Baixe o arquivo GPX para este artigo
39.58340-8.01564Map mag.png

Pereiro

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Vista geral da aldeia do Pereiro, a partir do Outeiro da Fonte

Pereiro [1] é uma pequena aldeia no distrito de Santarém, no Ribatejo de Portugal.

Entenda[editar]

Pereiro é uma típica aldeia do concelho de Mação, no interior da Beira Baixa. Abrigada por serras e montes, tem a particularidade das suas primeiras casas (a sua maioria agora em ruínas, terem sido construídas à base de xisto, muito abundante nas redondezas. As pedreiras mais conhecidas, donde era extraído, ficavam situadas no Cabeço dos Moinhos de Vento.

A sua população vivia principalmente da agricultura e da exploração da resina e abate dos pinheiros, pois praticamente todos tinham propriedades florestais nas redondezas, embora de pequena dimensão.

Os violentos incêndios florestais que assolaram a aldeia e as terras vizinhas, por várias vezes, fizeram com que atualmente não existam pinhais e os que ainda sobreviveram, são de pequeno porte. Deixou de haver a exploração da resina e não há pinheiros em condições de gerarem rendimento nos anos mais próximos. Face a esta situação, uma grande parte conseguiu empregos fora, principalmente na zona de Lisboa.

Chegar[editar]

Se a sua deslocação é feita de automóvel, então pode aproveitar a autoestrada da Beira Interior, a A 23. Ao chegar à saída para Mação, abandone esta via e vire à esquerda na direção da sede do concelho. Aí chegado, está a cerca de 4 Kms da aldeia do Pereiro. Da autoestrada ao Pereiro são aproximadamente dez minutos de caminho.

Pode também chegar a Mação de autocarro (da Rodoviária Nacional ou de outra empresa). Para o Pereiro, facilmente encontra meio de transporte.,

Se aproveita o comboio para o seu passeio, então deve seguir pela linha da Beira Baixa e sair na estação de Alvega-Ortiga, onde apanhará meio de transporte que o levará ao Pereiro.

Circular[editar]

Se a sua visita decorrer na semana que antecede o último domingo de Agosto, de cada ano, altura em que decorrem as ruas enfeitadas em Pereiro de Mação e as festas do Pereiro (nesse fim de semana), deve circular a pé pelas várias artérias ornamentadas da terra. Estacione a sua viatura nos vários parques de estacionamento preparados para esse efeito. Se visita o Pereiro fora desse período, então pode deslocar-se pacatamente convivendo com as gentes da aldeia. Na verdade, praticamente não existem carros a circular nem outros ruídos... Só se ouve o chilrear da passarada...os moradores da povoação ainda acordam com o cantar dos galos...

Veja[editar]

