Saltar para o conteúdo

Bósnia-Herzegovina

4418
Fonte: Wikivoyage
Europa > Bálcãs > Bósnia-Herzegovina
Bósnia-Herzegovina

Bandeira
Informações básicas

A Bósnia-Herzegovina [1] é um país nos Bálcãs, no sudeste da Europa, que faz fronteira com a Croácia, a Sérvia e Montenegro. Nos anos 90, após a dissolução da Iugoslávia, país do qual fazia parte, foi palco de uma sangrenta guerra civil. Hoje, os monumentos estão sendo reconstruídos e os acordos de paz garantem um clima tranquilo para viagens, o que faz com que o turismo no país cresça a cada dia.

Regiões[editar]

A Bósnia denota a região norte muito maior, compreendendo várias sub-regiões geográficas/históricas, e a Herzegovina é a parte sul bastante compacta do país. Aqui está uma divisão da nação favorável aos viajantes, baseada em regiões (e sub-regiões) tradicionais:

Bosanska Krajina
noroeste do país, parte da Bósnia, "abraçada" pela Croácia
Bosnia Central
Herzegovina
O sul do país, tradicionalmente habitada principalmente por croatas e a única região com acesso costeiro.
Nordeste
Posavina
ao longo do Rio Sava, uma parte norte da região da Bósnia, chegando à bacia da Panônia
Região de Sarajevo
Uma parte oriental da região da Bósnia, a capital do país e suas proximidades


Cidades[editar]

  • Sarajevo
    • — a capital nacional; uma cidade europeia cosmopolita com um toque oriental único, como pode ser visto na sua vasta diversidade de estilos arquitetónicos
    • 2 Banja Luka— a segunda maior cidade, servindo como capital de facto da Republika Srpska , com alguns locais históricos e uma rica vida noturna
    • 3 Bihać— cidade perto da fronteira com a Croácia, rodeada por uma impressionante reserva natural.
    • 4 Jajce— uma pequena cidade com uma bela cachoeira e diversas atrações históricas espalhadas pelo centro
    • 5 Mostar— uma bela cidade antiga às margens do rio Neretva, simbolizada por sua ponte medieval
    • 6 Neum— a única cidade costeira, com praias arenosas apoiadas por colinas íngremes
    • 7 Tuzla- terceira maior cidade com muita indústria, embora também tenha um lindo centro histórico e monumentos à guerra brutal
    • 8 Teslic— um balneário com maior capacidade turística do país
    • 9 Zenica— cidade com um bairro antigo otomano

Outros destinos[editar]

  • 1 Kozara— parque nacional no noroeste com densas florestas e prados montanhosos, um destino para caminhadas e caça.
  • 2 Medjugorje- cidade do interior entre montanhas com clima mediterrâneo ameno, mas talvez mais conhecida devido a alegações de aparições da Virgem Maria a seis habitantes locais.
  • 3 Srebrenica— pequena cidade no nordeste com uma natureza deslumbrante (o Drina Canyon, o terceiro desfiladeiro mais profundo do mundo), mas mais conhecida como local de um massacre genocida durante a Guerra da Bósnia.

Entenda[editar]

Conhecida como pequena Iugoslávia por sintetizar a diversidade da antiga nação balcânica, a república da Bósnia-Herzegóvina faz limites com a Croácia (a norte e a oeste), Sérvia (leste) e Montenegro (a sudeste), além de ter uma minúscula parte de seu território banhada pelo mar Adriático.

A Bósnia-Herzegóvina, juntamente com a Macedônia, é uma das repúblicas economicamente mais pobres da antiga Iugoslávia. A economia planificada, além dos conflitos que ocorreram no país durante anos, destruindo infraestrutura, causando mortes e fluxos emigratórios, prejudicou o desenvolvimento econômico nacional. Outro fator agravante foi o rompimento das relações comerciais imposto pela Sérvia e a Croácia.

História[editar]

Durante os anos de 1992 a 1995, o país foi palco dos mais violentos conflitos de fragmentação do território iugoslavo. Os confrontos provocaram cerca de 200 mil mortes e aproximadamente 2,5 milhões de refugiados.

A Guerra da Bósnia teve início quando a Bósnia-Herzegóvina declarou sua independência, em 1992. Os Sérvios, opostos ao processo de separação, realizaram uma perseguição étnica expulsando grupos rivais das áreas sob sua ocupação, além de promoverem chacinas. Somente em agosto de 1995, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) promoveu a intervenção no conflito bombardeando as posições sérvias. Nesse mesmo ano, teve fim o mais sangrento conflito em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial. O Acordo de Dayton, assinado em dezembro, estabeleceu os limites territoriais da Bósnia-Herzegóvina nas atuais fronteiras. O Estado foi dividido em duas entidades: a República Sérvia (49% do território) e a Federação da Bósnia, muçulmano-croata (51%).

A nação proclamou sua independência no dia 1° de setembro de 1992.

