 
106
 
 
31
24
 
 
 
100
 
 
32
24
 
 
 
144
 
 
31
24
 
 
 
181
 
 
29
23
 
 
 
88
 
 
28
21
 
 
 
58
 
 
27
20
Média máx. e min. em °C
Precipitação+Neve totais em mm
Conversão imperial
JFMAMJJASOND
 
 
 
2.5
 
 
79
66
 
 
 
2.7
 
 
79
66
 
 
 
1.8
 
 
82
68
 
 
 
2.1
 
 
84
70
 
 
 
3.9
 
 
86
72
 
 
 
7.2
 
 
88
73
 
 
 
4.2
 
 
88
75
 
 
 
3.9
 
 
90
75
 
 
 
5.7
 
 
88
75
 
 
 
7.1
 
 
84
73
 
 
 
3.5
 
 
82
70
 
 
 
2.3
 
 
81
68
Média máx. e min. em °F
Precipitação+Neve totais em polegadas

Em 20 de julho de 2015, os EUA e Cuba restauraram as relações diplomáticas pela primeira vez desde 1960. Algumas restrições financeiras e de viagens foram atenuadas, mas o turismo comum ainda não é permitido para cidadãos norte-americanos.

Antes da Revolução de 1959, Cuba era um destino turístico popular para os cidadãos dos Estados Unidos, principalmente devido ao grande número de cassinos. Muitos estadunidenses tinham casas de praia durante o verão, e ricas empresas possuíam grandes fábricas e terras com a cooperação de Fulgencio Batista, o ditador militar governante. Desde a Revolução, Cuba está sujeita a um embargo comercial e econômico pelos Estados Unidos. Desde 2009, cidadãos norte-americanos com parentes que vivem em Cuba têm permissão para visitar o país.

Depois de 1959, o turismo cubano era principalmente para cubanos, e as instalações não foram renovadas até a década de 1990, quando Cuba perdeu o apoio financeiro da extinta União Soviética e abriu suas portas ao turismo estrangeiro. Agora, muitos visitantes europeus, canadenses e até estadunidenses vêm para a ilha. Nas regiões turísticas típicas, como Varadero e Holguín, muitos hotéis modernos de 3 a 5 estrelas estão disponíveis, enquanto nas regiões turísticas menos populares, os visitantes ainda podem alugar quartos em muitas casas particulares.

Devido a vários fatores de longa data (por exemplo, ineficácia burocrática, embargo dos Estados Unidos, falta de recursos e perda de subsídios soviéticos), grande parte da infraestrutura do país precisa de reparos. Nos principais destinos turísticos, geralmente haverá poucos problemas com energia ou água, embora possam ocorrer interrupções. Quedas de eletricidade são comuns em Cuba, exceto em instalações turísticas que possuem gerador. 2006 foi designado o Ano da Revolução Energética em Cuba, e muitos pequenos geradores foram instalados na tentativa de evitar apagões. Desde que a Venezuela passou a fornecer a Cuba petróleo barato a situação energética melhorou. Muitas acomodações turísticas oferecem fontes de alimentação de 220V e 110V.

História[editar]

Antes de Colombo desembarcar em Cuba em 1492, o povo Taíno já morava lá havia milhares de anos. Em 1511, o primeiro assentamento espanhol foi fundado por Diego Velázquez de Cuéllar, e outras cidades logo se seguiram, incluindo a futura capital San Cristobal de Habana (Havana), que foi fundada em 1515.

Cuba permaneceu uma colônia espanhola de 1511 a 1898 com uma economia baseada em plantações, agricultura, mineração e exportação de açúcar, café e tabaco para a América do Norte e Europa. O trabalho foi feito principalmente por escravos africanos trazidos para a ilha, até a sua libertação no final do século XIX.

Em 1898, Cuba foi tomada da Espanha pelos Estados Unidos na Guerra Hispano-Americana. Os EUA acabaram ganhando o controle das Filipinas, Guam, Porto Rico e outros lugares na guerra curta. Posteriormente, os Estados Unidos mantiveram Cuba sob ocupação militar por algumas décadas e depois a controlaram por meio de uma série de ditadores militares corruptos que também eram amigos da máfia. Embora Cuba nunca tenha sido formalmente anexada.

No final dos anos 1950, Fidel Castro liderou um exército guerrilheiro comunista para encerrar o regime de Fulgencio Batista. Depois de sua vitória, Cuba tornou-se um país comunista de partido único alinhado com a União Soviética e em estado de confronto com os Estados Unidos, que tentavam derrubar o governo cubano por invasão, bloqueio, embargo e várias tentativas de assassinato contra Fidel. A única coisa que todas essas ações hostis conseguiram fazer foi ajudar a paralisar a economia de Cuba. No entanto, a alfabetização e os cuidados de saúde melhoraram muito sob o governo de Fidel. A Venezuela sob a presidência de Hugo Chávez (1999-2013) forneceu petróleo gratuito a Cuba em troca de médicos e enfermeiras cubanos.

Há uma grande diferença entre a renda dos visitantes a Cuba e o que os trabalhadores locais podem ganhar. Desde que Fidel Castro se aposentou, seu irmão, Raúl, introduziu mais reformas baseadas no mercado. No entanto, o país continua sendo um estado comunista e qualquer tipo de crítica pública contra o governo é fortemente desencorajada.

Fale[editar]

Outdoor de Fidel Castro escrito: "Lute contra o impossível e vença"

A língua oficial de Cuba é o espanhol. O dialeto local é bastante semelhante ao da República Dominicana e de Porto Rico, embora a versão aqui seja bem diferente da falada na Espanha (embora bastante semelhante à das Ilhas Canárias porque muitos cubanos são descendentes de canários), México e América do Sul. Os cubanos tendem a engolir as últimas sílabas das palavras e geralmente engolem o som de 's'.

O inglês básico é falado em alguns locais turísticos e o idioma não deve ser um impedimento para visitar o país, embora o espanhol básico seja útil, especialmente em ambientes mais informais. Os cubanos gostam de conversar com os turistas, especialmente se você estiver hospedado em suas casas. Em vez do espanhol "Que tal?" para "Como você está?", os cubanos dirão "Que vola?" (semelhante a "E aí?", geralmente bastante informal).

Os alunos são instruídos em inglês básico desde a escola primária, embora o nível de inglês varie de acordo com o indivíduo e o local. Em estabelecimentos localizados próximos aos principais centros de turismo, os trabalhadores costumam ter um nível moderado a alto de habilidade de conversação em inglês.

Chegar[editar]

Política de vistos de Cuba
  Cuba
  Liberado - 90 dias
  Liberado - 60 dias
  Liberado - 30 dias
  Liberado - 28 dias
  Liberado - período não especificado
  Cartão turístico necessário (com antecedência)
  Requer visto

Um visto de turista é necessário para viajantes da maioria dos países. Este visto, que na verdade é pouco mais do que um pedaço de papel no qual você relaciona suas informações pessoais, custa US$ 15-25 (ou € 15-25) na maioria dos destinos, dependendo de onde comprou. Custa US$ 50-100 dos EUA. Ele pode ser comprado no aeroporto de Cuba na chegada, mas muitas companhias aéreas exigem um visto de turista válido antes de embarcar em um vôo. Geralmente é válido por 30 dias e pode ser prorrogado uma vez por mais 30 dias em qualquer escritório de imigração em Cuba (por ~ US$ 25). Os canadenses são a exceção, obtendo 90 dias na chegada e podem solicitar uma prorrogação de 90 dias. Seu passaporte deve ser válido pelo menos seis meses após o final do retorno planejado. Os passaportes canadenses devem ser válidos por pelo menos um mês após a data prevista de partida.

