Discussão:São Paulo

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A rigor, os processos de segregação socioespacial na cidade estão estreitamente relacionados com a precarização do mercado de trabalho e o desemprego, que afetam mais que proporcionalmente as camadas mais pobres, menos escolarizadas e que tiveram menos meios de resistir àquilo que se pode denominar de diáspora da classe trabalhadora. Este processo, associado à dinâmica especulativa de valorização do solo urbano e aos sentidos do investimento do capital imobiliário, incide sobre as condições e opções de moradia da população, o que, desde os anos 80, leva à expansão demográfica crescente das periferias em contraposição com o esvaziamento populacional nas áreas centrais (bem servidas por infra-estrutura) e à redistribuição das camadas mais ricas da população para novas fronteiras de ocupação delineadas pelos sentidos do investimento do mercado imobiliário (especialmente o quadrante sudoeste) (HUGHES, 2003).

Regiões (divisão geográfica)[editar]

Em guias turísticos, não importa a divisão política oficial, mas sim as regiões da cidade contíguas com perfil turístico mais afim. Isto facilita o agrupamento das informações para o turista. Fábio Soldá 21:00, 20 Agosto 2006 (EDT)


Concordo plenamente. Texugo 21:05, 20 Agosto 2006 (EDT)


Também concordo que não precisamos adotar a divisão oficial mas também não precisamos eliminá-las da página. Mesmo que as zonas não tenham páginas próprias, podemos mencioná-las:
  1. Mencionar as zonas onde se localizam os bairros dá um sentido de orientação ao viajante e o ajuda na localização espacial. Para mim, que vou a SP como visitante, importa muito mais saber se o meu hotel na Aclimação fica perto (na mesma zona) ou longe do meu trabalho na Paulista, por exemplo, do que o seu "perfil turístico". Aliás, cadê Aclimação na lista? E a Saúde? Sem isso fica bem mais complicado. Devemos facilitar a vida dos usuários para o uso do Wikivoyage seja intuitivo, de modo que usem o motor de busca o mínimo possível.
  2. Arbitrariedade nos nomes. Por que Paulista e Jardins e não Paulista, Cerqueira César e Jardins? E que tal incluir a Vila Nova Conceição em Itaim Bibi, Vila Olímpia, Moema e Santo Amaro? Pode ser difícil achar um consenso sobre esses nomes.
Por outro lado, as Convenções de nomenclatura preferem que se use o nome mais comum (e de preferência mais curto) para um determinado lugar. E ninguém diz que foi a SP e ficou na "Mooca, Tatuapé, Anália Franco" e sim na Mooca ou no Tatuapé... Isso significa que, de um jeito ou de outro, provavelmente vamos ter que ter artigos sobre os bairros mais importantes separadamente ou pelo menos um redirecionamento do nome desses bairros para esses "agrupamentos" arbitrários. --Ricardo (Rmx) 22:54, 20 Agosto 2006 (EDT)
Uma solução é separar pelas subprefeituras. Eu não acho tão problemático assim separar pelos nomes mais polarizados, mas a divisão por zona é igualmente problemática, por serem áreas muito heterogêneas e distantes, ao contrário do que acontece no Rio de Janeiro. Zona Norte pode ser Santana como pode ser Brasilândia; Zona Sul pode ser tanto Moema quanto Capão Redondo; Zona Leste pode ser tanto o Anália Franco quanto Guaianases; Zona Oeste pode ser tanto Pinheiros quanto a Vila Sônia. É um caso a se pensar... Fábio Soldá 23:39, 13 Setembro 2006 (EDT)