Chegar[editar]

Requisitos de entrada

Portadores de passaportes dos seguintes países não precisam de visto para entrar na Bósnia e Herzegovina quando o objetivo da visita for turismo por até 90 dias (salvo indicação em contrário): Albânia , Antígua e Barbuda , Andorra , Argentina , Austrália , Áustria , Azerbaijão , Bahamas , Bahrein , Barbados , Bélgica , Brasil , Brunei , Bulgária , Canadá , Chile , Colômbia , Costa Rica , Croácia , Chipre , República Tcheca , Dinamarca , Dominica , El Salvador , Estônia , Finlândia , França , Geórgia , Alemanha , Grécia , Granada , Guatemala , Santa Sé , Hong Kong , Hungria , Islândia , Irlanda , Israel , Itália , Japão , Kiribati , Kuwait , Letónia , Liechtenstein , Lituânia , Luxemburgo , Macau , Malásia , Malta , Ilhas Marshall , Maurícias , México , Micronésia , Moldávia , Mônaco , Montenegro , Holanda , Nova Zelândia , Nicarágua , Macedônia do Norte , Noruega , Omã , Palau , Panamá , Paraguai , Peru , Polônia , Portugal , Catar , Romênia , Rússia ( 30 dias ), São Cristóvão e Nevis , Santa Lúcia , São Vicente e Granadinas , Samoa ,São Marino , Sérvia , Seicheles , Cingapura , Eslováquia , Eslovênia , Ilhas Salomão , Coreia do Sul , Espanha , Suécia , Suíça , Taiwan , Timor-Leste , Trinidad e Tobago , Turquia , Tuvalu , Ucrânia ( 30 dias ), Emirados Árabes Unidos , Estados Unidos Reino Unido , Estados Unidos , Uruguai , Vanuatu e Venezuela .

Cidadãos dos seguintes países podem entrar e permanecer até 90 dias com o seu cartão de identificação nacional: Áustria , Bélgica , Bulgária , Croácia , Chipre , República Checa , Dinamarca , Estónia , Finlândia , França , Alemanha , Grécia , Hungria , Islândia , Irlanda , Itália , Letónia , Liechtenstein , Lituânia , Luxemburgo , Malta , Mónaco , Montenegro , Países Baixos, Macedónia do Norte , Noruega , Polónia , Portugal , Roménia , São Marino , Sérvia , Eslováquia , Eslovénia , Espanha , Suécia e Suíça .

Qualquer pessoa não abrangida por uma das isenções de visto listadas acima deve solicitar um visto antecipadamente na embaixada ou consulado da Bósnia e Herzegovina. No entanto, os titulares de vistos de entradas múltiplas válidos e os residentes da União Europeia, dos estados membros do Espaço Schengen e dos Estados Unidos da América podem entrar na Bósnia e Herzegovina sem visto para uma estadia máxima de 30 dias . Isto não se aplica aos titulares de passaporte Kosovar.

Mais informações sobre isenções de visto e procedimento de solicitação de visto estão disponíveis no site do Ministério das Relações Exteriores .

Os portugueses e brasileiros não precisam de visto para visitar o país (estadia de no máximo 90 dias)

  • Embajada de Bosnia y Herzegovina - Calle 14 de Julio, 1656. Tel: +54 11 4554-9386 (e-mail: embajadabh@embajadabh.org.ar) [2]

De avião[editar]

O Aeroporto de Sarajevo ( SJJ  IATA ) é o principal ponto de entrada por via aérea.

A Bósnia não tem companhias aéreas próprias.

A Croatia Airlines conecta Sarajevo via Zagreb , e de lá são possíveis conexões para Bruxelas , Frankfurt , Londres , Munique , Paris , Zurique e diversas outras cidades europeias.

A Air Sérvia conecta Sarajevo diariamente via Belgrado e de lá pode-se conectar com outros voos domésticos e internacionais da Air Sérvia.

A Norwegian também opera para o aeroporto. Para outros serviços, consulte o site do Aeroporto de Sarajevo .

Mostar ( OMO  IATA ), Tuzla ( TZL  IATA ) e Banja Luka ( BNX  IATA ) também possuem aeroportos internacionais.

Muitos viajantes optam por voar para a Croácia, continuando a viajar de ônibus para a BiH, em Zagreb , Split , Zadar ou Dubrovnik sendo atendidos por voos baratos.

De barco[editar]

A Bósnia tem uma costa bastante pequena em Neum . Não existem muitas instalações portuárias, mas possuem dois cais (com profundidade limitada) e uma passarela para balsas.

As balsas estão disponíveis de Neum para outras cidades do Adriático, conectando-se à Croácia e outros países. Não há ferries internacionais através do Adriático para Itália , mas estes operam a partir de Dubrovnik e Split .

Balsas, algumas delas privadas, também estão disponíveis em rios e lagos interiores.

Para ir a Neum de barco próprio, é possível fazer check-out em Ploče na Croácia, e depois ir até Neum e fazer check-in lá. O escritório do porto em Neum está aberto durante a semana, das 8h às 15h. As taxas para visitar Neum podem ser bastante elevadas, na ordem das centenas de euros. O procedimento pode ser simplificado fazendo-o através de um agente. Comparado com a facilidade de ir da Croácia à Bósnia de carro, bicicleta ou a pé, ir de barco próprio é um grande incômodo.

De carro[editar]

As passagens de fronteira normalmente apresentam poucos problemas, mas algumas passagens de fronteira ficam fortemente congestionadas durante algumas épocas do ano.

A partir de 2009, as principais rotas da costa via Mostar a Sarajevo, e ao norte de Sarajevo até a fronteira croata em Slavonski Brod/Slavonski Šamac, foram restauradas e são de excelente qualidade.

Uma nova rodovia que segue este caminho está em construção, com a primeira parte ao norte de Sarajevo prontamente disponível, embora algumas construções possam retardar o tráfego em cada extremidade desta rodovia projetada. Do lado de Sarajevo você terá que pagar pedágio de 2 km para automóveis de passageiros. As cabines de pedágio na extremidade oposta em 2011 estavam sendo instaladas e não funcionavam.

