Baixe o arquivo GPX para este artigo
47.3238888888895.0427777777778Map mag.png

Dijon

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Broom icon.svg
Este artigo ou secção não está de acordo com nosso manual de estilo e precisa ser editado. Por favor mergulhe fundo, dê-lhe um pouco de sua atenção e ajude-o a melhorar!

Dijon é a capital da região da Borgonha.

Chegar[editar]

Dijon é talvez mais conhecida pelos brasileiros graças à sua mostarda (nomeada depois da cidade),que ainda é produzida localmente,mas é uma das cidades mais bonitas da França,e seus prédios históricos continuam intactos,quase inafetados pelas bombas da Segunda Grande Guerra.

Dijon foi por vezes a capital do Ducado da Borgonha.A Borgonha foi uma grande potência nos séculos 15 e 16,quando o ducado comandava a área correspondente ao nordeste francês,ao oeste da Alemanha,à Bélgica e aos Países Baixos.

Os duques eram grandes patrocinadores da arte,então Dijon foi um grande centro da arte gótica e do início da Renascença em todos os campos:música,pintura e escultura;isso atraía alguns dos maiores e mais famosos artistas e músicos da França,especialmente de Flandres. As músicas que os compositores deixaram como legado podem ser escutadas em qualquer lugar,mas os vestígios da arquitetura e da escultura deixaram marcos na cidade.

Hoje,Dijon é uma cidade cosmopolita,com universidades no centro e plantas industriais na periferia. O trânsito é restrito ao centro da cidade,então muitas partes de Dijon são quietas e relaxantes.

Informações Turísticas Há 3 centros de informações turísticas na cidade:

-Na estação de trem (à direita saindo da estação);

-Atrás do Palais des Ducs de Bourgogne;

-Perto da escultura Well of Moses;

Esses centros possuem mapas gratuitos do centro da cidade,incluindo um mapa e um guia com sugestão de itinerário à pé em Dijon. O itinerário à pé sugerido segue pequenos marcadores de pavimentos de bronze,que indicam pontos de referência na cidade à partir das calçadas de Dijon. Muitos dos marcadores indicam pontos turísticos icônicos da cidade e o guia apresenta informações históricas,artísticas e culturais sobre cada ponto.

Como Chegar de Trem A linha de trens de alta velocidade que cruza a França (TGV) faz viagens interligando várias cidades importantes da França,incluindo Dijon. O percurso de Paris à Dijon demora aproximadamente 100 minutos. Há também serviços de trens regulares para uma grande variedade de destinos partindo de Dijon incluindo Itália (Milão,Turim,Florença e Roma), Suíça, Luxemburgo e Bélgica.

Há também um ticket de retorno especial no Trem Expresso Regional (TER) de Paris,que é lento (demora cerca de 3 horas para chegar à Dijon) mas custa apenas 18 euros e permite você passar 24 horas em Dijon,incluindo um sábado à noite. O trem parte da Estação Paris-Bercy às 15:20,chegando em Dijon às 18:14. O retorno parte da Estação de Dijon aos sábados às 19:46,chegando em Paris-Bercy às 22:44. Você só consegue comprar esses tickets na Estação Paris-Bercy ou na Estação Paris Gare de Lyon.

Como Chegar de Avião Há um aeroporto em Dijon. Entretanto,oferece apenas voos em aviões pequenos para Bordeaux,Toulouse e Nantes,operados pela Eastern Airways,5 dias por semana,com apenas um voo diário.

Há muitas estações de TGV diretamente do centro de Dijon ao Aeroporto Charles de Gaulle em Paris;há também diversos ônibus operados pela Air France que conectam o Aeroporto Charles de Gaulle à Estação Paris Gare de Lyon,que possui trens TGV regulares em direção à Dijon.

Como Chegar de Ônibus A Eurolines conecta Dijon com as maiores cidades europeias e a TRANSCO opera na região da Borgonha.

Como Chegar de Carro Dijon é bem acessível com as estradas e rodovias da Borgonha. Note que o trânsito é limitado no centro da cidade,então você provavelmente vai querer deixar seu carro estacionado durante sua estadia em Dijon,exceto se for visitar a escultura Well of Moses,que fica na periferia da cidade.

