Baixe o arquivo GPX para este artigo
36128Map mag.png

Coreia do Sul

Fonte: Wikivoyage
Ásia > Extremo Oriente > Coreia do Sul
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Localização
noframe
Bandeira
Flag of South Korea.svg
Informações Básicas
Capital Seul
Governo República presidencialista
Moeda Won sul-coreano (KRW)
Área total: 98.480 km
terra: 98.190 km2
água: 290 km2
População 49.044.790 (est. julho 2007)
Idioma Coreano
Religião Nenhuma 46%, cristãos 26%, budistas 26%
Eletricidade 220V/60Hz
Código telefônico 82
Internet TLD .kr
Fuso horário UTC +9


A Coreia do Sul (한국, 韓國 Hanguk) [1] é um país do Extremo Oriente.

Regiões[editar]

South Korea regions map.png
Gyeonggi
Gangwon
Chungcheong do Norte
Chungcheong do Sul
Gyeongsang do Norte
Gyeongsang do Sul
Jeolla do Norte
Jeolla do Sul
Jeju


Cidades[editar]

Mapa da Coreia do Sul

1 Seul (서울) - a dinâmica capital de 600 anos da Coréia do Sul, uma fusão do antigo e do moderno

2 Busan (부산, 釜山) - a segunda maior cidade e um dos principais portos da Coréia

3 Chuncheon (춘천, 春川) - capital da província Gangwon, cercada por lagos e montanhas e conhecida por pratos locais, dakgalbi e makguksu

4 Daegu (대구, 大邱) - uma cidade cosmopolita, rica em tradições e pontos turísticos antigos

5 Daejeon (대전, 大田) - uma metrópole grande e dinâmica localizada na província de Chungnam

6 Gwangju (광주, 光州) - o centro administrativo e econômico da área, a maior cidade da província

7 Gyeongju (경주, 慶州) - a antiga capital do Reino de Silla

8 Incheon (인천, 仁川) - segundo porto mais movimentado do país, localização do maior aeroporto internacional do país

9 Jeonju (전주, 全 州) - outrora a capital espiritual da dinastia Joseon, agora um importante centro das artes repleto de museus, templos budistas antigos e monumentos histórico

Outros destinos[editar]

Entenda[editar]

História[editar]

História antiga e fundação de uma nação[editar]

Os achados arqueológicos da fabricação de ferramentas pré-históricas na península coreana datam de 70.000 aC, e a primeira cerâmica é encontrada por volta de 8.000 aC. A cultura de cerâmica com padrão de pente atingiu o pico por volta de 3500–2000 aC.

Diz a lenda que a Coreia começou com a fundação de Gojoseon (고조선, 古 朝鮮, também chamado Ancient Chosun) pelo lendário Dangun em 2333 aC. Os registros escritos arqueológicos e contemporâneos de Gojoseon como um reino datam do século VII a IV aC. Gojoseon acabou sendo derrotado pela dinastia Han chinesa e seus territórios foram governados como quatro mandamentos. O caos político após a queda da dinastia Han na China permitiu que tribos nativas recuperassem o controle da Coréia e levou ao surgimento dos Três Reinos da Coréia (삼국 시대, 三國 時代), ou seja, Goguryeo (고구려, 高句麗), Silla (신라 , 新 ​​羅) e Baekje (백제, 百 濟). Apesar das repetidas tentativas da China, nomeadamente da Dinastia Sui e, mais tarde, da Dinastia Tang, de conquistar a Península Coreana, Goguryeo, norte do país, conseguiu repelir. Eventualmente, Goguryeo caiu para uma aliança Silla-Tang, que havia derrotado Baekje anteriormente, e unificou a Coréia sob a dinastia Silla. Uma invasão posterior pelo Tang foi repelida pelas forças de Silla, mantendo assim a independência da Coréia. Os remanescentes de Goguryeo continuariam a fundar outro reino conhecido como Balhae (발해, 渤海) no que é hoje o nordeste da China, que duraria até 926 DC, quando foi conquistado pelos Khitans.