Quando concluída, esta autoestrada ligará a parte norte da Croácia à costa, bem como a nova autoestrada de Zagreb a Split, que eventualmente se estenderá até Dubrovnik.

De autocarro/ônibus[editar]

Os ônibus são abundantes dentro e ao redor da Bósnia. Uma lista de estações de ônibus e horários na Bósnia pode ser encontrada aqui [1]

A maioria dos ônibus internacionais chega à principal estação rodoviária de Sarajevo ( autobuska stanica ), que fica ao lado da estação ferroviária, perto do centro de Sarajevo. Alguns ônibus de Belgrado, da entidade Republika Srpska e de Montenegro usam a estação rodoviária de Lukavica em Istočno (Leste) de Sarajevo (o bairro sérvio da cidade).

Serviços frequentes de ônibus partem de Sarajevo para:

  • Croácia : Zagreb (4 diariamente), Split (4 diariamente), Rijeka e Pula (diariamente) e Dubrovnik (diariamente às 06:30)
  • Sérvia : entre Belgrado e Sarajevo (leste) há 5 serviços diários, há também um serviço diário para a estação principal de Sarajevo
  • Eslovênia : Liubliana (diariamente)
  • Montenegro : Kotor diariamente (a viagem dura 7 horas e tem vistas espetaculares)

além dos ônibus de longa distância para Macedônia do Norte , Áustria e Alemanha .

De Mostar , Banja Luka , Tuzla e Zenica também são serviços internacionais frequentes. A Herzegovina também tem muitos serviços de ônibus das cidades costeiras da Dalmácia , na Croácia.

Os serviços de ônibus internacionais são quase sempre em ônibus modernos e luxuosos de 5 estrelas - as únicas exceções são normalmente os ônibus locais que operam um pouco além da fronteira (viagens de no máximo 3 horas).

Empresas[editar]

Devido à emigração significativa durante a guerra da Bósnia na década de 1990, há uma série de empresas de autocarros que servem a diáspora da Bósnia, fornecendo transporte barato e limpo para o outro lado da Europa.

  • Centrotrans ,Com sede em Sarajevo(os ônibus são operados através das estações de ônibus regulares em todo o país), +387 33 46 40 45, fax :+387 33 46 40 40, info@centrotrans.com .A Centrotrans opera pela Eurolines para Áustria , Bélgica , Croácia , Dinamarca , França , Alemanha , Montenegro , Sérvia e Eslovénia .
  • Globtour (Opera a partir de Međugorje , por todo o país), +387 36 653 253, fax :+387 36 653 251, miro@globtour.com .Ônibus regulares para Alemanha , Áustria , Suécia e Croácia .
  • Semi-passeios , +387 61 596 443, fax :+32 36 638699, info@semi-tours.com .Cooperação com Eurolines e Centrotrans, vários autocarros por semana para a Bélgica e Holanda Bilhete de ida e volta a partir de 137€.
  • Passeios de ouro , +387 32 444 960, fax :+387 32 444 961, goldze@bih.net.ba .Ônibus para Bélgica , Holanda , Luxemburgo e Suíça . Bilhete de ida e volta a partir de 100€.
  • Turista principal , +387 66 30 8300, fax :+387 51 32 11 00, info@toptourist.dk .Ônibus semanais de e para países da Europa Nórdica (por exemplo, Dinamarca, Suécia, Noruega) As passagens podem ser pagas no ônibus, mas recomenda-se reserva e pagamento antecipado. Sarajevo via Salzburgo (duas vezes por semana) c. Retorno de DKK 1.000 (KM280, € 140).

De comboio/trem[editar]

Os serviços ferroviários em todo o país estão a melhorar lentamente, embora as velocidades e frequências ainda sejam baixas. Grande parte da infra-estrutura ferroviária foi danificada durante o conflito da década de 1990 e as linhas foram abertas numa base prioritária, embora não com o elevado nível de serviço anterior à guerra. Os serviços ferroviários são operados pelas duas entidades (com base na divisão política do país), o que resulta na troca frequente de locomotivas.

Da Croácia[editar]

O trem Zagreb-Bósnia parece estar cancelado desde dezembro de 2016 até novo aviso.

Há um trem diário que vai de Sarajevo a Zagreb (10 horas), a capital da Croácia , e daí para o resto da Europa.

O trem 'diurno' sai de Zagreb às 08h59 e chega a Sarajevo às 18h23. A viagem de volta sai de Sarajevo por volta das 10h21 e chega a Zagreb às 19h42. O bilhete custa cerca de 30€ só de ida (o bilhete de ida e volta custa cerca de 50€). Os ingressos podem ser adquiridos no escritório internacional da estação ferroviária na Croácia ou na Bósnia na moeda local. Não há vagão-buffet nesta rota, então leve suprimentos com antecedência para a espetacular viagem de 9 horas, embora homens com carrinhos pequenos ocasionalmente andem pelo trem vendendo refrigerantes caros, etc.

Procure comprar sua passagem antes de embarcar no trem. Se você não comprar antes de embarcar, compre com o condutor a bordo, mas ele só poderá lhe vender uma passagem para a parte dele da viagem; o pessoal e as locomotivas geralmente mudam quando o trem sai do território croata e novamente quando o trem sai do território da Republika Srpska para a Federação.