Circule[editar]

Ande Por muitas razões,caminhar é a melhor maneira de se locomover em Dijon e principalmente no centro da cidade. Uma rede de ônibus eficiente cobre destinos mais longes.

Pedale Se você quer fugir um pouco do centro da cidade (como visitar a Well of Moses) é mais fácil e rápido usar uma bicicleta. Há três locais confiáveis para se locar uma bike em Dijon: Vélodi,La Bécane à Jules e DiviaVeló.

Transporte Público A cidade oferece Diviaciti,que é gratuito e conecta muitos destinos no centro da cidade e abrange áreas de estacionamento também. Mas fique atento,já que são mini-ônibus e normalmente estão lotados de nativos.

Se você chegar à cidade de trem,tome cuidado com os mapas de orientação da estação,porque estes podem ser enganosos,uma vez que utilizam a direção oeste e descartam a direção norte,imprescindível para se orientar em qualquer lugar do mundo.

Veja[editar]

Há um itinerário à pé na cidade,chamado de Parcours de la chouette. O percurso todo é indicado por setas e marcadores nas calçadas. O roteiro abrange 22 pontos interessantes da cidade. O livro com a descrição completa e orientações sobre as paradas está disponível nos centros de informações turísticos por 2,50 euros. Mas não é algo imprescindível.

Pontos de Referência

-A coruja (la chouette) é um ícone de Dijon,esculpida na lateral da Igreja de Notre-Dame no século 15. Histórias dizem que se você fizer um pedido e tocar a escultura com a mão esquerda,seu desejo se realizará.

-A Place François Rude (também conhecida como Place du Bareuzai) é o ponto central da cidade com bonitas casas tradicionais,uma fonte com uma escultura com um velho carrossel e muitos cafés e bares ao redor dela. Popular entre os nativos nos dias de sol.

Prédios e Estruturas

-O Ducal Palace (Palais Ducal),um bonito edifício,tem um museu que abriga em seu acervo tesouros inestimáveis e maravilhosas obras de arte que pertenceram aos duques de Borgonha. Se você não tem mais nada para visitar em Dijon,visite esse museu (Musée des Beaux-Arts).

-A Torre Philippe Le Bon no Ducal Palace é um excelente lugar em Dijon. Você pode subir seus 316 degraus para ter uma linda vista da cidade. Isto lhe custará 2,30 euros e é limitada à 19 pessoas por vez. Funciona somente em horários restritos por razões de segurança.

-O Palais de Justice (Rue du Palais),construído no século 16.

-O Auditorium (Ópera de Dijon),construção moderna da cidade.

-Les Halles,um importante mercado indoor.

Prédios Religiosos Há muitas construções religiosas na cidade com destaque para:

-A Well of Moses,um esplêndido monumento de Claus Sauter, está agora localizada na área de um hospital psiquiátrico mas pode ser visitada à qualquer hora (dentro do horário de funcionamento). Você pode ir até lá usando uma ciclovia ou um percurso à pé chamado de Coulée Verte,veja mais na seção Faça.

-A catedral (Cathédrale Sainte-Bénigne) foi construída no século 14 e é um monumento nacional.

-Notre Dame é uma igreja do século 13,famosa por seu relógio autômato,roubado em Coutrai (Bélgica) em 1383.

-A Igreja de Saint Michel,que está a leste do Palais des Ducs,foi construída dos séculos 15 à 17.

Museus A maioria dos museus da cidade possui entrada gratuita e áudio-guia em francês e inglês.

-Musée des Beaux Arts é um dos maiores e melhores museus de Dijon. Possui muitas pinturas de artistas locais e de pintores flamencos. O museu algumas vezes exibe exposições temporárias de artistas locais. A parte mais famosa é a Guard Room com tumbas;porém esta parte ficou interditada por um tempo para renovação. No andar mais superior,encontram-se obras de Picasso,Monet e Courbet.