Do Canadá, o cartão turístico é normalmente fornecido no voo. Também pode ser comprado na maioria dos aeroportos de entrada da América Latina se partir de lá (Cancún: 250 pesos mexicanos, Cidade do México: US$ 25). Se você está vindo da Europa (isso pode se aplicar a outros países), você precisa ter o visto antes de embarcar no avião. Às vezes, a companhia aérea fornece isso no aeroporto, mas verifique primeiro se é esse o caso. Sem um visto válido, o embarque será negado (caso contrário, a companhia aérea receberia uma multa de US$ 1.000 das autoridades de imigração cubanas).

Seu visto será carimbado na chegada a Cuba e deve ser mantido em sua posse para ser carimbado quando você sair do país. Há uma taxa de aproximadamente US$ 25 para substituir um visto perdido. Os turistas regulares que renovam seu visto de 30 dias têm o direito de partir do país (para qualquer destino) e retornar imediatamente com mais 60 dias (30 dias mais uma extensão de 30 dias). Você só tem permissão para duas estadias consecutivas desta maneira.

Cubanos[editar]

Para entrar em Cuba, os cidadãos cubanos com residência permanente em outro país precisam de um passaporte cubano válido com a devida autorização. Para obter esta autorização, o cidadão cubano deve ser reconhecido como migrante pelo governo.

A maioria dos cubanos que são cidadãos de outros países ainda precisam de um passaporte cubano autorizado para entrar no país. O governo cubano não reconhece as cidadanias que poderiam ter sido adquiridas. Isso significa que todos os cubanos são considerados cidadãos cubanos, mesmo que tenham uma cidadania diferente.

Uma exceção a esta regra são os cubanos que emigraram de Cuba antes de 1 de janeiro de 1971. Neste caso, eles podem entrar em Cuba com um passaporte não cubano e o visto adequado. No entanto, alguns consulados são conhecidos por desconsiderar essa exceção, o que faz com que os viajantes devam adquirir um passaporte cubano a um custo significativo. O consulado em Sydney, Austrália, é um dos que estão fazendo isso.

Se você quiser ficar com amigos ou família em Cuba, você deve ir com o anfitrião, dentro de dois dias após a chegada, a um escritório de migração e pagar US$ 40 por um visto familiar de 30 dias.

De avião[editar]

O Aeroporto Internacional José Martí fora de Havana é a principal porta de entrada e é servido pelas principais companhias aéreas a partir de pontos no Canadá, México e Europa. Também há voos regionais de outras ilhas do Caribe. A transportadora nacional de Cuba é a Cubana de Aviación, que conecta a ilha a um punhado de destinos no México, América do Sul e Central, Canadá e Europa. Com a flexibilização das sanções contra Cuba, voos diretos estão disponíveis de várias cidades dos EUA, incluindo Charlotte, Newark e Miami.

A partir de fevereiro de 2021, as autoridades cubanas impuseram restrições aos voos de vários destinos.

Os aeroportos são totalmente climatizados e bastante modernos em comparação com outros destinos no Caribe, oferecem bom atendimento médico em caso de problemas e geralmente são relativamente descomplicados. Sua bagagem despachada, porém, corre grande risco. É cada vez mais comum que sua bagagem seja aberta e qualquer coisa de valor removida. Isso costumava ser um problema apenas na José Martí (Havana); agora parece ter se espalhado para todos os aeroportos. Colocar objetos de valor na bagagem despachada é extremamente arriscado.

Embora Havana seja de longe o porto de entrada mais popular, também havia voos disponíveis para Santiago de Cuba a partir de alguns dos vizinhos caribenhos mais próximos de Cuba, Jamaica e Haiti. Também há voos de localidades mais distantes, como Toronto, Madrid, Paris, Milão e Roma. Santiago de Cuba está ligado ao resto de Cuba por conexões rodoviárias e ferroviárias.

A taxa de embarque está incluída na passagem aérea e não deve ser paga separadamente.

De barco[editar]

Não há serviços de balsa de Cancún para Cuba, pois a única operadora desta linha, Aqua Cruises, não navega mais nesta rota. Também não há serviços de balsa da Flórida para Cuba, no entanto, várias empresas de cruzeiros anunciaram que pretendem navegar nesta rota. A maioria dos portos está fechada e os turistas não podem passear por eles. Não há requisitos de visto. Espere distribuir várias notas de US $ 10 para facilitar sua inscrição.

Circular[editar]

O OpenStreetMap ainda tem a melhor cobertura de Cuba. Para mapas offline confiáveis, trilhas abrangentes e informações de mapa, consulte o OpenStreetMap, que também é usado por este guia de viagem e por muitos aplicativos.

De ônibus[editar]

O ônibus é a forma mais popular de se locomover na ilha. Existem duas linhas de ônibus de longa distância, Viazul, que geralmente é para turistas e Astro, que geralmente é para moradores. Distâncias mais curtas são servidas por ônibus provinciais locais. Caso você prefira usar apenas as opções de transporte locais, como ônibus, é melhor fora das grandes cidades.

Viazul[editar]

Viazul é a principal linha de ônibus para turistas em Cuba e é a escolha confortável de transporte público para passear pela ilha. Os ônibus são confiáveis ​​e pontuais, pois há pouco trânsito em Cuba. Os ônibus às vezes fazem desvios ou fazem pausas ao longo do trajeto, especialmente em restaurantes de beira de estrada ou lojas de souvenirs. Porém, Viazul não é automaticamente melhor, na verdade apenas os ônibus noturnos são muito confortáveis. Além disso, os ônibus Viazul operam com muito menos frequência que ônibus Astro. Portanto, só faz sentido usá-los em rotas de baixa frequência.

Em geral, o Viazul é cerca de 6 vezes mais caro que o Astro. A bagagem custa ~US$ 1, mas isso não significa que não ficará suja no setor de bagagens ou molhada durante a chuva.

As reservas podem ser feitas com antecedência em seu site, mas isso normalmente só é necessário ao sair ou ir para destinos populares na alta temporada. As reservas também podem ser feitas na bilheteria da Viazul (geralmente localizada no local de parada dos ônibus ou próximo a ele). As reservas devem ser trocadas por passagens de ônibus com antecedência na bilheteria.

Se o ônibus estiver cheio, é muito provável que você receba uma oferta em um táxi compartilhado pelo mesmo preço do ônibus. Se não houver táxis compartilhados indo para o seu destino, o vendedor de bilhetes provavelmente o aconselhará a chegar meia hora antes do horário de partida e aguardar o cancelamento tardio. Se houver um cancelamento tardio, você poderá comprar uma passagem com o motorista do ônibus.

Os horários do Viazul podem ser acessados ​​em seu site. Como a internet é difícil em Cuba, é recomendável fazer o download ou imprimir os horários dos ônibus com antecedência. Os lanches não são servidos no ônibus, mas os ônibus param para os intervalos das refeições em restaurantes rodoviários ao longo do caminho. Os ônibus costumam ter muito ar-condicionado, então traga algo quente para vestir.