A questão aqui não é divisão política oficial mas sim divisões usadas no mundo todo. Por exemplo, se falar para qualquer pessoa que conhece Hanoi que fiquei no Old Quarter, ele sabe onde é e posso indicar que a região é boa. Assim, como posso dizer que a zona sul de São Paulo existe se nem mesmo no guia está? Empresas de eventos, turismo e outras FORA do Brasil usam também esta nomenclatura. Devemos sim colocar as regiões (norte, sul, leste, oeste) e dentro delas os bairros e etc. Pmichelazzo 04:15, 29 Outubro 2007 (EDT)
Pessoal, andei pelos artigos estrelados em inglês e o que prevalece são as áreas com vocação ou interesse turístico. Dessa forma, acho que alguns nomes poderiam tranqüilamente ser cortados, sem qualquer prejuízo para o viajante. Não é nada contra os bairros, claro. É que, nesse caso, informação demais pode até prejudicar. Áreas como o centro histórico, Paulista, Jardins e a Liberdade é claro que devem estar, e muito bem detalhadas no guia. Ousaria não dizer o mesmo para bairros bacanas, mas que têm menos interesse para o turista, como Butantã, Campo Belo, Socorro, Saúde e Vila Guilherme, entre outros. --Fernando Nakagawa 19:50, 30 Dezembro 2007 (EDT)

Proponho que se adoptem as divisões da Wikipédia. São apenas 9, é muito mais simple que essa quantidade enorme de artigos com quase nenhumas informações. --Tiagox2 12h18min de 31 de Agosto de 2010 (EDT)

Gosto muito dessa idéia, e já tem mapa lá para a gente usar. A única coisa de que não gosto tanto é a necessidade de usar números (Leste 1 e Leste 2)-- talvez a gente pode combinar outra forma de chamar eles, mas... É mil vezes melhor do que temos até agora.Texugo 22h14min de 31 de Agosto de 2010 (EDT)
Talvez possamos meter Este-norte e Este-Sul? Ou, se continuarmos com os pontos cardeais, és-nordeste e és-sudeste. --Tiagox2 05h56min de 1 de Setembro de 2010 (EDT)
Já que ninguém diz nada, acho que toda a gente concorda. Eu próprio faria as mudanças, mas não conheço a cidade. --Tiagox2 16h21min de 2 de Setembro de 2010 (EDT)
As divisões apresentadas pelo site WikiPedia são as oficiais da prefeitura, meramente administrativas, ou seja, é uma lista de subprefeituras, na qual se incluem lugares sem o menor interesse turístico. Por outro lado, ao terem sido estabelecidos agrupamentos de bairros e mesmo levando em conta todas as críticas acima, que são completamente válidas, acho que a divisão atual continua sendo a melhor opção de apresentação dos bairros da cidade, já que acabam levando em conta características comuns, como proximidade (guardadas as devidas proporções ao tamanho da cidade!), afinidade, interesse etc, e como são tradicionalmente conhecidos. Além disso, como levantado acima, não faz o menor sentido para os paulistanos coisas do tipo "leste-1", "leste-2" ou és-qualquer-coisa. Se um turista perguntar algo assim para um local, com certeza não será entendido. Talvez fosse interessante agrupar os bairros dentro de cinco regiões (centro, norte, sul, leste e oeste) apenas. O que falta, de fato, é completar os artigos existentes. sylx 10h26min de 23 de Dezembro de 2010 (EST)
    • São Paulo tem que ter menos artigos de distrito, já que metade deles não tem informação suficiente para serem mantidos. Eu acho que devemos implementar as divisões da wikipédia, embora talvez devessemos unir algumas (como leste 1 e leste 2). Além disso, todos os bairros da cidade devem ser representados, independentemente do seu interesse turístico. O Wikivoyage tem vários artigos de cidades sem o minímo interesse turístico. --tiagox2 14h15min de 23 de Dezembro de 2010 (EST)
Como te falei, a divisão da WP só serve para a administração. A maioria das subprefeituras não serve para turista nenhum. O que precisa ser feito é melhorar os artigos.sylx 16h26min de 23 de Dezembro de 2010 (EST)
Aliás, verificando os artigos, constatei que há apenas UM ÚNICO que está vazio. OS demais estão de médios a bons. Faltam umas imagens, sim. sylx 16h33min de 23 de Dezembro de 2010 (EST)

Informações sem casa[editar]

Essas informações devem ser inseridas no artigo do bairro, quando for criado.