-Musée d'Histoire Naturelle. Este museu de história natural foi montado nos jardins do Jardin de l'Arquebuse em 1860. Apresenta o reino animal em exposições temporárias e permanentes.

-Pavillon de Raines,nos jardins de Arquebuse,expõe temporariamente artigos ligados à tópicos científicos e animais.

-O planetário nos jardins de Arquebuse apresenta visões diferentes sobre astronomia.

-Musee de la Vie Bourguignonne,localizado dentro de um mosteiro bernardino,expõe uma coleção de cenas sobre a vida rural e urbana da Borgonha do começo do século 18 até os princípios do século 20.

-Musee d'Art Sacre,localizado no mesmo mosteiro bernardino,construído nos primeiros anos do século 18,abriga trabalhos de arte,esculturas,pinturas e prataria que representam a história artística da província do século 12 ao século 20.

Jardins

-Jardin Darcy é um bonito parque perto da estação de trem e um ótimo lugar para ver como os franceses desfrutam deles mesmos. (Mas antes de sentar num banco,cheque se não há nenhum pombo em nenhuma árvore acima de você). Você consegue ver o famoso urso branco de François Pompon (embora este seja uma réplica e original estar no Museu d'Orsay em Paris).

-O Arquebuse é um grande jardim,situado abaixo da estação de trem. Construído no século 18 no lugar onde os cavaleiros de Arquebuse se reuniram no século 15. Possui jardins botânicos (Jardin Botanique),o museu de história natural,o planetário e o Pavillion des Raines.

Faça[editar]

-Promenade de l'Ouche (ou Coulée Verte) é um percurso de caminhadas e ciclovias que se inicia perto do Hospital e segue o Rio Ouche até o Lago Kir. No caminho para o lago,você pode parar na Well of Moses (30 minutos de caminhada).

-Lac Kir (ou Lago Kir) é um lago artificial apenas um pouco fora da cidade. Lá,você pode caminhar ou pedalar ao redor do lago. Nos dias de sol,há muitas pessoas na praia (você pode mergulhar na água,mas ela é um pouco escura).

Compre[editar]

-A Rue de la Liberté,que conecta o leste do Place Darcy ao Palais des Ducs,é o principal ponto de compras da cidade com todos os tipos de lojas para nativos e visitantes. As Boutiques Maille (famosas pelas mostardas Maille) estão localizadas nessa rua.

-O Les Halles,um mercado indoor,tem muitas tendas de produtos frescos,carnes e frutos do mar.

Coma[editar]

Muitos dos pratos que pensamos ser tradicionalmente franceses são típicos da região da Borgonha como o famoso "coq au vin". Uma grande estratégia para comer bem em Dijon é pedir o cardápio com preços fixos,normalmente 3 pratos mais sobremesa dão uma boa noção da cozinha do restaurante.

Há 23 restaurantes com estrelas no Guia Michellin nessa área.

Econômico[editar]

  • , 1 cours Bourberain, +33 3 80 30 63 14. Um típico restaurante da cidade,com uma atmosfera acolhedora e pratos ricos em batatas,saladas e queijos. Meio caro mas serve pratos com grandes porções. Se você não conseguir comer tudo,eles oferecem serviço para viagem. Ligue antes de ir pois costuma estar cheio nos almoços de sábado.

Médio[editar]

Esbanje[editar]

Beba e saia[editar]

Dijon é bem conhecida pelo cassis,um licor doce de groselha-preta com uma cor vermelho-púrpura brilhante. Se você tem a idade legal para beber na França,uma boa pedida é o típico coquetel Kir,que leva uma mistura de cassis com vinho branco local - você pode pedir para adicionar champanhe virando um tradicional Kir Royale. Prove os vinhos brancos da região (a Borgonha é a região mais produtiva vinicolamente em toda a França. Claro que os tintos também são maravilhosos,mas os vinhos brancos de Dijon são comparados aos Chardonnay da Califórnia, afinal são todos feitos com o mesmo tipo de uva.

  • , Ruelle Quentin.
  • , 3 Rue Blairet.

Durma[editar]

Partir[editar]

Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!