Astro[editar]

Astro é a principal linha de ônibus dos cubanos. Astro renovou sua frota com 300 ônibus tão confortáveis ​​quanto Viazul (sem banheiro). Embora os ônibus chineses tenham provado não ser confiáveis ​​e frequentemente quebrem, eles ainda são melhores do que os ônibus antigos que o Astro costumava operar. A Astro tem uma rede muito mais extensa do que a Viazul e os bilhetes são consideravelmente mais baratos. Oficialmente, as passagens de ônibus Astro só podem ser vendidas para cubanos e estudantes estrangeiros que estudam em Cuba (e ter uma carteira de estudante cubana para provar isso). No entanto, muitos viajantes estrangeiros relataram que conseguiram comprar uma passagem de ônibus Astro. Sua capacidade de comprar uma passagem dependerá do seu fornecedor, fluência em espanhol e se o destino é coberto pela Viazul. Os ônibus Astro normalmente partem do mesmo lugar de onde sai o Viazul.

Ônibus locais[editar]

Também há ônibus provinciais locais que servem a destinos locais, como províncias vizinhas (por exemplo, de Santiago, você pode usar esses ônibus para chegar a Guantánamo). Esses ônibus costumam estar superlotados e costumam ser veículos antigos (anteriores à década de 1960) do Leste Europeu. Cada cidade terá um terminal de onde partirão estes autocarros e normalmente são muito fáceis de encontrar.

Os ônibus locais são baratos e as viagens nunca custam mais do que ~US$ 1-2 para viagens longas. Espere CUP 10 por 30-50 km ou CUP 20 por 100 km, dependendo da quantidade de tráfego ao longo da estrada.

As filas são longas (é melhor chegar de madrugada ou, alternativamente, dar uma gorjeta ao motorista para que você possa pular a fila) e você deve sempre dizer que é um estudante, pois os turistas estão proibidos de usar isso transporte.

Táxi compartilhado[editar]

Uma alternativa popular para viajar de ônibus é usar táxis compartilhados. Consistem em veículos modernos ou antigos que transportam de 3 a 5 passageiros (dependendo do tamanho do carro). A principal vantagem de um coletivo é que ele o levará até seu hotel ou casa por um preço semelhante a uma passagem de ônibus Viazul. Eles também costumam ser mais rápidos, param em restaurantes mais baratos nas rodovias e dão a você a oportunidade de conhecer os habitantes locais.

A maneira mais fácil de comprar uma corrida em um táxi compartilhado é simplesmente chegar a uma estação rodoviária principal de longa distância e procurar o próximo táxi disponível que vai para o seu destino. Haverá uma série de agenciadores tentando vender a você uma vaga no táxi de seus colegas, então encontrar um carro é bastante fácil.

O táxi só sai quando o carro atinge sua capacidade máxima, então tente encontrar um que já tenha um número de pessoas confirmadas para diminuir o tempo de espera. A melhor hora para pegar um é pela manhã, pois é quando a maioria dos habitantes locais viaja e, portanto, maximizará suas chances de encontrar um táxi indo para o seu destino. Os preços é quase a mesma de uma passagem de ônibus Viazul. Certifique-se de negociar um preço antes de entrar no carro.

Outra opção é reservar um táxi compartilhado com antecedência no balcão de informações turísticas. Esses balcões geralmente estão localizados perto da estação de ônibus Viazul e reservam um assento de táxi para o dia de sua partida. Esses táxis só funcionarão se estiverem cheios, portanto, certifique-se de verificar se há passageiros confirmados suficientes. Se o táxi não estiver cheio e você precisar viajar naquele dia, esteja preparado para pagar pelos lugares vazios, caso contrário o táxi não irá.

Alguns táxis compartilhados funcionam ilegalmente e se o motorista for parado pela polícia, você terá que sair do carro e ficará preso no meio do nada.

De carro[editar]

Yank Tanks

Cuban cars.jpg

Você encontrará um número extraordinariamente grande de carros antigos de fabricação norte-americana nas ruas. Popularmente conhecidos como "Yank Tanks", são importações pré-revolução da década de 1950 que foram usados por meio século, porque os carros soviéticos disponíveis durante a Guerra Fria eram mal alocados para a maioria dos cubanos comprar (e outros carros continuam muito caros hoje).

Em Cuba, todos os veículos circulam do lado direito da estrada. O aluguel de automóveis começa a partir de ~US$ 65 por dia (incluindo seguro) mais o custo de um tanque cheio de gasolina. Os carros de aluguel são, em sua maioria, modelos europeus ou asiáticos bastante novos, importados. Você pode alugar carros em qualquer loja Cubacar. Quaisquer multas de trânsito recebidas são deduzidas do seu aluguel.

Se você estiver envolvido em um grave acidente de trânsito com ferimentos ou morte, ficará detido em Cuba até que o processo legal resolva as coisas. Isso deixa os viajantes presos em Cuba por vários meses a um ano enquanto aguardam julgamento — mesmo que o visitante não tenha culpa ou seja apenas um passageiro no momento da colisão. Por isso, muitos países aconselham seus cidadãos a não alugar carros em Cuba. Cuidado com as fraudes relacionadas ao custo do seguro. Existe apenas um tipo de apólice de seguro que cobre tudo (exceto rádio e pneus) e o preço varia apenas dependendo do tipo de carro (detalhes na seção #Fique seguro). Verifique atentamente o contrato e certifique-se de ter um recibo.

As estradas mais movimentadas e as ruas da cidade são geralmente de qualidade razoável e não devem representar muitos problemas se o devido cuidado for tomado, no entanto, algumas estradas rurais tranquilas precisam de reparos sérios.

Geralmente o tráfego é leve, especialmente longe de Havana. Esteja avisado — você também compartilha as rodovias com vendedores de queijos e salgadinhos, ciclistas (às vezes indo na direção errada e à noite geralmente sem luzes) e veículos puxados por cavalos. A autopista (a principal rodovia que atravessa o centro do país) é atravessada em intervalos ocasionais por trilhos de trem — tome cuidado para reduzir a velocidade antes de passar para evitar danos aos pneus ou suspensão. Muitos têm um sinal de pare que você deve prestar atenção — ou corre o risco de uma multa de ~US$ 30, mesmo se nenhum trem estiver chegando.

As estradas são mal sinalizadas (e frequentemente nem um pouco), portanto, se você planeja dirigir muito, é aconselhável obter um mapa detalhado e pedir informações quando não tiver certeza. Os cubanos tendem a não dirigir muito rápido e é provável que você seja o carro mais rápido na estrada. Geralmente, os limites de velocidade estão posicionados nos cruzamentos e sinalizados com alguns quilômetros de antecedência. A maioria exigirá que você diminua a velocidade para 40 km/h. Respeite ou seja multado em ~US$ 30.

Houve relatos de golpes envolvendo pneus furados propositalmente: Isso pode acontecer quando você estaciona seu carro em um local turístico e alguém perfura um de seus pneus ou coloca algum objeto pontiagudo próximo ao pneu para que ele seja perfurado assim que você sair. Dentro de algumas centenas de metros, alguém na rua irá alertá-lo sobre o pneu furado e conduzi-lo para um local onde outras pessoas irão ajudá-lo a trocar o pneu e podem até se oferecer para trocar o seu pneu por um preço elevado. A gasolina custa um pouco mais de um dólar por litro.

De carrona[editar]

O sistema do governo cubano para facilitar a carona é de longe a maneira mais econômica para os estrangeiros viajarem em Cuba, embora um horário flexível e um bom espanhol sejam obrigatórios. Conhecido como "El Amarillo" ("o amarelo") pelos uniformes bege-amarelados, o sistema consiste em veículos que são obrigados e dar carona em alguns pontos das rodovias.