  • Feira da Kantuta - Rua Pedro Vicente, altura do nº 600. Essa feira no bairro chamado Pari reúne a comunidade de bolivianos em SP, vendendo produtos típicos e pratos com receitas tradicionais da Bolívia. Destaque para as salteñas, deliciosas empanadas de carne ou frango, adocicadas e picantes.
Texugo, acho que essa forma de "limpar" os artigos nos leva a um empobrecimento do conteúdo do Wikivoyage. Se um artigo tem zero de informação em uma seção, colocar algo que não seja um destaque (do seu ponto de vista, diga-se) é melhor do que não ter nada. Acho que se você não conhece o destino suficientemente para recolocar o lugar indicado em um artigo de bairro, é melhor que o deixe no artigo principal até que alguém que conheça bem a cidade o faça (se é que isso é possível, considerando essa divisão maluca de bairros de SP que foi inventada). Enfim, a filosofia do Wikivoyage é "antes pouco do que nada" e queremos seguí-la por aqui também. Para todos os efeitos, quando se trata de informação útil, o artigo principal é uma "casa" melhor do que a página de discussão. -- Ricardo (Rmx) 08:14, 7 Setembro 2006 (EDT)
Humm... OK. Eu ia conceder e reinserir aquele negócio mas, agora considerando o que escrevi no artigo principal, acho que ficaria meio esquisito. Acho que eventualmente esta secção deve ter mais informações gerais, sobre quais bairros tem mais restaurantes, de que tipo são, quais redes se tem lá, e informações básicas descrevendo pratos típicos-- informações relatadas à metrópole inteira. (Eu escreveria mais lá agora, mas me falta o vocabulário culinário o suficiente para redigir eloqüentemente.) Num artigo ideal e completo desse modelo de metrópole, cheio de informações, acho que eu não colocaria nenhum restaurante específico assim na página principal ao menos que tenha algo tipo circunstância histórica ou fama nacional/mundial. Pois depois de uma certa altura, colocar restaurante aqui é elevar-lo sobre todos os outros enterrados nos articulos de distrito. Parece que fico impaciente pra que os artigos crescer até aquele ponto, rs. Mas por enquanto você tem razão pelo fato que por enquanto não há lugar melhor pra colocar um restaurante assim, e obviamente não tem outros agora sobre quais ele apareceria elevado. Se você quiser ainda reinserir aquele restaurante lá, vai em frente, eu deixo tudo isto nas suas mãos. Texugo 05:33, 8 Setembro 2006 (EDT)

Relevante pro viajante??[editar]

Qual viajante compra produtos para farmácias ou máquinas para confecções? É realmente útil para o viajante normal listar aqui todas as conferências industriais e feiras de comércio? Também acho muito raro mesmo o viajante que compra cachorro durante uma viagem. Tirei as informações seguintes:

  • da secção Compre:
Você pode adiquirir os melhores filhotes do Kennel Bless.
Um canil especializado nas raças Shih-Tzu, Yorkshire, Maltês, Lhasa-Apso, Lulu da Pomerânia, 
Pug e Buldogue-Inglês. Para detalhes sobre o Canil: http://www.kennelbless.com.br
Telefones: +55(11)8350-9644

da secção Atividades e Eventos":

===Principais Feiras===

====Janeiro====
*Couromoda (Calçados, Artigos Esportivos e Artigos de Couro)

====Fevereiro====
*Fenatec (Tecelagem)
*Feimaco (Máquinas para Confecções)

====Março====
*Farmaexpo (Produtos para Farmácias e Drogaria)
*Feicon (Indústria da Construção)
*Telexpo (Telecomunicações e Tecnologia)

====Abril====
*Brasilplast (Indústria do Plástico)
*Hair Brasil (Beleza, Cabelos e Estética)

====Maio====
*Exposeg (International Security Fair)
*Fispal Tecnologia (Processos industriais)

====Junho====
*ABF Franchising Expo (Franquias)
*Fenit (Indústria Têxtil)
*Salão do Turismo – Roteiros do Brasil
*Fispal (Produtos para Alimentação)
*Lacime (Turismo de Incentivo e Eventos)

====Julho====
*Automec (Autopeças e Equipamentos)
*Francal (Calçados e Acessórios de Moda)