Silla unificada foi substituída pela dinastia Goryeo (고려, 高麗, também chamada Koryo), da qual deriva o nome moderno "Coreia". Um destaque da dinastia Goryeo foi que, em 1234, o primeiro tipo móvel de metal do mundo foi inventado por um coreano chamado Choe Yun-ui (200 anos antes da imprensa de Gutenberg). Goryeo foi substituído pela dinastia Joseon (조선, 朝鮮, também chamada Chosun), após um golpe de golpe por um de seus generais. A dinastia Joseon governou a Coréia de 1392 a 1910, sendo uma das mais antigas dinastias que governam ativamente na história do mundo. Foi durante o início da dinastia Joseon que ocorreram invenções tecnológicas coreanas, como o primeiro relógio de água do mundo, navio de ferro e outras inovações. Durante o reinado do rei Sejong, o Grande, o primeiro pluviômetro do mundo foi inventado e o alfabeto coreano conhecido como hangul foi criado.

Ocupação Japonesa e divisão[editar]

A Coreia foi invadida pelos japoneses liderados por Toyotomi Hideyoshi no final do século XVI, que acabou sendo derrotado por uma aliança entre a dinastia Joseon e a dinastia Ming da China. Essa derrota e a morte prematura de Hideyoshi forçaram os japoneses a se retirarem da Coréia.

Mais tarde, o status da Coreia como um reino independente sob a esfera chinesa de influência cultural (사대 sadae) terminou em 1895 após a derrota da China na Guerra Sino-Japonesa e a assinatura do Tratado de Shimonoseki. Sob os termos do tratado, a China deveria reconhecer o rompimento do relacionamento nominal de vários séculos entre irmãos China e Coreia, trazendo ao Japão a janela de oportunidade para forçar a Coreia a sua crescente esfera de influência. Embora a relação entre irmão mais velho e mais novo entre China e Joseon fosse uma formalidade diplomática voluntária assumida pelos governantes de Joseon para receber os benefícios da cultura e do comércio chinês avançados, foi uma vitória simbólica para o Japão conseguir a quebra desse vínculo. Pôs o Japão em posição de tomar posse da Coréia, sem medo de intervenção chinesa. Em 1910, o Japão Imperial anexou a Coréia, iniciando assim uma ocupação de 35 anos no país. Apesar de inúmeras rebeliões armadas, assassinatos e resistência intelectual e cultural, a supressão e uma política de assimilação cultural que incluíam forçar os coreanos a tomar nomes japoneses e proibi-los de falar o idioma coreano permitiram que o Japão mantivesse o controle da península.

Após a derrota do Japão Imperial na Segunda Guerra Mundial, as forças soviéticas ocuparam a metade norte da Coreia, enquanto as forças dos EUA ocuparam a metade sul. As Coreias do Norte e do Sul declararam independência como estados separados em 1948. Kim Il-Sung estabeleceu um regime comunista com o apoio da União Soviética no norte, e Syngman Rhee estabeleceu um regime capitalista com o apoio dos Estados Unidos no sul. Após antagonismo de ambos os lados, a Coréia do Norte invadiu a Coréia do Sul em 1950, iniciando a Guerra da Coréia, que destruiu grande parte do país. As forças dos EUA e de outras Nações Unidas intervieram no lado da Coréia do Sul, enquanto a União Soviética e a China apoiaram o Norte. Um armistício foi assinado em 1953, dividindo a península ao longo de uma zona desmilitarizada, depois que a guerra atingiu um impasse, sem ganhos territoriais significativos alcançados pelos dois lados. No entanto, como nenhum tratado de paz foi assinado, as duas Coréias tecnicamente permanecem em guerra entre si até hoje.

República da Coreia

Apesar de inicialmente ter sido superada economicamente por seu rival do norte, a Coreia do Sul finalmente emergiu das cinzas da Guerra da Coreia e alcançou um rápido crescimento econômico a partir da década de 1960, sob o governo do presidente Park Chung-hee. Como um dos tigres do leste asiático, os esforços de industrialização e modernização da economia sul-coreana ganharam força nas décadas de 1980 e 1990, e a renda per capita aumentou 20 vezes a da Coréia do Norte. Em 1996, a Coréia do Sul ingressou na OCDE. Hoje, a Coréia do Sul é uma economia industrializada e desenvolvida com algumas das principais empresas de alta tecnologia do mundo, como Samsung e LG.

A demanda por maior liberdade de expressão e direitos humanos levou a manifestações em todo o país que levaram a eleições democráticas em 1987, pouco antes da capital sul-coreana de Seul, sediar os Jogos Olímpicos de Verão de 1988.