Para usar o sistema dentro das cidades, apenas mantenha seus olhos atentos para um homem ou mulher em um uniforme amarelo e bege parado ao longo da estrada perto de uma fila de pessoas. Diga ao funcionário aonde você precisa ir e espere. Encontrá-los pode ser complicado e geralmente vale a pena pegar um táxi local. Se você encontrar um cubano para acompanhá-lo em sua jornada, a ajuda dele será inestimável.

Durante o dia, quando o amarillo está presente, você paga uma quantia nominal em dinheiro (aproximadamente CUP 20 de uma cidade para a outra) ao oficial. Todo o dinheiro vai para o governo; os motoristas não recebem nenhum. Como resultado, é muito mais fácil viajar longas distâncias à noite, quando o amarillo foi para casa e os motoristas podem ganhar algum dinheiro pegando caronas.

Claro, sempre é possível pegar carona apenas mostrando o polegar para os carros que passam, mas esteja preparado para dar ao motorista CUP 20-50 para uma longa viagem. Isso é comum no interior e ao longo das principais autopistas, que são estradas longas e em sua maioria retas. Os locais referem-se à carona como hacer botella, literalmente "fazer uma garrafa" (polegar para cima como pedir uma garrafa em um bar).

A maioria dos passeios que você fará será na parte de trás de grandes caminhões, abertos às intempéries. Esta é uma maneira emocionante e bonita de viajar pelo interior cubano. Embora um acidente seja obviamente muito perigoso para passageiros, crianças em idade escolar, adultos mais velhos e pais com crianças pequenas usam este sistema todos os dias. Certifique-se de trazer proteção contra sol e chuva e, se viajar à noite, vento e frio.

De trem[editar]

A principal linha de trem do país circula entre Havana e Santiago de Cuba, com paradas principais em Santa Clara e Camagüey. Há um trem confiável em Cuba: o Tren Francés noturno entre Havana e Santiago de Cuba, que funciona em dias alternados. Se houver apenas um trem em Cuba, será este.

Todos os outros trens em Cuba não são confiáveis. O equipamento costuma estar em más condições, quebras são comuns e, quando elas ocorrem, você pode ficar preso durante a maior parte do dia (ou da noite) esperando a troca do motor. Não há serviços nos trens, então traga comida e água com você. Os trens são frequentemente cancelados.

Muitos cubanos preferem pegar carona a pegar o trem. Os estrangeiros devem pagar tarifas mais altas do que os locais. Os ingressos custam cerca de dois terços do valor que a Viazul cobra. O roubo é um problema, por isso tome cuidado com a sua bagagem!

De avião[editar]

A maneira mais rápida e confortável de cobrir distâncias maiores é com uma das companhias aéreas cubanas, Cubana de Aviación ou Aerogaviota.

De bicicleta[editar]

Estradas calmas e belas paisagens fazem de Cuba um país ideal para andar de bicicleta. De janeiro a fevereiro, você pode ter certeza de que encontrará pelo menos alguns ciclistas de turismo. Se for viajar por conta própria, você terá que trazer sua própria bicicleta, pois bicicletas adequadas não estão disponíveis em Cuba. No entanto, grupos de cicloturismo terão bicicletas de qualidade moderada incluídas no pacote. Sob nenhuma circunstância alugue uma bicicleta em Cuba, pois você receberá péssimas opções.

As estradas na maioria dos lugares em Cuba são razoavelmente pavimentadas. Buracos grandes são comuns, portanto, fique sempre alerta. Existem também muitas estradas que se degradam, então pode ser uma boa ideia trazer uma mountain bike ou bicicletas com rodas razoavelmente grossas. Certifique-se de trazer todas as peças de reposição que possa precisar ao longo do caminho, pois elas não estarão disponíveis em Cuba.

Como casas particulares estão disponíveis mesmo em cidades relativamente pequenas, é fácil planejar um itinerário. Em partes mais densas do país (centro e oeste de Cuba), você pode razoavelmente supor que haverá acomodações a cada 20 km entre as grandes cidades. Comida para viagem pode ser obtida localmente por pesos cubanos baratos, a maioria das cidades pequenas tem pelo menos um sanduíche ou uma pizzaria. No entanto, certifique-se de carregar comida (e água!) suficiente se viajar por áreas mais remotas. A obtenção de água engarrafada fora das grandes cidades pode ser um problema definitivo. Embale comprimidos de iodo como uma alternativa segura.

Os motociclistas costumam ser recebidos com entusiasmo e interesse; ao fazer uma pausa, você será frequentemente abordado por habitantes locais curiosos. Você verá muitos cubanos se oferecendo para comprar sua bicicleta ou perguntando se ela ficará para trás. É possível levar bicicletas em um ônibus turístico, como o Viazul, para percorrer distâncias maiores. Algumas rotas de ônibus Viazul cobram um valor extra de ~US$ 3-5 para o transporte da bicicleta. Também é possível levar bicicletas nos trens e até mesmo pegar carona com bicicletas.

De barco[editar]

Existem dois grupos principais de ilhas para explorar ao longo da costa sul de Cuba.

Faça[editar]

Parte interna do Grande Teatro de Havana
  • Caminhe ao longo do Malécon de Havana durante o início da noite e aprecie um pouco da cultura de Havana. Tenha cuidado no entanto.
  • Se você tiver o dinheiro (geralmente cerca de US$ 60 ou o equivalente em euros), vá ao Tropicana, que é um antigo ponto de encontro da máfia pertencente e operado pelo Estado. O Tropicana está localizado, como sempre esteve, no fundo de uma área estrategicamente arborizada com uma estrada estreita dentro da cidade, atrás das árvores, e como seu preço de entrada é muito caro para qualquer cubano médio, o povo quem vai lá são quase todos os turistas internacionais. O clube ainda mantém tradições antigas, como serviço de mesa, fantasias suntuosas, luzes deslumbrantes, etc. Charutos reais (mas bem pequenos) também estão disponíveis e podem ser fumados dentro do local, inclusive perto do palco. O Tropicana é tão bem cuidado que é quase um túnel do tempo (com exceção do equipamento de palco moderno e a falta de exigência da vestimenta)
  • Visite uma apresentação de dança afro-cubana de bairro, que existe em quase todos os bairros.
  • Experimente a música local, que existe em quase todos os bairros. Vá aos clubes, todos eles tocam fortemente coisas como reggae cubano e rap cubano.
  • Vá às praias — mas tome cuidado, como na Jamaica, para não ser solicitado por prostitutas e vigaristas, tanto homens quanto mulheres.
  • Vá para o campo e converse com os fazendeiros. Verifique os mercados da área. Existem dois tipos de mercados — mercados administrados pelo Estado, que fornecem alimentos muito baratos e mercados onde os agricultores vendem seus produtos diretamente, o que, claro, é um pouco mais caro.
  • Visite algumas pequenas cidades. Cada pequena cidade cubana segue aproximadamente o mesmo padrão, um parque central com sua homenagem a José Marti, o centro cultural local, uma, duas (ou nenhuma) casas particulares e o museu municipal. Os museus são geralmente pequenos edifícios com artefatos que cobrem toda a história da região (da população indígena pré-Colombo à revolução de Castro e um pouco mais).
  • Beba muito suco de frutas frescas, o que é muito comum em Cuba devido à abundância de frutas frescas.
  • Visite o mausoléu de Che, onde estão as cinzas de Ernesto Guevara.
  • Caminhe pelas ruas e experimente o resultado de uma vasta mistura cultural.