Aqui se venera a Srª. da Saúde, padroeira da aldeia
Monumento pré-histórico da idade do bronze
Ponte Romana (vista do lado da aldeia do Castelo)
Ponte sobre o Ribeiro do Pereiro, concelho de Mação, na Beira Baixa.
Rua Principal, em 2011...
Andor da Senhora da Saúde passa sob o girassol gigante, no Largo do Arraial
Rua da Tapada Nova...
  • Igreja da Senhora da Saúde - Para além de percorrer e se deliciar e apreciar o trabalho daquela gente na ornamentação das ruas da sua aldeia, deve visitar a igreja em honra da Senhora da Saúde, onde é venerada a imagem da padroeira da terra e que se situa num monte que fica sobranceiro a toda a aldeia. É daí que pode usufruir de uma das mais belas vistas da aldeia.
  • Monumento pré-histórico - Deslocando-se pela E.M. 548, que liga as aldeias do Pereiro à do Castelo, pouco antes da Ribeira do Castelo, na localidade conhecida como Porto do Concelho, tem à sua direita um monumento evocativo de uma das maiores descobertas verificadas em Portugal: um achado pré-histórico da idade do bronze, na altura em que esta estrada foi construída (1943). Foi um habitante do Pereiro (já falecido), o senhor Joaquim Caratão, na altura com 19 anos de idade, que encontrou todas aquelas peças e cujo nome foi perpetuado no monumento a visitar. Esse achado era composto por 39 peças em bronze: anéis, braceletes, punhais, e partes de espadas e de machados. Tudo isto está depositado e pode ser visitado no Museu de Arte Pré-Histórica e do Médio Tejo, em Mação.
  • Ponte romana sobre a Ribeira do Castelo - Cerca de cem metros, depois do monumento antes referido, poder visitar a ponte romana sobre a Ribeira do Castelo (foto junta). É formada por dois arcos, tendo já sido objecto de recuperação, embora sem os cuidados que a mesma merecia...
  • Ponte do Ribeiro do Pereiro - Ao visitar a ponte romana antes referida, está a cerca de quatrocentos metros da ponte do Ribeiro do Pereiro. Siga a pé e aprecie uma ponte só de um arco, cuja origem não está bem definida, mas parece ser também do tempo de ocupação romana.
  • Ruas Enfeitadas - Há cerca de trinta anos, um pequeno grupo decidiu começar a enfeitar as ruas da aldeia, por ocasião das tradicionais festas anuais em honra da sua padroeira, a Senhora da Saúde. Isso acontece sempre na semana que antecede o último domingo de Agosto de cada ano. Com o decorrer dos anos, mais pessoas foram aderindo a esta iniciativa. Hoje são vinte ruas e largos ornamentados de tal forma que atraem milhares de visitantes e são tema de reportagem nos principais meios de comunicação social, inclusive da televisão que se desloca à aldeia, nessa altura do ano, para dar a conhecer um mundo de flores feitas de plástico, ao longo de um ano inteiro. Por despacho datado de 10 de Maio de 2013, o governo português, através do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), um departamento do Ministério da Justiça, reconheceu e concedeu a marca nacional registada [Pereiro de Mação - Capital da Ruas Enfeitadas]. Este fato originou uma procura ainda maior por parte dos visitantes que, vindos de todos os pontos de Portugal, têm acorrido à aldeia do Pereiro de Mação para visitar as suas ruas enfeitadas. Tome nota: em 2015, este evento tem lugar de 25 a 30 de Agosto.

Faça[editar]

Ao chegar à aldeia, deve visitar as vinte ruas e largos enfeitados pelas gentes desta terra. São mais de cento e cinquenta mil flores feitas de plástico multicor, aproveitando todos os tempos livres ao longo do ano.

Visite a igreja da Senhora da Saúde, a padroeira da localidade. Do adro da capela, aprecie a paisagem ao seu redor. Desfrute da melhor vista da aldeia a partir desse local.

Desloque-se pela Estrada Municipal nº. 548 que liga as aldeias do Pereiro e do Castelo, e visite o local dos achados pré-históricos e a ponte romana sobre a Ribeira do Castelo.

Se a sua visita acontece no último domingo de Agosto, então não deve perder o momento único das festas da aldeia: a procissão da Senhora da Saúde que percorre todas as ruas e largos enfeitados.

Eventos[editar]