Ingressos especiais[editar]

Viajar para a Bósnia é possível com um passe Interrail . Na Bósnia, outros países dos Balcãs e na Turquia também com o Balkan Flexipass .

Circular[editar]

Mapa da Bósnia-Herzegovina

De avião[editar]

De barco[editar]

De carro[editar]

Saber em qual entidade você está

Existe livre circulação através da fronteira entre entidades, pelo que essencialmente não é muito diferente das fronteiras estaduais dos EUA , considerando o seu impacto nas viagens. Uma das poucas implicações práticas é que as organizações de assistência rodoviária são diferentes: se precisar de algo como serviços de reboque na Republika Srpska, terá de ligar para a organização RS ( +387 1285) e vice-versa ( +387 1282; dependendo da localização exata na FBiH, outra associação pode precisar ser chamada: +387 1288).

A Bósnia é um país lindo para se dirigir; o cenário costuma ser espetacular. Alugar um carro é uma opção razoável, especialmente se você estiver visitando destinos remotos fora de Sarajevo.

No entanto, devido ao terreno montanhoso, ao comportamento de condução duvidoso de alguns utentes da estrada (incluindo ultrapassagens perigosas em autoestradas estreitas) e às más condições das estradas em todo o país, não espere que as velocidades sejam rápidas - especialmente tendo em conta a distância relativamente curta, como o corvo voa'.

Se você dirigir para áreas remotas, as estradas podem ser extremamente perigosas, especialmente em lugares mais montanhosos como Sutjeska NP.

Pode ser difícil encontrar postos de gasolina em alguns locais - muitas vezes, o melhor lugar para abastecer é nos limites das vilas e cidades, e não dentro deles.

Pode ser difícil encontrar mecânicos que falem inglês e o licenciamento pode ser um problema, portanto, certifique-se de que você tem permissão para dirigir até lá. A polícia monta regularmente barreiras nas estradas; não se surpreenda se eles o pararem para verificar seus documentos e bater um papo.

De autocarro/ônibus[editar]

A melhor maneira de se locomover com transporte público é de ônibus. Existe uma densa rede de linhas de ônibus, todas operadas por empresas privadas relativamente pequenas. Saiba que se você comprar passagem de ida e volta para uma linha atendida por mais companhias, só poderá fazer a viagem de volta com a empresa onde comprou a passagem.

Contudo, os autocarros parecem ser menos frequentes quando há necessidade de atravessar as fronteiras étnicas. E em algumas regiões a frequência pode ser muito baixa ou inexistente.

Empresas de ônibus notáveis ​​​​incluem Autotrans, Centrotrans, Gluho e Lasta.

De comboio/trem[editar]

Ir de trem é uma opção, mas as conexões são limitadas e lentas ( Federação , RS ). Por exemplo, existem duas conexões diárias de e para Sarajevo.

Muitas linhas ferroviárias foram danificadas na guerra e ainda não foram reconstruídas. Também faltam carruagens e comboios para prestar serviços frequentes – mesmo nas linhas movimentadas como Mostar-Sarajevo, Tuzla-Banja Luka e Sarajevo-Banja Luka. No entanto, os passeios são panorâmicos, especialmente no trecho Mostar-Sarajevo.

Por falar nisso. levar uma bicicleta para dentro do trem pode ser um problema.

Reserve o trem on-line, você economizará tempo e terá o mesmo preço do balcão do terminal – também no balcão você terá que pagar a ameaçadora taxa de reserva.

A partir de 2023, os serviços ferroviários na Bósnia e Herzegovina são severamente limitados. Muitas linhas anteriormente operacionais foram descontinuadas e a rede ferroviária na região da Republika Srpska, no norte, foi particularmente afetada. Várias linhas de trem foram temporariamente fechadas durante a pandemia de COVID-19 e ainda não retomaram a operação.

Nomeadamente, a viagem de comboio entre as duas maiores cidades, Sarajevo e Banja Luka, já não é possível e esta situação persiste por razões pouco claras. Apenas trens de carga operam entre essas duas grandes cidades, a partir de 2023. Tuzla também não é acessível por trem.

Não se surpreenda se o maquinista verificar sua passagem com um cigarro no lábio. A maioria dos trens parece permitir fumar.

Fale[editar]

A língua bósnia (chamada de bosanski) é uma língua eslávica, e que utiliza o alfabeto latino. Trata-se uma variante do idioma servo-croata, também falado na Bósnia (especialmente na Republika Srpska, onde se usa o alfabeto cirílico) e em países vizinhos.

Coma[editar]

O quee[editar]

A comida local é rica em carne e peixe e pobre em alternativas vegetarianas. Os ensopados geralmente contêm carne, mas podem ser preparados sem ela. Pratos de arroz e massa estão prontamente disponíveis. O fast food, com exceção do cevapi e do pita (ou burek), consiste, como em outras partes da Europa, em pizza, hambúrgueres e cachorros-quentes. Sanduíches Panini são servidos na maioria das cafeterias populares entre os jovens, e o café bósnio, que lembra o café turco, é uma experiência obrigatória para qualquer aficionado por café. Estranhamente, além destas opções de fast food, os restaurantes bósnios servem poucas especialidades bósnias; o que as pessoas comem em suas casas é muito diferente do que comerão se forem a um restaurante.