Compre[editar]

Dinheiro[editar]

Capitólio do Estado de Cuba (El Capitolio) em Havana

Em 1 de janeiro de 2021, o "sistema de moeda dupla" de Cuba foi eliminado. Todas as transações serão realizadas com "moneda nacional", ou seja, pesos cubanos (CUP). Os pesos cubanos conversíveis (CUC), que tinham sido usados ​​para a maioria dos serviços de turismo e para bens importados, foram eliminados em junho de 2021.

Os visitantes podem trocar uma série de moedas estrangeiras em casas de câmbio que estão localizadas em aeroportos, hotéis e nas principais cidades. Bancos também trocam moedas estrangeiras e estão localizados na maioria das grandes cidades. Tanto as casas de câmbio quanto os bancos aceitam várias moedas estrangeiras, sendo as mais populares dólares canadenses e americanos, libras esterlinas e euros. Pesos mexicanos, francos suíços e ienes japoneses também podem ser aceitos por alguns bancos em Cuba. Uma taxa padrão de 3% é cobrada em todas as operações de câmbio (o imposto de 10% sobre as transações em dólares americanos foi eliminado em julho de 2020).

As moedas aceitas pelos bancos e as taxas de câmbio indicativas estão listadas no site do Banco Central de Cuba. Se você possui uma moeda que não pode ser trocada em Cuba, você deve primeiro trocar sua moeda local por uma que seja aceita e, em seguida, trocar novamente pela moeda cubana. Dar o primeiro passo em casa provavelmente será a opção mais fácil e econômica.

Ao trocar de moeda, traga seu passaporte para identificação (e o endereço de onde você está hospedado, pois isso às vezes é solicitado). Se você estiver usando um cartão de crédito ou débito, o nome no cartão deverá coincidir com o nome no passaporte, caso contrário, eles não aceitarão o cartão. Esteja preparado para longas filas em casas de câmbio e bancos, bem como horários estranhos de abertura e fechamento. As instalações de câmbio em resorts e hotéis costumam oferecer taxas piores do que os bancos e casas de câmbio da cidade. Por fim, não troque a moeda na rua.

A partir de janeiro de 2021, os empreendedores privados, pequenas lojas, restaurantes e táxis privados recebem dólares americanos em cédula a uma taxa não oficial de 40 CUP por dólar. Negociar no mercado negro acarreta riscos de fraude, roubo ou prisão.

Os cheques de viagem sacados em bancos estadunidenses não são válidos em Cuba, embora algumas pessoas tenham tido sucesso em grandes hotéis. Os cheques American Express são difíceis de descontar devido à probabilidade de terem sido comprados em dólares americanos. O salário local mensal é inferior a €50/mês. Por isso, tendem a se esforçar para oferecer um bom serviço em hotéis, bares, cafés e restaurantes. Muitos confiam em gorjetas para complementar sua baixa renda, portanto, mesmo uma gorjeta de US$ 1 costuma ser suficiente para fazer a diferença.

Caixas eletrônicos[editar]

Muitas casas de câmbio e bancos têm facilidades com cartão de crédito e débito, onde podem debitar de sua conta e/ou trocá-la por dinheiro. Caixas eletrônicos são relativamente raros em Cuba, mas podem ser encontrados na maioria das cidades maiores. Os cartões emitidos nos EUA e os cartões MasterCard não funcionam em nenhum caixa eletrônico em Cuba.

Os caixas eletrônicos aceitam Visa (não emitido nos EUA, é claro) e às vezes UnionPay. Mas embora o seu cartão possa ser aceito, os caixas frequentemente quebram ou não têm dinheiro suficiente para um saque grande (se recusado, tente um valor menor). Além disso, apenas contas primárias são reconhecidas, portanto, certifique-se de que seus fundos não estejam em uma conta secundária vinculada ao cartão.

Mercadoria[editar]

Como em qualquer país em desenvolvimento, a maior parte das mercadorias disponíveis é destinada aos turistas para levar para casa. As maiores exportações cubanas para os turistas são rum, charutos e café, todos disponíveis em lojas do governo ou nas ruas. Os cubanos também se saem bem na criação de músicas como salsa e afro-cubano. Você pode comprar CDs ou fitas em qualquer lugar, mas pagar o equivalente a US$ 20 garante a qualidade.

Se você está planejando levar grandes quantidades (várias caixas ou mais) de charutos com você, certifique-se de tê-los comprado oficialmente em uma loja aprovada que forneça a documentação de compra adequada. Os estrangeiros podem exportar até 50 charutos (geralmente 25 por caixa) sem licenças ou recibos especiais, mas a exportação de mais requer recibos oficiais. Se você comprar charutos baratos nas ruas e não tiver a fatura da compra, seus charutos podem ser confiscados.

Além disso, qualquer compra de charutos cubanos fora das lojas aprovadas pelo governo (mesmo em resorts) tem o potencial de ser falsa. Se você encontrar um "negócio" de um vendedor ambulante, é muito provável que esteja recebendo falsificações, alguns podem nem mesmo ser feitos com tabaco. Certifique-se sempre, não importa onde você compre, que o selo de garantia de origem do governo cubano está devidamente afixado na caixa de charutos.

Desde 2014, os visitantes licenciados dos EUA em Cuba estavam sendo autorizados a importar US$ 400 em mercadorias de Cuba, dos quais não mais de US$ 100 poderiam consistir em produtos de tabaco e álcool combinados. Essas restrições foram relaxadas ainda mais em 2016, mas trazer de volta charutos ou rum para revenda continua proibido. Como a situação está mudando, é melhor verificar os limites atuais com antecedência.

Oficialmente, você precisará de permissão para exportar pinturas maiores que 70 cm. Quando você compra uma obra de arte em uma loja aprovada, eles também fornecem o documento necessário, que consiste em um papel e um selo que será colado no verso de sua pintura. Os números de série do selo e do papel devem coincidir. O custo do documento é de cerca de US$ 2-3. Na realidade, é possível que ninguém se interesse por suas pinturas.

Turismo médico[editar]

Cuba é há muito tempo um destino popular de turismo médico para pacientes em todo o mundo que procuram atendimento médico de alta qualidade a baixo custo. De acordo com a Associação de Estados do Caribe, cerca de 20.000 pacientes internacionais visitaram Cuba em 2006 para atendimento médico. Cuba é especialmente atraente para muitos pacientes latino-americanos e norte-americanos devido à sua fácil proximidade e ambiente relaxante.

Uma ampla gama de tratamentos médicos é fornecida, incluindo substituição de articulações, tratamento de câncer, cirurgia ocular, cirurgia estética e reabilitação de vícios. Os custos são cerca de 60-80% menores do que nos EUA.

Coma[editar]

A comida cubana baseia-se na excelente qualidade em frutas e verduras a um preço acessível para todos os viajantes. Certifique-se de começar o dia com sucos naturais que serão oferecidos em restaurantes, casas ou dos vendedores de rua, e ter a oportunidade de conhecer mil maneiras de cozinhar a mandioca, banana, etc. Igualmente interessante é a contribuição para a dieta diária de arroz e feijão, que servirá como um acompanhamento de quase tudo, em qualquer local. No entanto, a qualidade da carne e peixe é bastante diferente. Peixes, crustáceos e moluscos de água quente e seu sabor e textura sempre deixa muito a desejar. Cubanos são completados com grandes doses de imaginação quando cozinhar molhos diferentes. Praticamente o mesmo vale para a carne, cuja qualidade não é ruim, mas é muito difícil encontrar. Na maioria das vezes a sua dieta é de frango ou de porco. O viajante pode comer em hotéis, restaurantes e casas, chamadas de paladares. É mais barato comer em Cuba. Em Havana terá a oportunidade de experimentar uma pizza, comida oriental, doces. Nesse caso, você ainda pode encontrar lugares baratos, embora muito simples, e freqüentado por cubanos. Se o visitante tem planos de viajar em toda a ilha, não hesite em aceitar os pequenos-almoços e jantares serão oferecidos em casas particulares onde está hospedado.