A Coréia do Sul é agora uma democracia liberal e uma potência econômica. O processo de paz com o Norte ainda está em andamento em um ritmo glacial, com poucos sinais de que o status quo mudará em breve. Em 2012, o país elegeu sua primeira mulher presidente, Park Geun-hye, embora tenha sido dramaticamente expulsa do poder em 2017, após manifestações generalizadas sobre suposta corrupção que envolvia conexões pessoais e as maiores empresas da Coréia.

O fenômeno cultural conhecido como Onda Coreana (한류 hallyu) varreu a maior parte da Ásia e muitas outras partes do mundo, como o cinema, televisão, música, comida e outros aspectos culturais da Coréia do Sul se tornaram populares.

Chegar[editar]

  • Brasileiros não precisam de visto para visitar o país.

De avião[editar]

  • De São Paulo, três voos semanais pela Korean Air
  • Voos indiretos: de São Paulo, pela Air France (via Paris), British Airways (via Londres), KLM (via Amsterdão), Lufthansa (via Frankfurt e Munich a Seoul e Busan), Emirates Airlines (via Dubai), Turkish Airlines (via Istambul), Qatar Airways (via Doha); do Rio de Janeiro, pela Air France (via Paris), British Airways (via Londres), KLM (via Amsterdão), Lufthansa (via Frankfurt) e Emirates (via Dubai); de Lisboa, pela Air France (via Paris), British Airways (via Londres), KLM (via Amsterdão), Lufthansa (via Frankfurt e Munich à Seoul e Busan) e Finnair (via Helsinki)

De barco[editar]

De carro[editar]

De autocarro/ônibus[editar]

De comboio/trem[editar]

Circular[editar]

De avião[editar]

De barco[editar]

De carro[editar]

De autocarro/ônibus[editar]

De comboio/trem[editar]

Fale[editar]

  • A língua oficial da Coreia do Sul é o coreano que também é falado em seu país vizinho, a Coreia do Norte.

Compre[editar]

Coma[editar]

  • Kimchi

Beba e saia[editar]

Durma[editar]

Aprenda[editar]

  • A educação é levada muito a sério na Coréia do Sul, e o país abriga várias universidades de classe mundial, muitas das quais têm acordos de intercâmbio com várias universidades estrangeiras, e são uma boa maneira de os estrangeiros experimentarem a vida no país. As universidades gerais de maior prestígio, conhecidas coletivamente como SKY, são: a Universidade Nacional de Seul (SNU), a Universidade de Yonsei e a Universidade da Coréia, sendo a primeira considerada amplamente a universidade número um incontestável na Coréia do Sul. O Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coréia (KAIST) e a Universidade de Ciência e Tecnologia de Pohang (POSTECH) são consideradas as principais universidades especializadas em ciência e engenharia. Outras: Taekwondo (태권도 taegwondo, literalmente "a maneira de chutar e socar") - A arte marcial coreana por excelência que também é um desporto olímpico, e pode ser estudada em qualquer uma das numerosas escolas em todo o país. Culinária - A maioria das grandes cidades oferece aulas de culinária coreana para estrangeiros.(Kimchi - Atualmente, muitos pacotes turísticos incluem aprender a fazer um kimchi coreano.) Changgeuk (창극) ou pansori (판소리) - Se gosta de música, isso será bom para si. É uma forma tradicional coreana única de cantar. Se quiser aprender sobre o pansori através do filme, Seopyeonje (서편제) (1993) seria uma excelente escolha. Idioma coreano - a Universidade Nacional de Seul, a Universidade da Coréia, a Universidade de Sogang e a Universidade de Yonsei (em Seul) oferecem programas de idioma em coreano. Dança tradicional coreana - É possivel ir a um estúdio de dança e aprender dança tradicional coreana. Baduk (바둑) - nome coreano para o antigo jogo de tabuleiro chinês chamado Go em inglês e japonês. Muitos coreanos jogam o jogo e entre eles estão alguns dos melhores jogadores. Existem até escolas especializadas em baduk. Janggi (장기) - Também conhecido como xadrez coreano, um jogo de tabuleiro semelhante ao xadrez chinês, com o qual compartilha suas origens, embora as regras dos dois jogos tenham divergido significativamente.

Trabalhe[editar]

Segurança[editar]

Saúde[editar]

Respeite[editar]

Mantenha contato[editar]

Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!