Farto[editar]

  • Cevapi – O onipresente kebab dos Balcãs, disponível principalmente em Sarajevo (normalmente 2-4 km). Existem duas variações proeminentes: o "Banja Luka" Cevap , um kebab maior e de formato quadrado, e o "Sarajevo" Cevap , menor e redondo. Se você ainda não os comeu, todo visitante deve experimentar um pedido de Cevapi pelo menos uma vez. Existem diversas variações de pita (cerca de 2 KM).
  • Burek ( pita ) - Um lanche barato, saboroso e facilmente disponível, um pastel feito de massa filo e recheado com carne (simplesmente Burek ), queijo ( Sirnica ), espinafre ( Zeljanica ), batata ( Krompirusa ) ou maçã ( Jabukovaca ). Alguns exemplos são melhores que outros, entretanto, e pode ser uma questão gordurosa. Se chegar a Mostar experimente um prato de truta (“pastrmka”, que soa como “pastrami”), que é a especialidade local.
  • Trahana – Um tradicional recheio de sopa de massa fermentada, feito à mão na maioria das regiões e um alimento básico durante o mês de jejum do Ramadã.
  • Ensopados – Na culinária do dia a dia, os bósnios comem muitas refeições do tipo ensopado, como o Kupus , um prato tradicional de repolho cozido; Grah , feijão preparado de forma semelhante, prato dito "vegetariano" com feijão, mas cozido com bacon ou carnes defumadas; e uma variação bastante líquida de goulash húngaro . Todos são feitos com alho, cebola, aipo e cenoura, seguidos de vegetais, carne defumada e vários copos de água. Em seguida, é cozido até que os vegetais se desfaçam. Um tempero local chamado "Vegeta" é incorporado em quase todos os pratos, e o mesmo tempero é usado em toda a região, até na Polônia. É comparável aos cubos de frango Oxo, ou, em outras palavras, à mistura de caldo de galinha condensado. Esse tipo de ensopado não custa quase nada e é uma refeição farta e farta.
  • Janjetina – Basicamente, “cordeiro no espeto” pode ser encontrado ao longo das estradas e locais de lazer da Bósnia. É uma guloseima muito saborosa, geralmente reservada para ocasiões especiais. Um cordeiro inteiro é cozido no espeto, girando por muito tempo sobre o fogo de carvão. Ao fazer o pedido, você paga por quilo, cerca de 25 KM/kg. Em ocasiões especiais, as famílias fazem esses assados ​​em casa.
  • Carnes defumadas – Um alimento básico da culinária bósnia, mais do que os alimentos estereotipados de pita e cevapi. Entre as populações não muçulmanas, as regras da carne de porco e do presunto , pescoço defumado , costela defumada , bacon e centenas de variedades de linguiça defumada fazem deste um verdadeiro país de churrasco. Os muçulmanos têm alternativas igualmente saborosas de cordeiro ou carne bovina.
A carne é preparada curando primeiro em sal durante vários dias, o que retira a água e desidrata a carne, enquanto as altas concentrações de sal evitam que a carne se estrague. Depois de ser esfregada com especiarias (inclui uma combinação de pimenta fresca de alta qualidade, páprica picante, sal, cebola e alho, e algumas colheres de Vegeta, uma mistura de canja de galinha em pó semelhante a um cubo de Oxo), a carne fica de ressaca. uma fumaça pesada feita por um fogo de lenha. As árvores frutíferas são bem conhecidas pelos aficionados de churrasco em todo o mundo por produzirem a fumaça mais saborosa, e as macieiras, cerejeiras e nogueiras são as mais comumente usadas na Bósnia. Enquanto as carnes delicatessen produzidas comercialmente são geralmente curadas a seco ou penduradas em geladeiras desidratadas e só então defumadas sob pressão por algumas horas para permitir que algum sabor permeie a carne, a carne defumada da Bósnia é defumada por até três meses. A carne fica pendurada em uma “casa de defumação”, um pequeno galpão de madeira geralmente grande o suficiente apenas para acender uma fogueira e pendurar a carne. Os bósnios só fumam carne no outono ou no inverno, porque as baixas temperaturas, aliadas à cura do sal, permitem que a carne fique pendurada durante meses sem estragar. Durante esse período, é defumado até 4 vezes por semana, durante 8 a 10 horas seguidas, o que infunde a carne com o sabor do fumo e remove a água restante. O produto final tem aroma e sabor de fumaça incrivelmente fortes, com textura de charque em borracha
Dependendo do corte da carne, a diferença mais notável entre a carne defumada produzida desta forma e a carne produzida comercialmente disponível na América do Norte é a cor do interior da carne. Enquanto a carne de delicatessen comercial é geralmente macia, vermelha, um pouco úmida e bastante crua, a carne defumada da Bósnia é totalmente preta com apenas um leve tom rosado. Cortes maiores de carne, como o presunto dálmata, tendem a ser um pouco mais rosados ​​e macios por dentro, mas a diferença ainda é dramática, já que o presunto feito nos Balcãs tem muito menos água, é mais mastigável e, em geral, melhor defumado. Essa carne é consumida com mais frequência na hora do café da manhã, em sanduíches ou como meza , um lanche comumente servido para cumprimentar os convidados. As carnes defumadas são baratas e incrivelmente saborosas e podem ser compradas nos mercados da Bósnia por pessoas que geralmente as preparam sozinhas. Coma um sanduíche de pescoço de porco com queijo defumado da Bósnia e uma salada de tomates frescos em um pão caseiro fresco e crocante e você nunca mais vai querer sair.
  • Meza – Um grande prato de carnes defumadas preparadas, que geralmente inclui algum tipo de presunto defumado (em casas tradicionais não-muçulmanas) e linguiça finamente cortada e lindamente apresentada com queijo, o conhecido condimento balcânico ajvar , ovos cozidos e frescos. corte tomates, pepinos ou outros vegetais para salada. E como sempre, pão.
  • Queijos – Deve haver uma grande variedade, mas é difícil de encontrar. Tente encontrar o queijo amarelo no óleo, se puder.