Beba[editar]

A água engarrafada é vendida em todo o país, onde um litro vai custar cerca de US$ 0,80-1,20. Você pode comprar uma garrafa de 5 litros por ~US$ 1,90 e transferi-la para garrafas menores. Os coquetéis nacionais cubanos incluem o Cuba Libre (rum e cola) e o Mojito (rum, limão, açúcar, folhas de hortelã e gelo).

Havana Club é a marca nacional e a mais popular de rum. Espere pagar US$ 4 por rum branco de três anos ou US$ 8 por rum escuro de sete anos. Os cubanos preferem a cerveja Bucanero Fuerte, que possui 5,5% de álcool (daí o "fuerte"). As cervejas Cristal e Bucanero são fabricadas por uma joint venture do Canadá. Uma versão mais forte, Bucanero Max, também está disponível — principalmente em Havana. Existem também cervejas menores, não disponíveis em todos os lugares, como Hatuey e Corona del Mar.

Existem dois tipos de estabelecimentos que você pode ir para beber em Cuba: bares de estilo ocidental com preços quase ocidentais, uma boa seleção de bebidas de qualidade (e às vezes comida), decoração bonita e muitas vezes música ao vivo, normalmente encontrado em pontos turísticos, como a Havana. Aqui, você encontrará principalmente outros turistas, ou seja, não espere uma experiência "local".

A alternativa é procurar bares de bairro onde você possa escolher entre uma seleção de bebidas de qualidade, mas limitada (principalmente rum produzido localmente em garrafa, cerveja e refrigerantes, muito raramente você conseguirá coquetéis como mojitos), charutos duvidosos e cigarros de qualidade apenas um pouco melhor e, às vezes, lanches. Bares locais são muito baratos. Os funcionários dos bares locais são funcionários públicos e recebem uma ninharia. Esses bares também são uma boa maneira de conhecer os locais, que podem até se abrir um pouco e falar sobre suas vidas depois de alguns drinques.

Os bares locais não são tão difíceis de encontrar, apesar de normalmente não terem placas proeminentes exibidas do lado de fora. A decoração é geralmente escassa e a música geralmente moderada. Eles são uma experiência fascinante, especialmente se você se esforçar para falar com alguns habitantes locais, e fornecem uma boa visão da vida dos cubanos comuns sem acesso a muito dinheiro. Como visitante estrangeiro, você será geralmente bem-vindo. Discutir política enquanto bebe é uma proposta complicada.

Durma[editar]

Casas particulares[editar]

Se você quiser experimentar um pouco da vida real dos cubanos, os melhores lugares para se hospedar são as casas particulares. Uma casa particularé basicamente um estabelecimento familiar privado que oferece hospedagem paga, geralmente por um período curto. Este tipo de estabelecimento seria mais comumente chamado de aluguel por temporada em outros países. Em geral, sob este termo, você pode encontrar apartamentos e casas completos, quartos dentro das casas das pessoas e mini-apartamentos. O negócio pode ser operado como ocupação principal ou como fonte secundária de renda, e o pessoal geralmente consiste nos proprietários da casa e seus familiares que moram lá. A maioria das casas tem ar condicionado e banheiro privativo. Muitos têm frigobar com água, cerveja e refrigerantes; e televisores. O custo dos itens do frigobar é semelhante ao cobrado em um restaurante (~US$ 1-2 para água, ~US$ 2-3 para cerveja).

Casas particulares são mais baratas do que hotéis (média ~US$ 20-30/quarto na alta temporada; ~ US$ 10-15 na baixa temporada) e a comida também (café da manhã ~US$ 4-5, jantar ~US$ 8-13). Casas particulares são abundantes, mesmo em cidades pequenas; elas são um pouco mais caras em Havana do que em qualquer outro lugar. Qualquer serviço prestado por uma casa particular que não seja o alojamento, como o transporte até ao terminal rodoviário, será adicionado à sua conta, independentemente de ser previamente declarado. Itens como água mineral fornecida com a refeição também terão um custo adicional. Sempre certifique-se de falar com o proprietário sobre quanto custarão as coisas quando você chegar, para evitar surpresas desagradáveis ​​mais tarde. Estas casas estão sujeitas a muitas restrições por parte do governo, por isso certifique-se de que está hospedado numa "casa" legal. Uma casa legal terá um adesivo na porta da frente. Após a chegada, o proprietário da casa precisará anotar os dados do seu passaporte e por quanto tempo você ficará hospedado. Alguns cubanos oferecem acomodações ilegais e, embora sejam mais baratas, a qualidade da comida e do serviço geralmente é inferior. Se forem encontrados, os cubanos correrão o risco de uma grande multa e é melhor evitar completamente as casas ilegais.

Se for viajar pela ilha, é recomendável perguntar aos donos da casa se eles têm amigos ou família na cidade para onde vai. Há uma rede de casas e a família terá o prazer de organizar para que você seja recebido por seus amigos na saída do ônibus em seu próximo destino. Porque a maioria das casas particulares são pequenas, raramente com espaço para mais de cerca de 5 a 6 pessoas, é aconselhável fazer reservas com bastante antecedência da data da viagem. Muitas casas particulares pertencem a associações, são descritas em vários livros e guias de viagem. Alguns permitirão que você reserve acomodação pela internet antes de sua viagem. Normalmente você pode fazer uma reserva ligando antecipadamente no telefone da casa ou em um telefone público. Desde meados de 2016, o governo dos EUA permitiu que a Airbnb listasse acomodações em Cuba.

Para obter as melhores tarifas é só chegar em um lugar e bater na porta para ver o quarto e perguntar o preço. Se você não gosta de nenhum deles, vá para a próxima porta. Cada cidade e cada vila tem casas demais para os poucos turistas que vêm. Devido aos impostos que os proprietários das casas têm de pagar ao governo, o preço mais baixo por um quarto é de aproximadamente US$ 15 na alta temporada; ~US$ 10 na baixa temporada. Alguns podem pedir que você faça pelo menos uma refeição em sua casa para ter um preço barato. Se você estiver viajando de ônibus, às vezes será recebido por proprietários de casas na rodoviária que lhe apresentará fotos do quarto que oferecem. Eles provavelmente aceitarão diárias de ~US$ 15, até mesmo café da manhã por ~US$ 2 e jantar por ~US$ 5. Combine um preço e depois vá com eles, pois todas as casas têm quase o mesmo padrão. Mas cuidado com os jineteros (traficantes).

Os cubanos hospedar estrangeiros de graça é ilegal e correm o risco de uma grande multa se forem pegos. Em algumas cidades as autoridades locais determinaram que as casas particulares representariam uma ameaça para a indústria hoteleira e aprovaram uma legislação que impõe regulamentos e limites à indústria, proibindo a operação desses estabelecimentos.

As acomodações podem declarar que fornecem Wi-fi, mas um token de internet deve ser adquirido. Consulte a seção #Conectar.

Hotéis[editar]

A maioria das cidades pequenas e grandes tem pelo menos um hotel administrado pelo Estado, que geralmente fica em um prédio colonial restaurado. Os preços são de US$ 25-100, dependendo do que você está recebendo. Resorts e hotéis sofisticados em Havana podem ser significativamente mais caros.

