Baixe o arquivo GPX para este artigo
-14.071-42.485

Caetité

Fonte: Wikivoyage
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vista parcial, com a entrada da cidade pela BR-030 (à direita).

Caetité é um município brasileiro do estado da Bahia, distante cerca de 700 km de Salvador, capital do estado. Integra o Mapa do Turismo Brasileiro, inserido na zona Caminhos do Oeste.

É a cidade natal do educador Anísio Teixeira, do cantor Waldick Soriano dentre outros como os governadores da Bahia Joaquim Manoel Rodrigues Lima e Paulo Souto, os tribunos Cezar Zama, Aristides Spínola (que também governou o estado de Goiás) e Prisco Vianna, além de filhos ilustres que, ao longo de seus mais de duzentos anos de emancipação a colocaram em destaque no sertão baiano.

Conhecida por vários epítetos: "Terra da Cultura" ou "Cidade Cultura", '"Terra-Mãe do Sudoeste da Bahia", "Cidade Feliz", "Atenas do Sertão Baiano", foi também definida pelo engenheiro Teodoro Sampaio em 1880 como a "Corte do Sertão", pelo escritor Guimarães Rosa como "a cidade melhor" e por Anísio Teixeira como "pequenina e ilustre".

Centro de um dos maiores parques eólicos do país, possui ainda várias minerações como urânio, ferro, manganês, ametista e granitos, de forma que possui uma variada e grande rede hoteleira, muitos restaurantes e lanchonetes, além de incontáveis, tradicionais e prazerosos botecos.

Com uma gente simples e hospitaleira, desde o século XIX os viajantes aqui se encantam com a terra que brilha como joia incrustada na rocha. Foi assim, já em 1880, com o engenheiro Teodoro Sampaio disse, aqui chegando, que "Caetité, situada no fundo de um vale estreito, a estrada deflete a lés-nordeste, depois a nordeste, procurando passagem por entre grotas e penhascos de quartizito, que nos informaram serem auríferos, e penetra na cidade, cujo aspecto é deveras grato ao viajante que vem do sertão (...) há aqui uma boa e culta sociedade, muita urbanidade e delicadeza da gente do lugar."

Entenda[editar]

Atual Arquivo Público Municipal de Caetité
Antiga Casa da Câmara e Cadeia

Caetité possui um rico histórico e clima ameno, apesar de situada em pleno semiárido, o que a tornou um pouso certo dos antigos viajantes que desbravavam o interior do Brasil Colônia. Este passado a tornou centro de um vasto território do qual se originaram 47 cidades do Sudoeste Baiano, dentre as quais Vitória da Conquista, Itapetinga, Brumado e Guanambi.

Centro educacional, a cidade foi pioneira no interior e hoje possui uma rica paisagem permeada por torres eólicas, o maior número de imóveis tombados pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) fora de Salvador, vários deles restaurados ou em bom estado de conservação. Além da sua sede, os distritos históricos de Brejinho das Ametistas (onde nasceu Waldick Soriano) e Caldeiras, bem como o povoado de Santa Luzia, são atrativos adicionais ao visitante, como a Fazenda Brejo dos Padres com mais de trezentos anos.

Geografia[editar]

Mapa de situação de Caetité no estado da Bahia
Localização de Caetité

Situada num vale, a sede da cidade apresenta o relevo montanhoso da Serra Geral (que é uma espécie de ligação entre a Chapada Diamantina e as serras de Minas Gerais), proporcionando ao visitante diversas paisagens que variam dos campos gerais (cerrado), caatinga e "capões" (ilhas de mata com vegetação de mata atlântica). O município está num divisor de águas: parte de seus cursos d'água fluem para a Bacia do Rio de Contas (como o rio São João), e parte para a Bacia do São Francisco (como os rios Santo Onofre, Carnaíba de Dentro e Carnaíba de Fora).

Tem uma área de 2.442 km², uma população estimada em mais de 51 mil habitantes e possui quatro distritos além da sede: Brejinho das Ametistas, Caldeiras, Maniaçu e Pajeú do Vento, além do povoado de Santa Luzia.

Graças à alta e constante incidência de ventos, a cidade é o centro de um dos maiores parques eólicos da América Latina, em paisagens belíssimas que se constituem atrativo adicional ao visitante. O potencial eólico já fora previsto no primeiro livro publicado no país - o Corografia Brazilica, de Aires de Casal - em 1817: "Vilanova do Príncipe, anteriormente Cayteté, criada em mil oitocentos e dez, está num sítio lavado dos ventos..." (grifamos)

Clima[editar]

Arthur Moreira Lima em concerto, 16 de julho de 2008.
O pianista reclamou do frio caetiteense.

A sede municipal fica numa altitude superior a 800 metros, atingindo 900 m em alguns pontos. Graças a isto, durante os meses de junho a agosto a temperatura pode atingir cerca de 10ºC, e a sensação térmica sempre provoca um frio maior - o que vem arrefecendo nos últimos anos. Mas mesmo assim, prepare-se caso visite a cidade nesta época: o pianista Arthur Moreira Lima, que estudou quando jovem em Moscou, reclamou do frio sertanejo e, ao ser questionado que já enfrentara coisa muito pior, explicou: "é que o frio daqui dói nos ossos!" Tirando o exagero do pianista, se você não está acostumado, é melhor prevenir-se.

Meteorologia

Veja o estado do tempo em msn Meteorologia nos próximos dias: [Caetité MSN Clima].

Caetité possui, desativada, uma das primeiras estações meteorológicas do país, criada ainda no reinado de Pedro II mas instalada apenas no começo do século XX. O antigo Observatório de Caetité, hoje no centro do bairro que leva seu nome, foi tombado como patrimônio histórico, cultural e arquitetônico pelo município e aguarda restauração.

Os períodos de maior insolação são entre maio e setembro (200 horas), quando o município se encontra na estação seca, e sua temperatura média compensada anual é de 22,1 °C (média máxima de 27,6 °C e mínima de 17,5 °C). Segundo dados da estação convencional do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) no município, entre 1961 e 2019 a menor temperatura registrada em Caetité foi de 6,1 °C em 21 de julho de 1966, e a maior atingiu 36,7 °C em 1° de novembro de 2012. O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 111,5 milímetros (mm) em 18 de dezembro de 2007. Outros grandes acumulados iguais ou superiores a 100 mm foram: 105,5 mm em 9 de março de 1988, 101,2 mm em 3 de janeiro de 2004 e 101 mm em 11 de outubro de 1995.