Tanto a sopa quanto a salada são comumente servidas com entradas, sendo a sopa de frango e carne com macarrão ou bolinhos de ovo os mais comuns. A comida geralmente é rica em produtos frescos, que precisam de pouco ou nenhum tempero adicional . Como tal, existem poucos pratos picantes ou quentes, e os pratos anunciados como "picantes", como ensopados como páprica ou gulash , são geralmente temperados com páprica e não com pimenta, e não apresentam pungência evidente. Em algumas regiões, e dependendo se se trata de comida de restaurante ou de casa, as texturas e cores também podem ser importantes

Luz[editar]

  • Pão – Não importa a comida que você peça, certamente será servido pão, comumente consumido em algumas partes da Europa com todos os alimentos saborosos. A maioria dos livros de receitas sobre a culinária eslava do sul contém centenas de variedades de pães, sendo esta uma das regiões mais loucas por pão do mundo. No entanto, praticamente o único tipo de pão nas casas da maioria dos bósnios é o pão francês comprado em loja, que os bósnios nunca sonhariam em chamar de “francês”; para eles, é simplesmente "Hljeb" ou "Kruh".
  • simplesmente "Hljeb" ou "Kruh".
No entanto, em ocasiões especiais, é feito um esforço maior para produzir pães tradicionais eslavos, e cada família costuma preparar sua própria variação de uma receita tradicional. No Natal e na Páscoa, as famílias ortodoxas sérvias e católicas croatas costumam fazer um pão de manteiga chamado Pogaca , que muitas vezes é trançado e escovado com ovo, dando-lhe um acabamento brilhante perfeito para mesas festivas impressionantes. Durante o mês do Ramadã, as populações bósnias (muçulmanas) assam inúmeras variedades de pães, e as variedades únicas e de inspiração turca são geralmente mais numerosas, diversas e dependentes de regiões e aldeias do que entre as populações cristãs, onde as receitas para eventos especiais são mais homogêneo e existem menos seleções. Lepinja ou Somun (o pão servido com Cevapi) é um tipo de pão achatado, provavelmente introduzido de alguma forma na Bósnia pelos turcos, mas desde então se desenvolveu de forma independente e lembra apenas vagamente os pães pita achatados turcos ou do Oriente Médio. Ao contrário da pita grega ou libanesa , a Lepinja da Bósnia é mastigável e elástica por dentro e com textura agradável por fora, tornando-a uma companhia esponjosa perfeita para carnes gordurosas e sabores de churrasco. Os turcos podem ter começado esta receita, mas os bósnios levaram-na a um novo patamar.
  • Dolma – Legumes fermentados (geralmente folhas de vinho) recheados com arroz e carne.
  • Saladas – Normalmente compostas por uma mistura de tomate, alface, cebola e pimentão, muitas vezes com queijo feta. Uma salada César é inédita na Bósnia e geralmente a maioria dos vinagretes são da variedade italiana, vinagre balsâmico e azeite ou óleo de milho. Você também pode encontrar muitos condimentos.
  • Ajvar - Uma pasta enlatada (ou feita em casa, se você tiver sorte), algo como uma pasta de bruscheta, feita de pimentão assado e berinjela (berinjela), que são moídas e temperadas com pimenta e sal e cozidas lentamente.
  • Legumes em conserva – Servidos como condimentos, como pimentão em conserva, cebola, pepino (“picles”) e tomate.
  • Kajmak – Pasta láctea, semelhante ao cream cheese, mas com textura mais seca. É feito de gordura de leite, que é salgada e enlatada. Tem um sabor de queijo salgado e defumado. Kajmak de Travnik é uma especialidade local e é exportado até a Austrália.

A comida bósnia geralmente não combina alimentos doces e salgados, e você nunca encontrará uma salada César com tangerina. No entanto, muitos bons chefs experimentam sabores doces e salgados, como o 'Medeno Meso' (carne com mel) feito em Banja Luka antes da guerra por um chef conhecido. A delimitação entre frutas e vegetais é forte, sendo as frutas utilizadas apenas em pratos de sobremesa. Você nunca encontrará nenhum prato com adição de açúcar, a menos que seja uma sobremesa.

Sobremesas[editar]

  • Sorvete – Vendido na maioria dos países da ex-Iugoslávia e com diversas variedades, mas o leite e as natas regionais devem ser um fator que contribui para o seu sabor maravilhoso. Você pode comprar sorvete em colher ou em uma máquina de leite gelado, embalado em lojas ou em um vendedor ambulante. Recomendado é o "Egypt Ice Creamery" em Sarajevo, famoso na região por seus sorvetes de caramelo. Experimente também o "Ledo", um tipo de sorvete embalado feito na Croácia, mas vendido em toda a região.
  • Krempita – Uma espécie de sobremesa de creme/pudim que tem gosto de cheesecake cremoso.
  • Sampita - Semelhante à Krempita , sobremesa feita com clara de ovo.
  • Hurmasice ( Hurme ) – Um pequeno doce tradicional bósnio molhado em forma de dedo com nozes.
  • Tulumbe – Também uma sobremesa tradicional da Bósnia, algo como um donut tubular, crocante por fora e macio e doce por dentro.
  • Tufahija – Outra sobremesa conhecida na Bósnia, que é uma maçã descascada com um pouco de noz doce coberta de chocolate que às vezes é servida com chantilly por cima.
  • Baklava – E, claro, não se esqueça de experimentar a versão bósnia do doce mundialmente famoso, que tende a ser um pouco mais xaroposo do que o seu homólogo turco e geralmente não contém rum, como o seu homólogo grego. Grande parte da cozinha tradicional tem tons turcos, uma consequência colorida de seiscentos anos de domínio otomano sobre a maior parte da Bósnia e Herzegovina, e as sobremesas não são diferentes.