Trabalhe[editar]

O salário oficial médio dos cubanos é de cerca de US$ 15 por mês. Os não cubanos só podem obter um visto de negócios/trabalho ou uma autorização de trabalho por meio de uma empresa cubana ou estrangeira registrada em Cuba. Os vistos de negócios geralmente duram até três meses. As autorizações de trabalho são renováveis ​​anualmente.

Fique seguro[editar]

Cuba geralmente é um país relativamente seguro. O governo pune o crime severamente. O policiamento estrito e proeminente, combinado com programas do tipo vigilância da vizinhança (conhecido como Comitê para a Defesa da Revolução, ou CDR) geralmente mantém as ruas protegidas de crimes violentos.

As leis sobre drogas são incrivelmente severas em Cuba, assim como as leis contra a prostituição e a importação, distribuição e produção de pornografia. Tenha muito cuidado ao expressar suas opiniões sobre o governo cubano e as figuras da revolução — comentários simples e inocentes sobre eles podem incomodar as pessoas.

Não tire fotos de policiais, soldados e outras figuras de autoridade sem seu consentimento. As autoridades consideram isso como espionagem. As mulheres são muitas vezes assediadas.

Golpes comuns incluem:

  • Alugar um carro em Cuba exige sua atenção. Um dos golpes relatados se refere ao custo do seguro, e é bastante caro, pois pode ser cobrado o dobro do custo real. O preço do seguro depende apenas do modelo do carro, mas o balconista pode começar a explicar a diferença entre dois ou três tipos de apólices, com custos diferentes. O mais caro tem cobertura total (exceto rádio e furto de pneus). Afirmam que o valor total não pode ser passado no cartão e uma parte deve ser paga com cédulas. Você não receberá nenhum recibo, o golpista contrata um serviço mais barato e fica com o valor adicional.
  • Charutos com desconto oferecidos por anunciantes de rua são suspeitos. Frequentemente, trata-se de produtos que foram roubados ou coletados por um longo período e são vendidos com descontos substanciais. Se você não conseguir distinguir os charutos genuínos, compre apenas nos negociantes de charutos oficiais. *Porteiros de hotéis costumam oferecer charutos não tributados (ilegais), cerca de dez vezes mais baratos do que charutos tributados. Há o risco de que a alfândega os confisque na saída, embora isso seja improvável por menos de cinquenta charutos.
  • Moradores "amigáveis" que convidam turistas a bares para uma bebida ou a um restaurante; o turista será cobrado duas a três vezes o preço normal. No centro de Havana, um truque é um jovem ou casal, a pretexto de praticar o inglês, convidar turistas para assistir a uma apresentação do "Buena Vista Social Club" (não, a maioria dos membros do BVSC já faleceu e o grupo não se apresenta em Havana há muitos anos) enquanto sugere que você vá a um bar próximo para tomar uma bebida enquanto espera o show começar.
  • Deixe o preço bem claro antes de sair em um táxi, especialmente se você não fala espanhol. Não é incomum chegar a um destino de táxi e ser solicitado a pagar muito mais dinheiro do que o combinado, sob o pretexto de mal-entendidos. O conselho é escrever o preço em um pedaço de papel e mostrá-lo à pessoa. Em Havana é importante sempre ter cuidado ao usar o dinheiro. Ao tomar um táxi, pergunte a alguém familiarizado com o sistema qual deve ser a tarifa aproximada, pois muitos motoristas tentarão definir uma tarifa artificialmente alta antes de partir. Em caso de dúvida, insista para que usem o taxímetro.
  • Frequentemente, a água é vendida nas áreas turísticas. Às vezes, essas garrafas são enchidas com água da torneira local (que pode ser venenosa) e seladas novamente. Normalmente, você pode ver essa adulteração na garrafa, mas nem sempre. Em qualquer caso, a água da torneira terá um sabor diferente da água engarrafada e deve ser evitada em todos os casos. Na verdade, a água engarrafada de verdade (o mesmo vale para refrigerantes em lata) é um luxo até mesmo para os moradores locais. Se você comprar uma muito barata provavelmente é bom demais para ser verdade.
  • Os moradores locais oferecem troca de dinheiro em um "banco local" onde os nativos podem obter as melhores taxas e pedem que você permaneça do lado de fora enquanto eles fazem o negócio, pois sua presença aumentaria as taxas. Se você der a eles seu dinheiro, nunca mais os verá.
  • Golpes de cartão de crédito são comuns, portanto, o dinheiro só deve ser retirado em hotéis ou bancos de boa reputação. O ideal é levar dinheiro consigo; Dólares americanos, euros e libras esterlinas são quase universalmente aceitos.
  • Sabe-se que alguns vendedores de loja aproveitam-se de alguns estrangeiros quando se trata de fornecer o troco: alguns são conhecidos por não dar o troco e continuar atendendo o próximo cliente, presumindo que o turista não seja capaz de falar espanhol o suficiente para questionar isso.
  • Não deixe o cartão de crédito fora de suas mãos e observe o vendedor passar o cartão na máquina. Se algo parecer estranho, não assine. Observe atentamente também os seus recibos.
  • Jineteros/jineteras são um problema nas grandes cidades e tentam vender aos turistas qualquer coisa, incluindo restaurantes, charutos, sexo e drogas. Este tipo de solicitação é ilegal em Cuba e a maioria o deixará em paz se você os ignorar ou disser "não". Se você se encontrar em uma situação com um jinetero mais implacável, diga a eles que está no país há várias semanas, que é estudante universitário e provavelmente eles o deixarão em paz.

Saúde[editar]

Cuba é considerada muito saudável, exceto pela água; até mesmo muitos cubanos fervem sua água. A melhor solução é a água engarrafada e em grande quantidade, especialmente para os visitantes que não estão habituados a temperaturas superiores a 30° C/85° F. A água engarrafada é facilmente encontrada e custa entre US$ 0,65-2 para uma garrafa de 1,5 L, dependendo da loja. A contagem de minerais da água engarrafada é bastante alta em comparação com outras partes do mundo, então se você está planejando visitar Cuba por um longo período de tempo (por exemplo, como estudante ou com permissão de trabalho), pode ser um ideia útil para trazer um pequeno filtro de água.

O leite cubano geralmente não é pasteurizado e pode deixar os visitantes doentes. Além disso, os turistas devem ter cuidado com os vegetais lavados com água da torneira. Apesar dos avisos, a maioria dos alimentos cubanos é segura para comer e você não precisa ser paranóico.

A ilha é tropical e, portanto, hospedeira uma série de doenças. Alguns recomendam várias vacinas ao planejar uma viagem a Cuba, mas a maioria dos viajantes vem com pouca ou nenhuma. Vacinas contra hepatite B e tétano são recomendadas pela maioria das clínicas de viagens. A hepatite B é geralmente transmitida por sangue direto ou contato sexual, a inoculação requer três injeções (curiosamente, a vacina contra hepatite B é produzida em Cuba para uso mundial). Geralmente a imunização contra o tétano é mais importante, uma vez que o tétano é um risco em qualquer ferida ou corte, especialmente em uma ferida suja e contaminada.

A infecção por HIV/AIDS é inferior a 0,1%, porém, como sempre, você deve ter cuidado e certificar-se de que você ou seu parceiro use preservativo. Cuba tem um dos maiores números de médicos per capita disponíveis no mundo (cerca de um médico para cada 170 pessoas), tornando os médicos facilmente acessíveis em quase toda a ilha. A recepção do seu hotel deve ser capaz de indicar o médico mais próximo (são tantos os médicos em Cuba que não é incomum ver médicos vendendo pinturas, livros ou outras obras de arte para turistas para ganhar dinheiro para complementar seus pequenos salários).