====Agosto====
*Fenavem (Vendas e exportações de móveis)
*IT Brasil (Informática e Telecomunicações)

====Setembro====
*Cosmoprof Cosmética (Beleza)
*Equipotel (Equipamentos para Hotéis, Restaurantes etc)

====Outubro====
*Brasiltec (Inovação Tecnológica)
*Pet South America (Produtos para Animais Domésticos)
*Fenatran (Transportes) - apenas anos ímpares

====Novembro====
*Feisucro (Setor Alcooleiro)(Indústria do Plástico)

Texugo 06:31, 10 Setembro 2006 (EDT)



Concordo, mas já que citamos que São Paulo é principalmente um destino de turismo de negócios, não é interessante colocarmos as Principais feiras que ocorrem aqui, (já que está lista está bem longe de conter todas) ? Afinal, um viajante que vem a negócios, ´não deixa de ser turista e não deixa de querer conhecer a cidade.
Acho que uma solução seria colocar alguns desses eventos secundários nas páginas dos distritos/bairros, que tal? Eu não vejo um problema em colocar as feiras de negócios, a princípio. Só acho que geralmente quem está em um ramo de negócios geralmente sabe dessas feiras com ou sem Wikivoyage. A nossa função então seria indicar a essas pessoas onde ficar, o que comer e o que fazer fora do evento. Os eventos do artigo principal deveriam ser só os mais conhecidos e mais voltados para o público geral - Bienal, Salão do Automóvel, São Silvestre - para ajudar as pessoas a escolherem em que época ir. Ah, e manter um número entre 7 e 9 em cada página seria perfeito, para a informação ficar mais concisa mas eficiente. Ricardo (Rmx) 07:12, 11 Novembro 2006 (EST)
Como São Paulo tem muita coisa, acho que colocar apenas nas páginas de bairros será ruim para o turista consultar e saber quais as principais feiras de São Paulo etc... e colocar tudo no guia da cidade ficará também ruim de consultar. Acho importante colocar as Top 5 ou algo similar, e criamos um artigo do tipo "Negócios em São Paulo" com informações mais especificas para esse tipo de turismo.
Acho que o mesmo pode ser feito com as outras opções de turismo como museus, restaurantes, festas, igrejas. Minha sugestão seriam títulos como "Turismo Gastronomico em São Paulo", "Turismo Religioso em São Paulo", "Turismo Histórico em São Paulo", etc... E então colocar ligações a partir do artigo da cidade, algo como A Catedral da Sé no Centro é a maior e principal Igreja da cidade, para conhecer mais igrejas consulte "turismo religioso em São Paulo". --Hugoxrosa (discussão) 14h28min de 3 de abril de 2014 (UTC)[Responder]

Mudança a primeira imagem[editar]

Estou fazendo uns acréscimos já a um tempo no artigo e hoje troquei a imagem inicial do artigo por considerar que a mesma tem mais "apelo" turístico, do que uma imagem que retrata somente a avenida paulista como estava antes201.6.171.138 01h37min de 28 de março de 2013 (UTC)[Responder]

Olá. Muito obrigado pela suas contribuições neste artigo! Pode trocar ou adicionar imagens para melhorar o artigo, mas pelo nosso manual de estilo, não usamos montagens em nossos artigos, pois são difíceis de legendar, com imagens pequenas para enxergar bem, difíceis de editar, e parecem ter mais estilo de propaganda. Vide Wikivoyage:Regras para imagens. Obrigado! Texugo (discussão) 02h07min de 28 de março de 2013 (UTC)[Responder]

Texto excessivo[editar]

  • Estou ficando um pouco incomodado, toda semana o texto desta página cresce quatro ou cinco parágrafos, a maioria deles contendo principalmente dezenas de adjetivos variados sublinhando e realçando que maravilha incomparável que é a cidade de São Paulo. Em qualquer artigo de WV de qualquer língua, é difícil encontrar uma introdução com mais de quatro linhas. Esta hoje amanheceu com 19 linhas e incontáveis adjetivos:

"Com uma população de 11 milhões de habitantes na cidade e de 19,8 quando se soma sua região metropolitana. São Paulo é hoje uma das mais povoadas e vibrantes metrópoles do mundo. Se até meados do século 19 São Paulo era uma cidade acanhada e de pouca expressão no Brasil, a partir do fim do século 19 especialmente durante todo o século 20, a cidade sofreu um intenso e acelerado processo de enriquecimento, industrialização, urbanização e enobrecimento até transformar-se atualmente na 13º cidade mais rica do mundo, com previsão de que alcance a 6º colocação até o ano de 2025. São Paulo é hoje também reconhecida internacionalmente como uma "Cidade Global" de categoria "Alfa+", por sua importância econômica, cultural e social, o que faz com que esteja cada dia mais conhecida e em evidencia nos grandes meios de comunicação mundiais, atraindo também imigrantes de diversas partes do globo, além de ser um importante polo internacional de negócios, finanças e uma das cidades que mais realizam eventos no mundo, e que apesar de já possuir a algumas décadas um vigoroso e contínuo fluxo de turistas de negócios, só mais recentemente vem dando enfase também à exploração turística focada em seus inúmeros, e não menos relevantes, atrativos culturais e de lazer e descanso."

Mais exemplos:

"São Paulo como qualquer grande cidade tem seus locais bonitos, regiões aprazíveis e bucólicas, lugares onde se pode contemplar e interagir com a natureza, e variadas atrações que podem desmistificar pré-conceitos em relação a cidade. A imagem de "cidade caótica" tão sistematicamente atribuída a São Paulo é superestimada quando confrontada com a realidade urbana brasileira em geral, onde os problemas decorrentes de falta de planejamento urbano, desigualdade social e problemas de segurança, são corriqueiros. É preciso compreender também que o perfil turístico é distinto ao de zonas costeiras ou interioranas, sendo essencialmente urbano. A cidade tem áreas arborizadas e bonitas, grandes parques, represas morros, montanhas, mirantes, mas há outras partes mais cinzentas e desorganizadas sem muito apelo estético, como acontece em qualquer grande cidade do mundo onde, em geral, fora das zonas turísticas o que se vê é muito mais simples e sem muito apelo. Enfim ficaria muito difícil definir essa cidade complexa e heterogênea que abriga surpresas, que a maioria dos próprios paulistanos desconhece, e que não se mostra óbvia em quase nada. Desbrave-a e surpreenda-se.""Os cidadãos paulistanos têm a reputação de trabalhar muito, mas também descansam e sabem se divertir aproveitando a vida. A noite paulistana é uma das mais agitadas do mundo, são centenas de casas noturnas, boates, casas de Shows, peças teatrais, restaurantes, danceterias, bares, com programas para todos os gostos, e a cidade conta também com inúmeros parques, reservas naturais, áreas de preservação ambiental, praias e marinas em represas, variados museus e centros culturais, clubes, Shoppings, cinemas, hotéis, boutiques, shoppings de luxo, centros populares de comércio de rua especializados spas etc..." "São Paulo é uma cidade cosmopolita povoada por gente de todos os cantos do Brasil e do mundo e/ou seus descendentes. Historicamente, a cidade foi destino principalmente de imigrantes de Portugal, Itália, Espanha, Alemanha, Japão e Líbano, e, em menor proporção, também imigrantes da Armênia, Hungria, Grécia e Lituânia, que deixaram marcas profundas e diversas em vários cantos da cidade, embora imigrantes provenientes de outros países também tenham escolhido São Paulo como destino. Atualmente, são especialmente significativas as populações estrangeiras oriundas da Bolívia, Peru, Nigéria, Angola, China e Coreia do Sul. Na cidade está a maior comunidade japonesa fora do Japão. A influência Italiana também é muito forte, assim como a árabe, judaica, alemã e outros que chegaram ao Brasil durante o século XX para trabalharem em plantações de café. Toda esta diversidade traz inúmeras vantagens para o visitante, que pode apreciar uma gastronomia rica, com 52 tipos de culinária. Toda essa diversidade também tornou os paulistanos um povo tolerante e amigável" "A riqueza da cidade e a diversidade da população tornam São Paulo um destino inigualável para o turista, sobre tudo aqueles mais ávidos por novas experiencias ou surpresas que possam fugir ao estilo mais tradicional de turismo normalmente difundido num pais como o Brasil. A cidade é um mix de culturas, sons, sabores, sotaques, estilos de vida e até mesmo de paisagens, um local onde é quase impossível que não hajam atrações para atender os mais variados gostos. As opções noturnas, as novidades gastronômicas, as milhares de lojas e butiques e o cotidiano desta fantástica metrópole multicultural são como uma fonte inesgotável de coisas para se fazer." "Como a maior cidade do Brasil, São Paulo oferece opções de compra sem iguais no País. A capital paulista abriga lojas de todos os tipos e para todos os bolsos. São cerca de 240 mil lojas e 70 shoppings centers. Do comércio popular ao luxo das lojas exclusivas, São Paulo é destino preferido dos brasileiros que procuram novas peças para o guarda-roupas, o aparelho eletrônico de última geração ou o livro que acabou de ser editado no exterior. E ao contrário do que diz o ditado, a praia do paulistano pode até ser o shopping, mas o comércio não se limita aos centros de compras. Pelo contrário, os pontos mais tradicionais do varejo paulistano ainda estão nas ruas." "Espalhados por toda a cidade, os “botecos” são a opção preferida dos paulistanos para encontrar amigos, beber cerveja ou chopp e ainda experimentar petiscos. Esses bares despojados estão dos bairros mais elegantes à distante periferia. Os mais concorridos ficam na região da Vila Madalena, Pinheiros, Jardins, Vila Nova Conceição, Vila Olímpia, Tatuapé, Santana, além do centro."