Frutas e vegetais[editar]

A culinária do país ainda não foi arruinada por produtos cultivados comercialmente, a maioria dos alimentos são (não certificados) cultivados organicamente ou semi-organicamente, usando menos produtos químicos e são colhidos quando maduros. Geralmente, todos os alimentos são tão frescos quanto possível. Os mercados de vegetais vendem apenas vegetais sazonais e cultivados localmente, e você certamente encontrará algumas das frutas mais saborosas que já experimentou na região do Vale de Neretva, na Herzegovina (perto da fronteira com a Croácia, entre Mostar e Metkovic). A região é famosa pelos pêssegos, tangerinas, pimentões e tomates, cerejas (tanto as variedades doces quanto as azedas), melancias e a maioria dos kiwis.

Onde[editar]

Quando você visita um bósnio em casa, a hospitalidade oferecida pode ser bastante avassaladora. O café é quase sempre servido acompanhado de algum doce caseiro, como pães, biscoitos ou bolos, juntamente com a meza .

  • Aščinica – Um restaurante de loja que serve comida cozida (em vez de grelhada ou assada).
  • Buregdžinica – Local onde os pratos principais são recheados com pastéis (burek, sirnica, etc.).
  • Cevapdzinica – Também restaurante de loja que serve Cevapi grelhado, uma iguaria imperdível na Bósnia e Herzegovina.
  • Pekara – Padaria onde você pode comprar pães e confeitos assados.

Beba e saia[editar]

A idade legal para beber na Bósnia e Herzegovina é 18 anos. As cervejas nacionais populares são Nektar (de Banja Luka ), Sarajevsko, Preminger (de Bihać , feita de acordo com uma receita tcheca ) e Tuzlansko, enquanto as importações mais comuns são Ozujsko e Karlovačko da Croácia , Jelen da Sérvia , e Laško e Union da Eslovênia. . Como em quase todos os países europeus, a cerveja é muito comum e popular. Mesmo nas áreas mais islâmicas, o álcool está disponível em abundância para aqueles que optam por beber e quase todos os bares estão totalmente abastecidos.

Como a maioria dos eslavos, os bósnios fazem 'Rakija', que vem em muitas variedades e é feito comercialmente e em casa. O vinho tinto é 'Crno vino' (vinho preto) e o vinho branco é 'bijelo vino'. Os vinhos da Herzegovina são conhecidos pela sua qualidade. O álcool não é tributado tão pesadamente como na maioria dos países ocidentais e muitas vezes é muito acessível. O álcool de qualidade é procurado e valorizado.

Os bósnios estão entre os maiores consumidores de café do mundo, especialmente o café turco, localmente chamado de café bósnio ou domaca (caseiro), que pode ser comprado em todos os bares, restaurantes ou lanchonetes.

Durma[editar]

Na Bósnia e Herzegovina você pode escolher entre um grande número de hotéis, albergues, motéis e pensões. Na cidade litorânea de Neum você pode reservar hotéis de 2 a 4 estrelas. Nas outras cidades muitos hotéis são de 3 estrelas, 4 estrelas e alguns deles são de 5 estrelas.

Em Banja Luka os melhores hotéis são: Cezar, Palas, Bosna, Atina, Cubic e Talija.

Em Sarajevo os melhores hotéis são: Hollywood, Holiday Inn, Bósnia, Saraj, Park, Grand e Astra.

Os acampamentos não são muito comuns. Uma visão geral dos parques de campismo na Bósnia está disponível na agência nacional de turismo [4] [link morto] . Acampar selvagem geralmente não é problema, mas tome cuidado com as minas.

Aprenda[editar]

Trabalhe[editar]

A Bósnia tem uma das taxas de desemprego mais elevadas da Europa (cerca de 17%) e as taxas salariais são um pouco baixas em comparação com outros países europeus – o salário médio mensal é de 1.000 a 2.000 euros.

Um sistema burocrático complexo, a corrupção e a ineficiência política significam que as condições de trabalho na Bósnia não são tão ideais.

Segurança[editar]

Minas terrestres[editar]

Nota: Devido à constante ameaça de minas terrestres, é melhor não deixar estradas pavimentadas, mesmo para fazer xixi em áreas com as quais você não está familiarizado. Os planos são terminar a limpeza em alguns anos, mas os especialistas estimam que o trabalho levará décadas.
(Informações atualizadas pela última vez em 08 de dezembro de 2023)

Tenha muito cuidado ao viajar fora dos caminhos habituais na Bósnia e Herzegovina: a Bósnia e Herzegovina ainda está a limpar muitas das cerca de 5 milhões de minas terrestres deixadas no campo durante a Guerra da Bósnia de 1992-1995.