Genealogia das cidades sertanejas[editar]

Cidades "filhas" e "netas" de Caetité
Anajé (Conquista, 1962); Aracatu (Brumado, 1962); Barra do Choça (Conquista, 1962); Belo Campo (Conquista, 1962); Boa Nova (Conquista, 1880); Bom Jesus da Serra (Poções,1989); Brumado (1877); Caatiba (Conquista, 1961); Caculé (1919); Caetanos (Poções,1989); Candiba (Guanambi, 1962); Cândido Sales (Conquista, 1962); Caraíbas (Tremedal, 1989); Condeúba (1889); Cordeiros (Condeúba, 1961); Dário Meira; Encruzilhada (Macarani, 1952); Guajeru (Condeúba, 1985); Guanambi (seu território originalmente pertencia à Vila Nova de Caetité, depois passou a Palmas de Monte Alto quando esta desmembrou-se de Macaúbas em 1840, por sua vez oriunda de Urubu em 1832); Ibiassucê (Caculé, 1962); Ibicuí (Poções, 1952); Igaporã (1953/58); Iguaí (Poções, 1952); Itagibá (Boa Nova, 1958); Itambé (Conquista, 1927); Itapetinga (Itambé, 1952); Jacaraci (1880); Lagoa Real (1989); Licínio de Almeida (Jacaraci/Urandi, 1962); Macarani (Conquista, 1921); Maetinga (Presidente Jânio Quadros, 1985); Maiquinique (Macarani, 1961); Malhada de Pedras (Brumado, 1962); Manoel Vitorino (Boa Nova, 1962); Mirante (Boa Nova, 1962); Mortugaba (Jacaraci, 1943?); Nova Canaã (Poções, 1961); Pindaí (Urandi, 1962); Piripá (Condeúba, 1962); Planalto (Poções, 1962); Poções (Conquista, 1880/1923); Presidente Jânio Quadros (1961); Ribeirão do Largo (Encruzilhada, 1989); Rio do Antônio (Caculé, 1962); Tremedal (Condeúba, 1953); Urandi (1889) e Vitória da Conquista (1840).

Mapa de Caetité em 1810, ocupando quase todo o Sudoeste da Bahia.

Ainda no Brasil-Colônia tem início a história da formação das primeiras vilas na Bahia, e a divisão territorial que seguiu-se às capitanias hereditárias. Assim, em 1722 emancipou-se a vila de Jacobina, e dois anos depois a vila de Rio de Contas. Por dois anos o território caetiteense pertenceu à primeira e veio a se desmembrar da segunda em 1810, já com a vinda da Família Real para o Brasil, e depois de muita resistência dos riocontenses. Seu território era maior, então, do que Portugal.

Assim, ao longo da história, o vasto território de Caetité foi se desmembrando, de forma que quase meia centena de cidades são "filhas" ou "netas" de Caetité. Confira ao lado, em ordem alfabética, os municípios que tiveram sua origem na cidade (com a data e eventual cidade intermediária na sucessão, entre parêntesis).

Este quadro reflete a importância regional de Caetité, de sua cultura e história, ensejando a visitação também dos moradores da própria região que desejam conhecer a terra de onde originou-se sua cidade.

Além dessas, a importância de Caetité como polo educacional durante quase dois séculos trouxeram para a cidade pessoas de toda a região e norte mineiro em busca de uma educação melhor para seus filhos. Gente como o ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Benito Figueiredo (de Macaúbas), se juntaram a muitos outros que aqui cursaram o ensino fundamental antes de alçarem voos mais altos, como o maestro Fred Dantas ou o historiador Erivaldo Fagundes Neves - pessoas que criaram um laço eterno com a cidade que lhes deu o alicerce irremovível da educação.

Na área de influência de Caetité, e que não guardam vínculo de origem territorial, tem-se cidades ao norte, como Tanque Novo, Paramirim e Riacho de Santana, ou ao leste como Monte Alto e Sebastião Laranjeiras, com muito em comum na sua formação social, cultural e também religiosa.

História[editar]

Casa do Coronel Cazuzinha (à direita) e a praça do mesmo nome (à esquerda)

Emancipada a 5 de abril de 1810, a bicentenária cidade possui sua original Casa da Câmara e Cadeia (atual Arquivo Público Municipal), local onde funcionaram a Câmara de Vereadores, prefeitura, fórum, delegacia e cadeia pública, aberto à visitação e pesquisa histórica.

Quando se deram as lutas pela Independência da Bahia, iniciadas no final de 1821 e concluídas em 1823, a municipalidade aderiu à causa pátria e mantém viva até o presente a comemoração pela data máxima do estado, a "Festa do 2 de Julho", com grande participação popular e um dos maiores desfiles equestres do estado.

Já durante o primeiro reinado a cidade tornou-se polo educacional, formando professores que vieram a se espalhar por todo o país. Foi ali, no final do século XIX, que se instalou a primeira Escola Normal do interior. Foi ainda a primeira cidade, além da capital, a ter energia elétrica.

Este rico histórico pode ser visitado na casa natal de Anísio Teixeira, importante centro cultural, e ainda em construções como a Casa do Coronel Cazuzinha, Sobrado dos Brito Gondim, sede da Câmara de Vereadores (antiga Escola Normal).

De 1833 é a Igreja de São Benedito, bem tombado estadualmente, que foi a capela da família do Barão de Caetité., que nela foi sepultado. Desde 1913 a cidade é sede da Diocese de Caetité, dedicada a Senhora Santana, cuja sé-catedral é um imponente templo que fica no centro da zona urbana.

Caetité apresenta um grande turismo familiar. Ao longo de seus dois séculos de história a cidade assistiu ao êxodo de muitos de seus naturais, a exemplo dos avôs da ex-presidenta Dilma Roussef (Odilon Silva) e da empresária Luíza Trajano (Manoel Trajano Mattos) ou o bisavô do jornalista Bob Fernantes (Ernesto Dantas). A pesquisa genealógica é um dos atrativos à visitação, bem como para aqueles que pretendem conhecer a terra de seus ancestrais.

Turismo[editar]

A Secelt, com sua pequena mas aconchegante pracinha.

Desde o ano de 2013 que Caetité conta com a Secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo (Secelt), mas foi somente em 2021, com o secretário Doriedson de Brito Almeida, e tendo por Gerente de Cultura e Turismo Tairone Fernandes de Carvalho e Superintendente de Turismo Lícia Magda Araújo Rosa, que a cidade constituiu seu primeiro Conselho Municipal de Turismo (Comturc) e elaborou o primeiro plano de turismo, estabelecendo as metas para o setor.

A sede da Secelt já é um patrimônio arquitetônico local, inaugurado como sede do executivo na gestão do futuro senador Ovídio Antunes Teixeira, estando sob proteção de tombamento municipal provisório. Situada no centro histórico da cidade, a secretaria vem encetando esforços para incrementar o turismo como atividade permanente, divulgando os atrativos locais. Contato: (77) 99993-2978.

Esse trabalho governamental vem se somar a iniciativas privadas, como a primeira agência de turismo que visa apresentar aos visitantes que chegam a Caetité os encantos que a terra possui, com passeios por sua história, trilhas e eventos - a Avatur - Avatar Turismo, de Vandilson Alves (Cadastur nº 43.267.371/0001-47).

Chegar[editar]

Mapa rodoviário de Caetité
Turista aprecia os 120 m de altura das torres eólicas em Caetité.

