Baixe o arquivo GPX para este artigo
-22.526944444444-41.945Map mag.png

Rio das Ostras

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Rio das Ostras é um município brasileiro das Baixadas Litorâneas, no estado do Rio de Janeiro.

Entenda[editar]

O município vem sofrendo impactos ambientais decorrentes da poluição de praias, rios e lagoas por falta de saneamento básico e degradação ambiental devido as ocupações ilegais em áreas de proteção ambiental (APAs) destinada à proteção e conservação dos atributos bióticos (fauna e flora). O despejo de esgoto clandestino in natura de residências e comércios vem provocando a eutrofizacao no ecossistema de maneira agressiva.

A corrupção sistêmica do município começou desde a sua emancipação político-administrativa em 10 de abril de 1992 e destruiu grande parte de Rio das Ostras que até hoje não existe nenhum tipo de saneamento básico. A falta de água potável, esgotamento sanitário, pavimentação de vias públicas e transporte público são problemas antigos e sistêmicos para um município que recebeu trilhões em royalties do petróleo.

Atualmente, grande parte da orla marítima de Rio das Ostras sofre com o avanço do mar, erosões e construções irregulares desordenadas. Na área urbana ocorre um aumento significativo de favelização, violência, desemprego e desigualdade social. A falta de saneamento básico afeta todo município.

Veja[editar]

  • Figueira centenária - Figueira centenária onde o imperador (Rei) brasileiro Dom Pedro II se sentou a sua sombra para descansar. Na mesma figueira também repousaram o presidente Getúlio Vargas, o príncipe Maximiliano (Austríaco), o príncipe Dom João Henrique (brasileiro) e a princesa Fernanda Beatriz (Francesa).
  • Casa da Cultura - casa centenária, possui valor histórico e cultural avaliado e estimado pelo Inepac. Mostra de artistas regionais no salão de exposições.
  • Museu do Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba - exposição de peças catalogadas pela época, origem e denominação em reconstituição da pré-história desta região.
  • Centro Ferroviário de Cultura de Rocha Leão - estação centenária que faz parte da linha que liga Barão de Mauá a Vitória. Centro Ferroviário Cultural de Rocha Leão.
  • Poço de Pedras do Largo de Nossa Senhora da Conceição - construído em meados do século XVIII, por mão-de-obra escrava, era a fonte de água à beira-mar, onde o povo servia-se de água para beber e lavar louça. Recuperado no ano 2000,é o resgate da memória e identidade cultural de Rio das Ostras.
  • Manguezais (Ecossistema) - grande área de reserva ecológica que se inicia perto da ponte de Costa Azul. Possui riqueza de fauna e flora marinha que vem sendo impactada por esgoto in natura despejado clandestinamente por comércios e residências.
  • Lagoa do Iriri (Lagoa da coca-cola) - lagoa com uma água escura, apelidada pelos moradores de "lagoa da coca-cola". A barragem entre a lagoa e o mar da Praia de Costazul é aberta periódicamente para o esgoto clandestino in natura despejado por residências e comércios na Lagoa do Iriri ser diluído no mar.
  • Emissário Submarino - localizado na praia de Costa Azul, o emissário de lançamento de esgotos sanitários e industriais no mar, possui um píer liberado para as pessoas onde é possível ter uma bela vista da região serrana da cidade e a prática de pesca amadora.
  • Praça do Trem e Fábrica de Bonecas - A praça do Trem e Fábrica de Bonecas foi criada através de um programa de geração e renda da Fundação Rio das Ostras. Possui showroom, um palco italiano onde são encenadas as produções da Fundação de Rio das Ostras e onde funciona o projeto de cultura em Rocha Leão para crianças e jovens.

Faça[editar]

Compre[editar]

Coma[editar]

Beba e saia[editar]

Durma[editar]

Partir[editar]

Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!