Encontrar alguns medicamentos, entretanto, costuma ser difícil. É altamente recomendável estocar medicamentos sem receita antes de ir para Cuba, pois as farmácias não têm muitos medicamentos que os ocidentais podem esperar encontrar, como aspirina e ibuprofeno. Não tente importar drogas psicoativas para Cuba. Havana também possui uma clínica (e pronto-socorro) para estrangeiros, que oferece um atendimento extremamente rápido. Clínicas semelhantes estão disponíveis em outras grandes cidades, como Cienfuegos.

Produtos de higiene pessoal como shampoo, condicionador, lâminas de barbear, tampões e preservativos também são difíceis de encontrar e são caros, então faça um estoque antes de visitar. As cidades maiores, especialmente Havana, têm o ar muito poluído por causa de carros antigos e fábricas. Isso causará problemas respiratórios em alguns visitantes.

Respeite[editar]

Fachada da Catedral de la Virgen María de la Concepción Inmaculada de Havana, Cuba

Os cubanos são geralmente pessoas amigáveis ​​e prestativas. Eles ganham cerca de US$ 15 por mês: se podem ajudá-lo, provavelmente o farão, mas podem esperar que você retribua o favor. Se você for convidado para jantar na casa de um cubano, aceite o convite. Você realmente será tratado como um convidado de honra. É uma ótima maneira de sentir a cultura. É claro que os cubanos comuns não têm permissão para hospedar esse tipo de evento, mas é algo natural.

Em comparação com outros países da América Latina, os cubanos geralmente são mais diretos. Evite ter discussões políticas ou perguntar mais sobre a política local; você pode facilmente incomodar os cubanos, mesmo que suas intenções sejam boas.

Os turistas são considerados "carteiras ambulantes" por muitos habitantes locais que trabalham no turismo (especialmente motoristas de táxi e vendedores de mercadorias); se você não é fluente em espanhol, esteja preparado para dizer constantemente "no quiero", "no habla español" ou variações dos mesmos.

Uma maneira de ajudar os cubanos locais é ficar em casas particulares e comprar de vendedores ambulantes. Embora a livre iniciativa seja geralmente proibida, há vários anos o governo começou a vender licenças caras para pessoas que queriam alugar quartos em suas casas ou montar algumas mesas em suas varandas e cozinhar em suas cozinhas. Além das licenças serem muito caras, as taxas devem ser pagas mensalmente, independentemente da receita, deixando os menos afortunados com a possibilidade de perder dinheiro.

Cuba é tradicionalmente católica, mas o governo muitas vezes reprime as demonstrações de fé. No entanto, tem sido menos desaprovado desde a visita do Papa João Paulo II e há questões mais importantes a serem tratadas. Outras religiões em Cuba são religiões híbridas, misturando elementos do catolicismo com outras religiões tradicionais africanas. O mais comum é chamado de "Santeria" e seus padres podem ser reconhecidos pelos trajes brancos e colares. Mulheres em processo de se tornarem padres não podem (entre outras coisas) tocar em outras pessoas, então se a dona de sua casa está distante e toda vestida de branco, não se surpreenda. Existem muitos museus em Cuba (especialmente nas cidades do sul como Santiago de Cuba) que retratam a história e as tradições da Santeria.

Conectar[editar]

Cuba é, por definição, um dos lugares mais caros e difíceis de se comunicar. Como a internet não está disponível em Cuba, é melhor se preparar para uma vida offline. Isso inclui baixar horários de ônibus, endereços de quaisquer hotéis e artigos do Wikivoyage.

A internet é caracterizada por uma largura de banda limitada, censura e alto custo. Os cubanos comuns tinham acesso à internet de casa em 2017 e por 3G sem fio em 2018, mas o custo continua proibitivo para muitos (US$ 7-30 por mês para 600 MB-4GB de dados móveis, quando a maioria dos cubanos ganha US$ 30-50 por mês).

A conectividade com a internet é fornecida pela empresa estatal de telecomunicações ETESCA (sob a marca Nauta) e está disponível em muitas praças e parques públicos (mesmo em muitas cidades pequenas em todo o país), aeroportos e hotéis de luxo. Como o WiFi grátis é um sistema relativamente novo, ele não se espalhou por toda a ilha. Se você estiver visitando cidades pequenas e não turísticas, não espere que haja um centro de comunicação pela internet.

À noite, entre 20:00 e 22:00, a INTERNET tende a ser bastante lenta, pois todos estão tentando se conectar. Antes de se conectar ao Wi-Fi, você precisará comprar uma raspadinha pré-paga. A principal forma de comprar um cartão é no centro de comunicação do governo, que exibe a marca ETESCA. O custo de uma raspadinha de 1 hora é de ~US$ 2, também existe uma raspadinha de 5 horas por ~ US$ 10. Se desejar adquirir mais de uma, traga documento de identidade com foto, pois o funcionário precisará anotar seus dados.

Você também pode comprar um cartão Nauta em um hotel de luxo. O preço desses cartões varia de hotel. Como alternativa, também existem vendedores não oficiais na rua ou em pequenas lojas discretas que vendem os mesmos cartões de internet Nauta. Os preços desses cartões são altos em comparação com o centro de comunicação, entretanto, quase todos aceitarão ~US$ 3 após uma pequena negociação.

Depois de comprar o cartão, basta conectar-se ao hotspot, raspar o cartão para revelar o nome de usuário e a senha e inseri-los na tela de login do Nauta (que deve aparecer automaticamente). Se a tela de login não aparecer automaticamente (comum em alguns telefones e laptops), digite 1.1.1.1 em seu navegador e a tela Nauta aparecerá.

Quando a hora terminar, a internet irá parar de funcionar e você precisará inserir o nome de usuário e a senha de um novo cartão. Se você não quiser usar a hora inteira do cartão, certifique-se de encerrar a sessão. Isso pode ser feito inserindo 1.1.1.1 em seu navegador e clicando no botão "Encerrar sessão".

Telefone[editar]

O código do país para Cuba é 53. O número de emergência é 116. Para usar seu telefone celular em Cuba, você precisará ter um telefone GSM operando a 900 MHz. Se você planeja usar roaming internacional, certifique-se de verificar com sua companhia telefônica, pois a maioria das operadoras não oferece roaming em Cuba.

Como alternativa, você pode comprar um cartão SIM por ~US$ 111, mais seus minutos pré-pagos. Se você não tem um telefone que opera a 900 MHz, pode alugar um telefone em várias lojas em Havana, incluindo uma no aeroporto. As taxas são de ~US$ 9 por dia (~US$ 6 para o telefone e ~US$ 3 para o cartão SIM).

Se você planeja ficar em Cuba por mais de duas semanas, pode trazer um telefone, comprar um cartão SIM e minutos pré-pagos, usá-los e depois dar o telefone a um amigo cubano ao partir. Os telefones celulares estão entre os itens mais desejados pelos cubanos. Você terá que ir a uma loja de celular com seu amigo e assinar um papel para dar o telefone a ele.

Se você usa roaming internacional, evite enviar SMSs para cubanos. É provável que se sintam obrigados a responder, o que lhes custará muito caro.


Este artigo é um guia. Ele tem informações repletas sobre o assunto abordado, mas especificações podem faltar.

Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!