De avião[editar]

Caetité possui o Aeroporto Guilherme Brandão de Castro, com pista pavimentada de 1 365 metros de comprimento por 20 metros de largura.

De ônibus[editar]

O transporte rodoviário de passageiros em Caetité foi feito originalmente por empreendedores individuais, que ficaram na memória dos mais antigos, como a figura de "Antônio do Ônibus"; inicialmente servindo desta forma os passageiros, enfrentando a precariedade das estradas que o natural de Paramirim Edgar Abreu Magalhães (Edgarzão, como era conhecido na cidade), fundou a empresa Novo Horizonte; mais tarde ele adquiriu a concorrente Bonfinense, que possuía a linha para Caetité até meados da década de1970, e assumiu durante muitos anos a exclusividade da linha, a partir da sede da empresa, instalada em Vitória da Conquista, que se desenvolvera rapidamente após a construção da Rio-Bahia.

Hoje o transporte se faz da seguinte forma:

  • Terminal Rodoviário - situado à Praça do Mercado, às margens da BR-030. É atendido pelas empresas Gontijo e Novo Horizonte.

Possui os seguintes serviços de ônibus de empresas da cidade, com partida fora do terminal:

  • Roberto Viagens Especiais - Praça da Catedral, s/nº - com linha para Vitória da Conquista e Salvador. Cadastur nº 02.560.408/0001-43. tel: (77) 3454-1416
  • Caetité Turismo e Transporte - Rua Anhanguera, nº 100, bairro Buenos Aires - com linha para São Paulo, Belo Horizonte, Montes Claros, etc. Cadastur nº 43.861.546/0001-40. tel: (77) 3454-3363
  • Luskar Turismo - Avenida Monte das Oliveiras, nº 55, bairro Alto do Cristo. tel: (77) 99825-3618
  • Isabela Turismo - linhas para São Paulo, ida e volta (sem endereço fornecido). tel: (77) 99136-4457 (Tony); 99103-2845 (Dez) e 99177-0263 (Valdir)

Além dessas, possui linhas das seguintes empresas regionais, que possuem escritório na cidade:

  • TPC Turismo" - da cidade de Brumado, av. Pref. Dácio Oliveira, bairro da Chácara. tel: (77) 99937-4169

De carro[editar]

Caetité fica situada na confluência de três estradas federais: BR-030, BR-430 e BR-122, além de ser cortada de norte a sul pela BA-156, asfaltada até seus distritos de Brejinho das Ametistas e de Caldeiras, além da BA-937 com asfalto até o distrito de Pajeú do Vento.

Principais distâncias[editar]

  • Salvador - 636,3 km via BA-026; 751,7 km via BR-116 e 768,7 km pela BR-242
  • Brasília - 808 km: através da BR-030, até Formosa, em Goiás, depois a BR-020, até o entroncamento da BR-349. Siga pela mesma até Bom Jesus da Lapa, pegue a BR-430 até chegar a Caetité.
  • Montes Claros - 408 km via BR-122
  • Vitória da Conquista - 234 km
  • Rio de Contas - 181,7 km via BR-030 e BA-148; 131,1 km via BR-122 e BA-569

Durma[editar]

Caetité possui uma variada rede hoteleira, proporcionando desde as pousadas mais simples a hotéis com opcionais diversas de serviços.

Hotéis[editar]

(clique na imagem para ampliar)

  • Porto do Sol - rua José Joaquim de Oliveira, nº 235, bairro Chácara, tel: (77) 3454-3000; site oficial
a 500m do Centro Histórico da cidade e próximo ao Museu do Alto Sertão da Bahia - MASB, um belo exemplo da arquitetura rural do Brasil Colônia. Cadastur nº 03.336.293/0001-70.
  • Hotel Vila Nova do Príncipe - praça da Catedral, nº 129, Centro. Cadastur nº 13.284.895/0001-85. tel: (77) 3454-4025, site oficial
Fica localizado no centro da cidade ao lado da matriz, onde era a residência do Senador Ovídio Teixeira, totalmente restaurado e adaptado. Seu nome remete à denominação original da cidade quando de sua emancipação: Vila Nova do Príncipe e Santana do Caetité.
  • Caetité Palace Hotel - praça Tancredo Neves, Centro. Cadastur nº 01.808.259/0001-26. tel: (77) 3454-2244, site oficial.
Um dos hotéis mais tradicionais da cidade, há mais de quatro décadas atuando no setor.
  • Le Parc - Rua Doze de Outubro, nº 204, bairro Lamarão. Cadastur nº 19.937.057/0001-40. tel: (77) 3454-2762.
Fica defronte à Praça da Juventude, a maior da cidade.
  • Hotel e Pousada Alto das Colinas - rodovia Caetité-Igaporã, Km 4 (BR-430). tel: (77) 99977-7800.
Ideal para aqueles que desejam se hospedar longe da agitação da cidade.
  • Rancho Alegre Palace Hotel - av. Pref. Dácio Oliveira, nº 1101, bairro Rancho Alegre. tel: (77) 3454-1705.
Fica ao lado de posto de combustíveis do mesmo nome.
  • Recanto Hotel Clube - travessa B da rua José Joaquim de Oliveira, nº 56. Tel: (77) 99838-3238.
Anexo a um clube particular ("Clube Recanto Recreativo"), com piscinas e área para eventos.
Outros
  • Aconchego Sertanejo - travessa da Chácara, bairro da Chácara - anexo ao "Clube Recanto Recreativo". tel: (77) 99148-7461
  • Hotel Nossa Senhora Aparecida - praça Tancredo Neves, nº 264, Centro (ao lado da sede da 94ª Companhia Independente da PM). Cadastur nº 15.714.780/0001-09. tel: (77) 3454-1251
  • Via Brasil - praça Tancredo Neves, nº 16, Centro. tel: (77) 3454-2323
  • Hotel Caetité - praça Tancredo Neves, nº 216, Centro. tel: (77) 3454-3357
  • Hotel Bahia - praça Tancredo Neves, nº 248, Centro. tel: (77) 3454-3357.
  • Hotel Square - praça da Catedral, nº 25, Centro. tel: (77) 3454-2266.

Pousadas e pensões[editar]

  • Pousada Mulungu - praça Tancredo Neves, nº 60, Centro. tel: (77) 99847-1819
  • Pousada Eucalipto - praça Tancredo Neves, nº 2-42, Centro. tel: (77) 99828-7537
  • Pensão de Dona Nena - rua Barão de Caetité, nº 435, Centro. tel: (77) 999962-8222
  • Pensão da Vera - rua Barão de Caetité, nº 138, Centro. tel: (77) 99129-1229
  • Pousada RRR - avenida Dácio Oliveira (BR-030), nº 382, bairro da Chácara. tel: (77) 99172-6890
  • Hotel Dalu - rua Livramento, nº 114, bairro Lamarão - tel: (77) 99908-9204

Alojamentos[editar]

  • Centro Paroquial (CP), pertencente à Paróquia de Nossa Senhora Santana - Rua Barão de Caetité, 316. Dispõe de 60 vagas, com camas e colchões. tel: (77) 99910-4501

Veja[editar]

Sede municipal[editar]

Registro desde o quintal do MASB
Museu do Alto Sertão, à noite.