Multidão entusiasmada nas festas do Pereiro de Mação...
  • Festa anual. A ligação à terra das gentes desta aldeia do Pereiro é muito grande. Um dos pontos mais fortes que gera e mantém essa ligação é a realização da sua festa anual, para a qual quase todos colaboram e é grande orgulho de todos e para todos. Acontece sempre no fim de semana do último domingo de Agosto de cada ano. Um dos pontos altos é a procissão da Senhora da Saúde, na tarde de domingo, percorrendo todas as ruas e largos enfeitados e atraindo milhares de visitantes. O andor da padroeira é transportado por dezasseis pessoas que dessa forma cumprem promessas feitas ao longo do ano, em momentos de maior aflição das suas vidas.
  • Aniversário da Associação - 20 de Abril de 1983 foi a data da fundação da Associação Desportiva e Cultural do Pereiro de Mação [2], a única associação desta terra e da qual são associados a maior parte dos naturais desta aldeia. Para comemorar esta data, todos os anos os naturais (sócios ou não) são convidados para a festa de aniversário que inclui missa pelos pereirenses já falecidos, almoço e lanche ajantarado. É um dia sempre aguardado com muita expectativa pelas gentes da terra para conviver e matar saudades da aldeia.
  • Cantar as janeiras - Um grupo de naturais da terra aposta anualmente em fazer manter a tradição de cantar as janeiras. Tradição secular desta aldeia, as janeiras são cantadas sem qualquer acompanhamento musical, percorrendo porta a porta todas as casas ainda habitadas do Pereiro. O grupo divide-se em dois, cada um a sua porta. Um canta uma quadra e o outro responde. No final, um morador da terra convida o pessoal para um convívio gastronómico e para conviverem. Os donativos revertem para ajudar a suportar as despesas efetuadas na igreja da Senhora da Saúde e para celebrar missas pelos pereirenses já falecidos.
  • Magusto do São Martinho - Diz o ditado popular que pelo São Martinho se vai à adega e prova-se o vinho. Para mantar bem viva esta tradição já antiga da terra, a Associação do Pereiro de Mação oferece todos os anos castanhas assadas e vinho a todos aqueles que comparecerem no dia marcado, normalmente no fim de semana mais próximo do São Martinho...
  • Festival dos caracóis - Num dos fins de semana do mês de Junho de cada ano, já se tornou uma tradição a realização do festival dos caracóis. São mais de cem quilos bem amanhados e temperados que, acompanhados de bebida bem fresquinha, fazem a delícia dos naturais e visitantes da aldeia do Pereiro...
  • Prova cega de vinhos - Eleição do melhor vinho da aldeia do Pereiro - Anualmente, em meados do mês e Março, a aldeia do Pereiro procede à eleição do melhor vinho produzido pelas suas gentes. Podem participar todos os produtores. Manda a tradição que as provas sejam acompanhadas pelos belos petiscos da região...Ao vencedor é entregue um diploma comprovativo das suas qualidades vinícolas e vitivinícolas...

Coma[editar]

Ao visitar esta região, não pode deixar de apreciar os famosos enchidos do concelho de Mação (a que o Pereiro pertence), nomeadamente: chouriços, morcelas, farinheiras, paios, lombo ensacado, bucho recheado, presuntos e queijos. De Janeiro a Março, prove (e coma) o melhor arroz de lampreia da Beira Baixa. Couves com feijão é um prato regional muito cobiçado e procurado nesta região do país. Não se esqueça da doçaria regional: bolos fintos, fofas de Mação (cavacas) e outros que o vão deixar de água na boca e com desejo de voltar...o mais tardar no fim de semana do último domingo de agosto, por altura das festas de verão, com as ruas enfeitadas no Pereiro...

Beba e saia[editar]

De visita a esta típica aldeia do concelho de Mação, na Beira baixa, não perca o sabor e a frescura da água da única fonte da aldeia do Pereiro. Situa-se à direita, junto às primeiras casas da terra e é uma fonte centenária. Há cerca de cinquenta anos, era o único local da aldeia onde as pessoas dispunham de água potável. Chegou a ser local de encontro de namorados (às escondidas dos pais) e hoje é procurada pelos naturais e forasteiros para levar a sua água em garrafões para os locais onde residem...

Durma[editar]

Infelizmente, o Pereiro ainda não dispõe de qualquer unidade hoteleira para pernoitar. Como está a um passo da sede do concelho (Mação), cerca de 4 Kms (cinco minutos de caminho), então faça essa deslocação e aproveite a mais conhecida casa do género: a Residencial Mansinho que, por curiosidade, é propriedade de uma pessoa natural do Pereiro.

Partir[editar]

Terminada a sua visita, se viaja de automóvel, deve dirigir-se no sentido da autoestrada A 23 onde encontra ligação para qualquer ponto do país; Se veio de comboio e é dessa forma que vai regressar a sua casa, deve dirigir-se à estação de Alvega-Ortiga e apanhar o comboio na linha da Beira Baixa, num sentido ou noutro, conforme a direção em que pretende dirigir-se. Se opta por regressar de autocarro, em Mação apanha a carreira da Rodoviária Nacional (ou de outra empresa) no sentido que necessita. Para mais informações sobre iniciativas desta terra ligue 914716164.


Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!