"Nos últimos anos, a cidade foi invadida por uma série de “botecos chiques”, principalmente na Vila Madalena, Pinheiros e Vila Nova Conceição. Eles mantêm características e decoração dos antigos bares, mas oferecem serviço e opções de cardápio diferenciados. A cozinha desses botecos é um capitulo a parte, e é uma ótima opção para pratos tipicamente populares, como coxinhas, pastéis, sanduíches e outras porções."

"Depois de alguns – ou muitos – chopps, o viajante tem uma infinidade de opções para terminar a noite. As discotecas – mais conhecidas na cidade como danceterias ou, simplesmente, baladas – também estão espalhadas e as alternativas são praticamente infinitas. De segunda a segunda, a noite paulistana oferece opções que vão desde a música country às mais variadas vertentes da música eletrônica, passando por clubes de rock, hip-hop, rap, samba, pagode e axé."

"Uma cidade tão grande, rica, diversa e cosmopolita como São Paulo não poderia deixar de oferecer as mais variadas opções de hospedagem para os mais variados gostos e bolsos. A cidade conta hoje com a maior rede de hospedagem do Brasil num total de 410 hotéis, o que significa na prática 42 mil quartos a disposição dos turistas que vem a cidade, isso somente na rede hoteleira que não inclui outras modalidades de hospedagem. Estando toda esta oferta disponível na cidade a mesma se mostra dividida nos mais variados segmentos que vão desde as categorias "Super Econômico" até os "Hotéis Boutique" e de alto luxo."

"Grandes redes hoteleiras internacionais também marcam sua presença na cidade, tais como: Accor (Ibis, Sofitel, Mercure, Formule 1), Hilton, Grand Hyatt, Renaissance, Sheraton, Holiday Inn, Tivolli, Gran Meliá, Caesar etc. Além dessas grandes redes podem ser encontrados na cidade também "Hotéis Boutique" de grande prestígio e renome tais como o Emiliano ou o Fasano que segundo a revista Forbes é o hotel mais chic da América do Sul por exemplo. Cabe ressaltar que não só das grandes cadeias hoteleiras e dos hotéis mais exclusivos vive a hotelaria paulistana. Em se estando na cidade é possível contar com uma ampla e variada gama de opções onde se encaixam também opções mais informais tais como os hotéis sem bandeira, os hotéis familiares, os Hostels e mais uma infinidade de opções para os mais mais variados tipos de necessidades e relação custo X benefício."