O Centro Histórico de Caetité foi protegido por decreto de tombamento estadual no ano de 2013, quando várias edificações históricas e antigas foram demolidas para dar lugar a construções modernas e sem qualquer estética. A enorme demanda por imóveis na área central da cidade elevou os preços do metro quadrado e à valorização da terra em detrimento dos monumentos arquitetônicos.

  • Arquivo Público Municipal de Caetité - APMC - Antiga Casa da Câmara e Cadeia, imponente construção do começo do século XIX, é tombado como patrimônio estadual. Nele funciona, em parceria com a Universidade do Estado da Bahia, museu e arquivo, aberto à visitação e à pesquisa. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 h, e das 13:30 às 17:30. Entrada franca.
  • Casa Anísio Teixeira - Situada à Praça da Catedral, Centro. Seu interior retrata a residência natal do educador mantendo suas feições do começo do século XX; possui ainda uma biblioteca e um pequeno cine-teatro. É um dos Pontos de Cultura da cidade. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 h, e das 14 às 18 h.
  • Museu do Alto Sertão da Bahia - MASB - Situado no Bairro da Chácara, vem se constituindo em importante centro cultural. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 h, e das 13:30 às 17:30. Entrada franca.
  • Espaço INB - situado à Praça da Catedral, nº 23, Centro, fica situado no bem tombado pelo IPAC com o nome de "Hotel Caetité", hospedaria que ali funcionou no século XX. O lugar, mantido pelas Indústrias Nucleares do Brasil, tem exposições permanentes com o ciclo da energia nuclear, imagens históricas da cidade e exemplares da flora local cuja preservação é mantida pelo Horto da INB, além de já haver realizado diversas exposições, como a que mostrou a produção de artistas plásticos locais, sobre Leonardo da Vinci, Santos Dumont, Geologia da Bahia, etc. Após a pandemia abriu novamente para visitações a partir das 14 h. tel: (77) 3454-3600

Praças da cidade[editar]

Capoeira na Feira Velha
Pracinha da antiga prefeitura
Quadra esportiva no Parque da Árvores
Praça da Catedral
Praça da Juventude

A sede da cidade possui várias praças, grandes e pequenas, que atraem os visitantes para momento de lazer, passeios, caminhadas e prática de atividades físicas ou apenas apreciar a paisagem. Este processo de valorização dos espaços públicos e comunitários teve início no final da década de 1980, quando o então prefeito Dácio Oliveira promoveu a uma radical urbanização da Praça da Catedral, a mais central e importante delas. As principais delas, algumas com nomes populares sobressaindo aos oficiais, são:

  • Praça da Catedral de Santana - erguida no primitivo "Largo de Santana" onde fora construída ainda no século XVII a igreja matriz dedicada à padroeira da cidade - Senhora Santana, é o palco onde acontecem seus principais eventos. Se a imponente igreja Catedral, que sedia toda a Diocese de Caetité, concentra os principais eventos religiosos da igreja católica e é uma parada obrigatória aos romeiros que se dirigem a Bom Jesus da Lapa, a praça principal da cidade é aquela onde também ocorrem outros grandes momentos da vida citadina, como a Festa do Dois de Julho e até mesmo nela tem encerramento da evangélica "Marcha para Jesus". Possui dois pequenos lagos, fonte luminosa, barracas de acarajé e tapioca, além de alguns bares e restaurantes.
  • Praça da Juventude (Praça Omar Montenegro Cerqueira de Oliveira) - situada no bairro Lamarão, é a maior praça da cidade, possuindo diversos equipamentos esportivos e de lazer. É usada por jovens, adultos e pessoas na "melhor idade"; possui quadra de futebol society e de areia abertas, e quadra coberta, anfiteatro, pistas de skate e para caminhada, brinquedos infantis, etc. Ao leste uma área arborizada, onde já foram realizados eventos e armados circos itinerantes; a oeste tem o "Campo das Cobras", de terra, um espaço para o futebol amador.
  • Parque das Árvores (Praça Dr. Jairo Pontes) - situada na divisa entre o Centro e o bairro São José, é dividida ao meio pela rua Dirce Cerqueira, indo da rua Barão de Caetité até a avenida D. Manoel Raimundo de Melo. Foi erguida sobre o leito do riacho Jatobá, cujas margens foram aterradas e o leito coberto, deixando contudo as frondosas árvores centenárias ali existentes, criando um ambiente totalmente arborizado e onde hoje se concentram bares, restaurantes, sorveterias, etc. Além da área de passeio, possui uma das mais usadas quadras de basquete e futsal da cidade.
  • Praça da Feira Velha (Praça Dr. Rodrigues Lima) - marco histórico onde teve início a povoação da Caetité atual, mantém alguns prédios históricos, tombados pelo IPAC. Ali foi instalada a primeira Escola Normal do sertão baiano, hoje a Câmara de Vereadores. Possui uma quadra poliesportiva, coberta, pequena quadra de areia e pista para caminhada, além de um pequeno anfiteatro. Nela começa todos os anos a maior festa popular da cidade, a Lavagem da Esquina do Padre, além sediar de muitos outros eventos.

Outras praças também possuem seus atrativos:

  • Praça Dr. Clarismundo Pontes", no centro, fica situada na frente do antigo "Colégio Modelo" e nas imediações do Campus VI da Uneb. Possui bancos para descanso e uma lanchonete.
  • Praça Vereador Valdo Vilasboas, fica no bairro Alto de Cristo (de onde é conhecida como "praça do Alto do Cristo"), já perto do início do bairro Jacaraci. Além de uma quadra para a prática esportiva, possui um mirante que possui uma bela vista da cidade do alto, especialmente dos bairros ao leste como Santa Rita, Montes, Prisco Viana, etc, além da Feira Velha, no Centro.
  • Praça Coronel Cazuzinha (pracinha do Bradesco). Pequena e aconchegante, arborizada, é uma espécie de continuação da Praça da Catedral, no Centro.
  • Praça Pompeu Fernandes (Praça da Barriguda, nome de uma árvore que existia no lugar). Pequena e aprazível, fica na região do Centro conhecida como "Barroquinha". Possui uma pequena capela dedicada a Santo Antônio e o Ponto Cidadão. No seu amplo estacionamento são realizadas, às quinta-feiras, a Feira da Agricultura Familiar que além de frutas e verduras orgânicas oferece artesanato, doces e queijos de qualidade, caldo de cana, pastéis, etc, tudo ao som de artistas locais.