Algumas regras:

  1. Respeite os sinais de alerta em todos os lugares
  2. Sempre que estiver em áreas rurais, tente permanecer em áreas pavimentadas, se possível.
  1. Se uma área ou propriedade parecer abandonada, fique longe dela . Algumas das casas e propriedades privadas que foram abandonadas pelos seus proprietários foram muitas vezes equipadas com minas durante a guerra e, por isso, ainda representam uma ameaça para qualquer pessoa que as invada.
  2. Nunca toque em nenhum item desconhecido. Se de repente você encontrar um objeto suspeito ou desconhecido, deve denunciá-lo à polícia, pois isso ajudará a manter a segurança dos moradores locais e futuros visitantes.

Caso você ainda esteja desconfiado e queira pelo menos ter uma ideia de onde os perigos se escondem, existe uma camada aproximada de mapa para OsmAnd online com base na imagem aqui. Não é confiável, mas pelo menos pode lhe dar uma indicação de onde você está.

As trilhas não têm minas e a grama ao lado delas está quase toda desminada, mas algumas minas permanecem em algumas áreas rurais.

Crime[editar]

A Bósnia regista muito poucos crimes violentos. Porém, no centro antigo de Sarajevo e em outras cidades como Mostar e Banja Luka, tome cuidado com os batedores de carteira.

Cães[editar]

A Bósnia tem muito menos cães vadios e de rua do que muitos outros países da Europa Oriental. Apenas algumas regiões parecem não aderir a esta regra, como Mostar e tudo ao sul dela. Consulte Cães agressivos para obter mais informações sobre como lidar com esta situação.

Tráfego[editar]

O trânsito é provavelmente o maior perigo na Bósnia e Herzegovina. Nas cidades e nas estradas principais, o trânsito está bem regulamentado, mas os comportamentos de condução ainda são hostis. Os motoristas bósnios também são conhecidos por acelerar em pequenas estradas nas montanhas. As estradas fora das estradas principais são, na melhor das hipóteses, medíocres e, às vezes, em total estado de degradação.

Saúde[editar]

Todos os funcionários bósnios são submetidos a exames de saúde regulares para garantir que podem realizar fisicamente o seu trabalho e que não transmitirão qualquer doença ou ferirão alguém. As pessoas na indústria alimentar são particularmente controladas e são realizadas frequentemente verificações aleatórias de saúde e segurança nas instalações. Os manipuladores e fornecedores de alimentos seguem os mais altos padrões. Espera-se que as cozinhas e os armazéns de alimentos da Bósnia sejam higiénicos e imaculados e a segurança alimentar é muito importante.

A água da torneira é potável na maior parte do país, há até "hajrli česme" ou "fontes seguras para viagens" em algumas partes do país que oferecem água potável da nascente de uma montanha.

Como a comida é rica, alguns exercícios extras podem ajudar.

E como acima, nunca saia de caminhos dedicados em caso de minas terrestres.

Respeite[editar]

É da maior importância respeitar as diferenças religiosas das pessoas da região e o seu esforço para ultrapassar a guerra dos anos 90, uma vez que esta ainda afecta aqueles que sobreviveram a esses tempos até hoje. Tenha cuidado em áreas onde ainda existe alguma forma de tensão étnica e certifique-se de não ofender um grupo específico. Evite falar sobre a guerra ou qualquer outro tema controverso nos Balcãs, como a legitimidade do Kosovo ou da Republika Srpska; é muito desrespeitoso e você não obterá nenhuma boa informação ao fazer isso, já que todos tendem a ser tendenciosos sobre o que consideram bom ou ruim, como na maior parte do mundo.

Os muçulmanos constituem 50-52% da população, tornando a Bósnia um dos poucos países de maioria muçulmana na Europa. A forma de Islão praticada pela grande maioria dos bósnios é liberal , e é comum os muçulmanos bósnios consumirem álcool e um tanto comum comerem carne de porco.

Da mesma forma, respeite o meio ambiente. Grande parte do país, bem como dos seus vizinhos, foram poupados da poluição e é muito importante ter cuidado com as suas influências.

Os riachos e rios tendem a ser violentos, as montanhas e os vales muitas vezes desprotegidos e o terreno inseguro. Tenha sempre um guia turístico com você ou consulte um local para obter conselhos sobre os perigos naturais e as minas terrestres.

Mantenha contato[editar]

Cada entidade possui seu próprio serviço postal , portanto os selos comprados na Federação não podem ser utilizados no RS e vice-versa.

Existem muitas redes de telefonia móvel na Bósnia e Herzegovina, por exemplo: HT ERONET (Mostar), GSMBiH (Sarajevo) e m:tel (Republika Srpska, Banja Luka). Você pode comprar um cartão SIM pré-pago de qualquer rede em qualquer quiosque por 10 KM ou menos. Muitas vezes, os operadores oferecem pacotes especiais apenas de dados para turistas com validade de 5 a 30 dias (por exemplo, 30 dias com 30 GB para 40 km).

A ativação de qualquer cartão SIM da Bósnia leva menos de 2 minutos, não sendo necessária prova de identidade ou quaisquer outras etapas burocráticas.

Observe que você pode usar cartões SIM da Bósnia em outros países dos Balcãs Ocidentais. Às vezes, isso requer uma “recarga” mínima do seu orçamento de chamadas e SMS, que você também pode obter em quiosques, se souber o seu número de telefone.

Este artigo está delineado. Ele já segue um modelo adequado, mas não contém informações suficientes sobre o assunto.

Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!