Em meu ponto de vista, todos esses imensos calhamaços de purpurina ferem Tom, Seja justo e Publicidade e propaganda são excessivamente empolados, desestimulam a leitura, serão de difícil manutenção no artigo, e poderiam perfeitamente ser simplesmente deletadas do texto, sem prejuízo. Agora, isto pode desagradar pelo menos um voluntário anônimo, muito empolgado, que tem contribuído aqui; deve ser feito de uma forma que não aliene ou desestimule suas contribuições aqui. Tomara que ele próprio leia esta página de discussão e se anime a começar a cortar adjetivos. Sugestões de procedimento são bem vindas.Ibaman (discussão) 12h07min de 22 de abril de 2013 (UTC)[Responder]

Estou de acordo - a linguagem está ficando florida mesmo e acho que é hora de podar uns trechos. Talvez seria possível redestinar umas porções e distribuí-las nos artigos de distritos, mas tem muita coisa que deve ser retirada ou pelo menos resumida de forma mais sucinta. Texugo (discussão) 17h01min de 22 de abril de 2013 (UTC)[Responder]
Acho que às vezes as pessoas confundem um pouco as coisas, como paulistano gosto muito de São Paulo, e tenho muitas formas poéticas de descrevâ-las. Mas, o foco do guia não deve ser convencer os visitantes do wikivoyage a vir para São Paulo, mais sim ajudar aqueles que já decidiram vir para São Paulo.

Desculpas[editar]

Me desculpem, minha empolgação era só a de dar o máximo de informações possíveis de forma impessoal e desmistificar esteriótipos a cerca da cidade, mas vejo que não obtive exito na tentativa. Perdoem se não respeitei as regras de edição e os demais editores tornando o artigo cansativo. Não preciso nem dizer que o artigo está a disposição para reversões, exclusões e novas modificações... Não irei mais ficar atrapalhando vocês, apenas tive a impressão de que o artigo estava abandonado mas agora dá pra ver que não está, e isso é bom. Sinceras desculpas.201.6.171.215 03h03min de 28 de abril de 2013 (UTC)[Responder]

Cara, você não atrapalhou em nada, pelo contrário, é claro que o texto do voluntário acima foi um tanto quanto agressivo, mas a ideia é que todos colaborem, e não há apenas uma visão do correto, alias, essas "regras" são apenas recomendações para se evitar que se crie algo que não parece confiável, pois se o amor ao local for traduzido de forma muito veemente, o texto ficará inverossímil, e talvez perdendo credibilidade... e a construção é colaborativa. Eu sei que há pessoas mais interessadas em "regras" do que nos voluntários, mas sua colaboração é muito bem vinda, e se criar uma conta (demora menos de 2 min e não pede nenhuma informação pessoal), podemos estabelecer uma relação de diálogo e melhorar as nossas contribuições, o que acha? Abraços. Rodrigo Tetsuo Argenton m 07h04min de 29 de abril de 2013 (UTC)[Responder]

Joalpe e seus estudantes[editar]

Sejam todos bem-vindos, atualmente a comunidade não tem tido muito movimento, toda edição é bem recebida. Por favor consultem nosso Wikivoyage:Manual de estilo em caso de dúvidas, e usem esta página de discussão para propor e debater melhoras no texto e no layout da página. Abraços a todos, comentário precedente não assinado de Ibaman (discussãocontribs) Rodrigo Tetsuo Argenton m 09h48min de 22 de outubro de 2016 (UTC)[Responder]

Ibaman, obrigado. Com o enorme volume de informação que vamos colocar no projeto, em todas as páginas sobre bairros de São Paulo, principalmente o centro histórico que concentra muito de nosso patrimônio cultural, é provável que os editores mais experientes tenham de intervir para organizar melhor as páginas. Não conheço os critérios, por exemplo, para ordenamento de locais de interesse para saber o que deve vir à frente. Também está confusa a inserção de fotografias. É bem-vinda toda e qualquer ajuda. --Joalpe (discussão) 11h12min de 22 de outubro de 2016 (UTC)[Responder]