Distritos, povoados e zona rural[editar]

  • Gruta da Moita dos Porcos - É um dos mais visitados sítios arqueológicos, em Caetité. Com inscrições rupestres únicas no estilo, sua existência remonta a cerca de seis mil anos e motivou a criação do MASB. Fica situada no distrito de Brejinho das Ametistas.
  • Passeio de carros de boi de Maniaçu - Desfile por estradas vicinais de dezenas de carros-de-boi no distrito de Maniaçu, mantendo viva a tradição deste milenar veículo de transporte e trabalho.
  • "Sítio Sakkara" - restaurante Vip, espaço de eventos e pesque-pague. Localizado na Fazenda Pirajá, próximo ao Riacho do Gado Bravo (acesso pela BR-030). O restaurante funciona a partir das quintas-feiras (das 10 às 22h), sextas e sábados (das 8 às 24h) e domingos (das 8 às 18h). tel: (77) 99906-3479.

Comunidades quilombolas[editar]

Artesãs da palha.
Registro do Prof. Claudinho - Comunidade Quilombola da Lagoa do Meio, 2014.

Em Caetité há catorze comunidades remanescentes de quilombos já reconhecidas (e outras em processo de reconhecimento) pela Fundação Palmares - uma das cidades baianas que as possuem em maior número, resquício do passado em que a escravidão fez fortunas no sertão longínquo. Luta e resistência fazem a história dessa gente que enfrentou por mais de cem anos às ameaças da grilagem, do preconceito e da falta de políticas públicas.

Dentre aquelas que o visitante irá encontrar bons atrativos em meio às paisagens ermas - característica maior desses verdadeiros refúgios que sobreviveram ao tempo , tem-se:

  • Pau Ferro - situada após o povoado de Juazeiro, teve o resgate da produção de artesanato do barro e da palha promovido pela INB. Situada numa paisagem montanhosa que precede a Chapada Diamantina, seu maior empecilho é o acesso por estradas vicinais que, apesar de bem cuidadas, proporcionam algum desconforto - o mesmo ocorrendo com as demais a seguir.
  • Malhada - No distrito de Maniaçu, mantém vivas tradições como o samba-de-roda e artesanato de palha.
  • Vargem do Sal - Também no distrito de Maniaçu, vários tipos de artesanato também possui, na época das cheias, um belo "lajedo" com uma barragem própria para o lazer. Seu artesanato de palha é vendido até para o exterior.
  • São Miguel - Situada na região do povoado de Santa Luzia, o centro de produção de cana-de-açúcar, ali o visitante vai encontrar os melhores derivados como rapaduras de vários tipos, cachaça artesanal e restaurantes com comida regional.

Faça[editar]

Eventos[editar]

Foliões vestidos de caretas, na Lavagem da Esquina do Padre' de 2013.
O evento é dos que mais atraem turistas a Caetité.
Fanfarra se apresenta no Dois de Julho de 2004.
Turista registra carros de boi em procissão na festa da padroeira.
Show dos Titãs no palco principal (ao fundo) da Festa de Santana 2018.

O calendário oficial de eventos municipal, como tal definido na Lei do Plano de Cultura, inclui:

  • Encontro de Ternos de Reis - O evento surgiu há mais de trinta anos para resgatar e manter a tradição dos Ternos de Reis, que vem desde os tempos coloniais. Sua programação tem início na frente da Catedral de Sant'Ana e a seguir um cortejo que sobe a Rua Barão de Caetité e desce pela Avenida Santana, retornando ao ponto de partida onde, após a bênção na igreja matriz, encerra-se no anfiteatro da praça em que cada Terno se apresenta.
    Já em 1880 o visitante Teodoro Sampaio registrava em sua viagem pelos sertões da Bahia, que em Caetité "As festas de Reis, muito animadas, deram-nos ensejo para bem julgar das maneiras, dos hábitos hospitaleiros deste povo tão amável e tão cheio de delicadas atenções."
  • Lavagem da Esquina do Padre - Originalmente programado para ser um carnaval fora de época, surgiu quando no final da década de 1980 a Prefeitura deixou de realizar o carnaval da cidade. A proposta original, que se mantém ao longo dos anos, é resgatar e manter vivas as antigas tradições da folia caetiteense e, assim, traz atrações como o Boi de Idalino, o Sambão de Robertinho, baianas vestidas a caráter, bandas, etc., e as pessoas fantasiam-se para acompanhar o cortejo que, saindo da Feira Velha (Praça Dr. Rodrigues Lima), passa pela Praça da Catedral, sobe a Rua Barão de Caetité onde, no Parque das Árvores (Praça Dr. Jairo Pontes), volta à praça da matriz pela Avenida Santana onde, na casa paroquial onde morou o "Padre Vavá", ocorre a "Lavagem" em si. Acontece entre uma e duas semanas antes do carnaval oficial.
  • Festa do Dois de Julho - comemoração cívica e popular à guerra que levou à Independência da Bahia. Já no mês de junho ocorrem "ensaios" com cavalgadas pelas ruas da cidade; ao final deste mês é levantado um "mastro" com a bandeira do Império diante da matriz, no último dos "ensaios". Também foi introduzida a realização de campeonato de equinos. Na noite do dia primeiro um cortejo com centenas de cavaleiros e amazonas levam o "Carro da Cabocla" até a "Pedra do Conselho", sendo encerrada com um show na Praça da Catedral. No dia 2 de Julho ocorre o desfile cívico e dos grupos de montaria, com participantes de todo o estado, forças armadas, etc. A comemoração única rivaliza com a realizada na própria capital.
  • Festa da Padroeira Sant'Ana - Novenário com encerramento no dia de Santa Ana (26 de julho), durante uma semana a cidade comemora o evento parte "profana" da festa. São realizados shows no palco principal armado à Praça da Catedral, barracas de comida e bebida são instaladas e atrações locais se apresentam no "Barracão Cultural" com shows de dança, música e teatro. Com o crescimento do público as atrações se estenderam para a Praça Coronel Cazuzinha e a rua Durval Castro. A parte religiosa conta com a participação de fiéis de toda a Diocese de Caetité e duas grandes procissões: a de carros-de-boi e a de S. Cristóvâo, que antecedem a procissão final.
  • Aniversário da cidade - comemorado no dia 5 de abril, feriado municipal, a festa é marcada por um passeio ciclístico organizado pela "Associação dos Moradores da Feira Velha" (Amofeve), que acontecia antes mesmo de os poderes públicos reconhecerem a importância histórica dessa data. O núcleo urbano de Caetité surgiu no Largo do Alegre, sede da Fazenda do Alegre, que pertencia originariamente à Sesmaria da Casa da Ponte. Na Feira Velha acontecem ainda atividades recreativas, sob o "olhares" do velho sobrado dos Brito Gondim onde mora o professor Emílio Souza, um dos maiores entusiastas da rica história caetiteense.

Passeios ecológicos[editar]

Trilha da Pedra Redonda, leito do riacho seco.
Alto dos Montes, com a pequena Capela de Bruno, uma bela paisagem numa trilha secular.

Diversas trilhas e roteiros servem a passeios a pé, ciclísticos, motociclísticos e automobilísticos, tanto para lazer individual quanto coletivo.

  • Trilha da Pedra Redonda - passeio com subidas íngremes em meio às antigas fazendas e vegetação de caatinga, culminando com a escalada da "Pedra Redonda" - imponente afloramento rochoso a leste da cidade, que a ela deve seu topônimo (Caetité, do tupi-guarani caa-ita-eté ou mata da pedra grande). A trilha principal passa pelo leito do riacho intermitente que corre somente durante o período de chuvas; ali é possível ver a obra dos tempos da escravidão nos chamados "caldeirões": buracos abertos na rocha dura em tempos em que não existia a dinamite, usados para preservar água durante os tempos de seca.
  • Circuito das Eólicas - caminhada ou pedalada passando pela estrada para o distrito de Brejinho das Ametistas (BA-611, antiga BA-156) e estradas vicinais, em meio à vegetação de cerrado ("gerais"), apreciando a paisagem montanhosa e as imponentes torres do Complexo Alto Sertão, um dos maiores parques eólicos da América Latina.
  • Trilha da Capela de Bruno - situada ao sul da cidade, a pequena capela solitária no alto dos "Montes" um dia já foi a principal via de acesso, em séculos passados. Hoje traz a capelinha erguida pelo comerciante Bruno Silva, há mais de sessenta anos, como um farol para uma trilha entre morros e vegetação nativa. Durante as comemorações da Sexta-Feira da Paixão fiéis sobem por ali, contornando a zona urbana até o "Morro do Cruzeiro", no extremo oeste, em uma caminhada penitencial. No resto do tempo, é uma ótima opção de lazer não somente a pé, como ainda de mountain-bike ou motocicleta.

Esportes radicais[editar]

A cidade conta com várias opções de atividades radicais, encontros de motociclistas, rallies, competições ciclísticas, etc.

  • Desafio do Gerais de MTB - competição de ciclismo de montanha (mountain bike), com saída e chegada na zona urbana e percorrendo as trilhas montanhosas dos campos gerais do sul do município. Teve sua primeira edição em 2017.
  • Caetité Moto Clube - responsável pela realização de vários encontros nacionais de motociclistas.
  • 49 Super Park - kartódromo localizado no km 6 da rodovia Caetité-Guanambi (BR 030).

Circule[editar]

Praça Santa Inês, inaugurada em 2022. Esmero paisagístico onde era uma pedreira desativada.

Por estar situada num vale, a cidade cresceu subindo as escarpas dos morros circundantes, de forma que é difícil percorrê-la a pé, especialmente para os novos bairros, como o Prisco Viana (onde está localizado o Centro Administrativo com a Prefeitura, várias secretarias, a UPA e o Núcleo Regional de Educação - a cerca de três quilômetros do centro). Suas ruas são bastante estreitas, sobretudo na parte antiga - um "padrão" que acabou sendo seguido nas artérias criadas ao expandir-se, o que acelerou nas últimas décadas. As vias mais antigas e de grande circulação acabaram por tornar-se pistas de sentido único, pelo que recomenda-se atenção às placas de sinalização.

Um grande problema na circulação dos pedestres é o péssimo uso das calçadas: apesar de serem públicas, postes de iluminação mal colocados, falta de uniformização e até mesmo a invasão do espaço pelos proprietários (como ocorre na Rua 2 de Julho - uma das principais artérias) diminuem o espaço de circulação, dificultam a acessibilidade e até mesmo colocam em risco o transeunte. Ainda pode ocorrer o uso particular do passeio público por comerciantes.

Algumas ruas do centro antigo foram fechadas para automóveis, facilitando o deslocamento a pé. Isto aconteceu nas imediações da Praça da Catedral e próximo ao Mercado Municipal.

Transporte urbano[editar]

A cidade não possui transporte coletivo. Maxim (aplicativo de transporte), táxi e mototáxi (estes devidamente identificados e cadastrados pela Prefeitura) realizam a mobilidade urbana.

  • Os táxis podem ser contatados individualmente, ou no ponto situado no terminal rodoviário. São representados pela Associação dos Taxistas de Caetité (Astac) e com telefone (77) 3454-1174.
  • Os mototáxis estão distribuídos em vários pontos principais, como Avenida Santana, Praça da Catedral, Centro Administrativo, Unacom e ao longo da Praça do Mercado (Avenida Woquiton Teixeira Fernandes). A tarifa para a corrida em 2022 foi fixada em R$ 6,00.
  • Cooperativa de Transporte Alternativo de Caetité (Cootac), situada no trecho urbano da BR-030 - av. Prefeito Dácio Oliveira, nº 628, com telefone (77) 3454-3052.

Locadoras de automóvel[editar]

São três empresas de locação de veículos na cidade:

  • Lovec - situada à av. Santana, 98, Centro. tel: (77) 3454-2265
  • Localiza - Hertz - à av. Francisco Bastos Lima, bairro Rancho Alegre. tel: (77) 3454-3100
  • Unidas Rent a Car - av. Pref. Dálcio Oliveira, 612 - Centro. tel: 3454-3486

Coma[editar]

Parque das Árvores, "point" de lazer com bares, restaurantes e sorveteria.
Tim, queijeiro premiado, na feirinha de natal da praça da matriz, 2022.

A maioria dos serviços listados (alguns até exclusivamente) atendem também por aplicativos como Ifood, Pede.aí ou Aiqfome. O principal "point" de restaurantes, bares e lanchonetes da cidade é o Parque das Árvores (Praça Dr. Jairo Pontes), mas aqueles que não gostam de muita agitação a cidade possui atrativos em vários de seus bairros.

Restaurantes[editar]

  • Bistrô Santo Antônio - Avenida Santana nº 287 (Shopping Caiçara), Centro (abre às 19 h). Cadastur nº 38.134.777/0001-11.
  • Fornalha Restaurante e Pizzaria - praça Dr. Jairo Pontes (Parque das Árvores), 180A

Pizzarias[editar]

  • Empório Frank's Pizzaria Oriental e Grill - praça Tancredo Neves, 176 (na Avenida Waldick Soriano, junto ao posto de combustíveis Ipiranga), Centro. Atende no local e entrega delivery (fecha às 23:30h). Cadastur nº 05.411.936/0001-29. tel: (77) 3454-2181 e 99832-6021. Site oficial
  • Divino Sabor - rua 2 de Julho, Centro. Entrega no local ou por delivery. tel: (77) 99170-8118.
  • Labelli Pizzaria - rua Paramirim, Centro. Atende no local e faz delivery. tel: (77) 99197-5459 e 99983-8983

Pastelarias[editar]

  • Ô de Casa, pastéis gourmet a partir de R$ 5,00 - Rua 2 de Julho. Fecha às segundas
  • Pastelaria Araújo (Pastelaria de Zé), pastéis e salgados a partir de R$ 4,00 - travessa Prof. Camilo Prisco da Silva (ao lado da Casa Anísio Teixeira). Fecha às quartas.
  • Pastelaria Bonamassa, delivery de pastel, coxinhas e salgados - Av. Luís Gumes, bairro Buenos Aires - tel: (77) 99989-5474

Hamburguerias[editar]

  • SP Burguer, av. Waldick Soriano, 80. tel: (77) 99959-4533 (abre às 18h)
  • Frank's Burguer, Praça Coronel Cazuzinha (atrás da Catedral). Cadastur nº 15.714.689/0001-93.
  • Original Hamburgueria - tel: (77) 99803-4191

Sorveterias e gelados[editar]

Os carrinhos de sorvete, sobretudo no verão, percorrem as ruas. Mas não espere um deles passar: peça o delivery ou vá em algum dos "postos" das sorveterias!

  • Soverteria Tropical - Praça Dr. Jairo Pontes (Parque das Árvores), 39, bairro São José. tel: (77) 3454-1382 (fecha às 23h). Uma das maiores fabricantes de sorvetes do sertão baiano, possui a matriz no Parque das Árvores e filiais em pontos estratégicos.
  • Sorveteria Gelo Frutas - rua Luiz Bento, 263, bairro Ovídio Teixeira (próximo ao Supermercado Pedro Cruz). tel: (77) 98842-2950
Geladinhos*

*Geladinho ou, em outras partes, chup-chup ou sacolé, é o nome desse doce gelado em Caetité. Alguns são verdadeiras obras-primas de sabor.

  • Delícias da Yzza - Rua Érico Veríssimo, 18, bairro Ovídio Teixeira. Com várias opções de sabores em "geladinho gourmet" e "geladinho premium" (apenas delivery)
  • Gelado's Gourmet - Rua Brasília, bairro Santo Antônio. tel: (77) 99941-2535 (delivery)

Outros[editar]

  • Delícia da Tapioca - trailer na Praça da Catedral, Centro. Atende no local e delivery. tel: (77) 99966-5119 e 99123-4924
  • Frank's Café e Empório' - rua Barão de Caetité, 371, Centro. Cadastur nº 39.663.957/0001-53. tel: (77) 3454-3329
  • Queijaria Tradição - rua Barão de Caetité, 98, Centro. Vencedora das medalhas de ouro (com o queijo "Manga Rosa") e de bronze (com o "Azulzinho do Sertão") na etapa do Concurso Mundial de Queijos realizado em São Paulo entre os dias 15 e 18 de setembro de 2022, além de outros prêmios, é um grande exemplo de como a culinária caetiteense merece ser saboreada pelos visitantes. O "Tim do Queijo" (Jair Novais da Silva) é o artesão que produz cinquenta e um tipos de queijos, vendendo-os na cidade e na região, além de sempre estar presente na Feira da Agricultura Familiar. tel: (77) 99187-8827.
  • Esfihas Pop Mais - Parque das Árvores, bairro São José. tel: (77) 99864-2406.
  • Dom Pedro Salgados - apenas delivery.

Beba[editar]

Cachaça Princesa do Sertão, seguindo uma tradição secular.

Caetité tem vários botecos tradicionais, como a Venda de Bu (Edilson Alves de Brito) onde, dizem, vende-se fiado até para romeiro que vai para a festa do Bom Jesus da Lapa, e fica de frente para a igreja matriz. Ali perto está o Bar do Gordo, os dois frequentados pelo cantor Waldick Soriano quando voltava à terra natal. Barzinhos populares surgem em vários pontos da cidade - no Centro são bastante frequentados os do Parque das Árvores, rua Barão, avenida Woquiton Teixeira e "Mulungu" (como é chamada a praça Tancredo Neves).

Fabricantes de cachaça artesanal, como os da "Princesa do Sertão" (tel: (77) 99981-3212), são exemplo de uma tradição de quase três séculos na produção de aguardente na região do povoado de Santa Luzia. Outro bom fabricante de aguardente local é o Marco Túlio da Silva Cruz com a "Cachaça Arapuá", produzida na fazenda com este nome, a oeste da cidade, há mais de vinte e cinco anos conquistando os apreciadores de uma pinga de qualidade.

Compre[editar]

O centro comercial da cidade está localizado principalmente nas avenidas Santana e Dr. Woquiton Teixeira (transversal àquela outra). Lojas diversas, agências bancárias, hospital, farmácias, restaurantes, barzinhos e barracas de lanche, pet-shops, material de construção, supermercados, além do Mercado Municipal e Terminal Rodoviário estão nestas duas vias e suas afluentes. Fora do centro o comércio vem se expandindo sobretudo na zona norte, onde ao longo da avenida que ocupa a área urbana da BR-122 praticamente todos os serviços do centro antigo são oferecidos, às vezes com mais variedade e preços mais em conta, nos bairros Ovídio Teixeira e Alto Buenos Aires.

  • Galeria Caiçara Avenida Santana (Seguindo a oeste a partir da Praça da Catedral.). Dois restaurantes gourmet, se quiser esbanjar. Algumas lojas de grife; som ao vivo nos finais de semana.

Vegetarianos possuem algumas opções no comércio local, como o Frank's Café, com pratos feito com carne de jaca. Ao menos uma loja é dedicada a esse público:

  • Empório Santa Planta - rua Rui Barbosa, 242, Centro. tel: (77) 99901-2257 - "para uma vida mais saudável".

Mantenha contato[editar]

Gente de todo o Brasil se reúne na Lavagem da Esquina do Padre.

O código de área telefônico é 77.

A cidade possui cobertura 4G das operadoras Vivo, Tim, Claro e Oi. Esses serviços não estão disponíveis na zona rural e distritos.

Tem vários provedores de internet, com serviços na sede e toda a zona rural e distritos. As principais são a Sinal Telecom, Intersoft, HE Net e Micks.

Sua agência dos Correios é regional e uma das primeiras em toda a região.

Trabalhe[editar]

O desenvolvimento da cidade nos últimos anos deveu-se, em grande parte, ao início da exploração do urânio na mina que fica a cerca de 40 km da sede, a descoberta da jazida de ferro e consequente construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), além da instalação do que deve ser um dos maiores parques eólicos da América Latina, um deles já com a produção integrada à energia solar. Outras minerações acontecem, como o manganês pela companhia Vale, granitos, cristais argila para a rede ceramista, entre outros como a já bissecular mineração de ametistas no distrito de Brejinho das Ametistas.

Assim, a cadeia produtiva da mineração tem na cidade duas principais empresas:

  • Indústrias Nucleares do Brasil (INB) - Fazenda Cachoeira s/nº - Zona Rural - Caixa Postal nº 7. Unidade de Concentração de Urânio (URA). tel: (77) 3454-4859
Como informado pela empresa, em Caetité está "a única mineração de urânio em atividade no país". Chamada Unidade de Concentração de Urânio (URA), a "unidade ocupa uma área de 1.700 hectares, localizada em uma província mineral com recursos que chegam a 99,1 mil toneladas de urânio e onde estão identificados 17 depósitos minerais."
Visitação: "Em Caetité, na Bahia, o roteiro da visita passa pelo Mirante da Mina e o Horto Florestal, mas todas as áreas são apresentadas nas explicações e palestras conduzidas por técnicos da INB. De 1997 até o final de 2014, mais de 30 mil pessoas estiveram na unidade para conhecer como são realizadas as atividades de mineração e beneficiamento de urânio." As visitas precisam ser previamente agendadas, e menores de 14 (catorze) anos não podem realizá-la. Veja no site oficial como agendar sua visita.
  • Bahia Mineração - BAMIN - Caetité - R. Mem de Sá, 460, bairro Ovídio Teixeira. tel: (77) 3454-8500
A mineradora espera produzir dois milhões de toneladas de ferro ao ano, a partir da Mina Pedra de Ferro.
  • Garimpos de Brejinho das Ametistas - esse distrito traz vária minas desativadas e em operação, algumas delas sendo possível a visitação. Atividade que vive de altos e baixos, Brejinho retrata mais de dois séculos de "grunas e gruneiros", toda uma cultura formada em torno da pedra semi-preciosa que dá nome ao lugar.

Indústria têxtil[editar]

A cadeia de produção têxtil em Caetité ganhou um crescimento exponencial na cidade, sobretudo no final do século XX quando o empresário Hasama Edelweiss Nunes Fernandes Teixeira iniciou a produção em nível industrial de camisetas, sendo hoje uma das maiores empresas do ramo no estado, atraindo grandes consumidores e comerciantes da área, como por exemplo na produção de "abadás" (as tradicionais camisas personalizadas dos blocos de carnaval). Outro grande empresário do setor, Francisco Roberto Alves Lima, possui uma indústria direcionada à produção de roupas de luxo (como a empresa "Gregory", fundada por caetiteenses em São Paulo). Assim a cidade possui as seguintes empresas no ramo:

  • Fortiori Confecções - avenida Décio Cerqueira, nº 27, bairro Prisco Viana - tel: (77) 3454-4105. Produz os melhores abadás personalizados e customizados, camisetas personalizadas, camisetas esportivas e confecções em geral.
  • Xinane Indústria de Uniformes Profissionais - avenida Waldick Soriano, nº 281, bairro Ovídio Teixeira. tel: (77) 3454-2267
  • Gerais Indústria de Roupas - rua Benjamin Constant, nº 5, Centro. tel: (77) 3454-1493
  • Maluana Quality, fábrica de roupas - travessa Poti com rua Barão de Caetité, nº 108, Centro. tel: (77) 3454-3001. Lá você encontra um estilo de roupa para cada dia.
    • Maluana Store, loja da fábrica - avenida Santana, nº 131, Centro - térreo

Indústria gráfica[editar]

Já no século XIX a cidade foi pioneira, com a instalação do jorna e gráfica de A Penna, por João Antônio dos Santos Gumes, na atividade gráfica. Em meados do século seguinte foi a vez de José Walmir de Castro Abrantes seguir nesse setor, trazendo várias inovações e no começo do século XXI Carlos Venício Pinchemel tornou-se referência regional na comunicação visual. Dentre outras a cidade possui uma variada oferta de bons preços e alta qualidade no setor, com clientes em todo o estado:

  • Gráfica Imprensa - rua Barão de Caetité, Centro, nº 313 . tel: (77) 3454-4080
  • Artsilk Comunicação Visual - rua Marcelino B. dos Santos, Centro, nº 240. tel: (77) 3454-1836.
  • Gráfica e Papelaria Caetité - rua Rui Barbosa, Centro, nº 55. tel: (77) 99935-7256
  • Inovar Comunicação Visual - avenida Pref. Dácio Oliveira, nº 204, Centro. tel: (77) 99953-1719
  • Visualize Comunicação Visual - rua Clemente Tanajura, Centro, nº 138. tel: (77) 99869-3000
  • Gráfica Impacto - rua Mal. Floriano Peixoto, Centro, nº 365. tel: (77) 99907-0328
  • Inovar Comunicação Visual - avenida Pref. Dácio Oliveira, Centro, nº 204. tel: (77) 99953-1719

Outros[editar]

  • Associação das Cerâmicas do Sudoeste da Bahia (Acesuba) - Entidade que representa as várias indústrias ceramistas em Caetité e região (no ano de 2004 das 70 empresas da região, 35 faziam parte da entidade). Av. Santana, 118 - Centro. tel: (77) 454-1596.

Em parceria da prefeitura municipal com o governo do estado há o chamado "Ponto Cidadão", regional, com serviços de emissão da carteira de identidade e de trabalho, seguro desemprego e balcão de empregos:

  • SAC - Caetité - R. Doze de Outubro, 13, Lamarão. tel: (77) 3454-4182. e-mail: ponto.caetite@saeb.ba.gov.br
    • SINE-Bahia - tel: (77) 3454 1915. e-mail: sinebahia.caetite@setre.ba.gov.br
  • CDL - Câmara dos Dirigentes Lojistas de Caetité - trav. Anísio Teixeira, Centro, nº 71. tel: (77) 3454-1924

Estude[editar]

Antiga entrada da UNEB, em 2006, prédios onde ficam a biblioteca e o auditório.
Sede do Núcleo Territorial de Educação, Centro Administrativo

A cidade de Caetité, terra natal do educador Anísio Teixeira, traz uma larga tradição no campo educacional.

No ensino superior a cidade possui:

  • Campus VI da Universidade do Estado da Bahia, do seu Departamento de Ciências Humanas, com os seguintes cursos:
  1. Ciências Biológicas.
  2. Engenharia de Minas.
  3. Geografia.
  4. História.
  5. Letras – Língua Portuguesa e Literaturas.
  6. Letras – Língua Inglesa e Literaturas.
  7. Matemática.

Na inciativa privada, várias instituições particulares oferecem cursos superiores de especialização e graduação à distância, como correspondentes de universidades:

  • Dimensão Educação Superior (UNINTER) - travessa Contorno Dois, nº 170, bairro São José. tel: (77) 3454-2643 / 77 99804-3259
  • Unicesumar - Caetité - av. Pref. Dácio Oliveira, 161. tel: (77) 98544-4040

Caetité sedia, ainda, o 13º Núcleo Territorial de Educação (NTE-13), antigo Núcleo Regional de Educação (NRE) e anteriormente Diretoria (Direc). Desde 2019, com a reforma administrativa, o Núcleo ampliou sua área de atuação regional e, após parceria com a prefeitura municipal, mudou-se para um dos prédios do Centro Administrativo.

NTE-13 - Prédio 3, Centro Administrativo de Caetité, avenida Profª Marlene Montenegro Cerqueira de Oliveira, bairro Prisco Viana. Atendimento de segunda e sexta-feira, das 8 às 12h - das 14 às 16h.
  • Centro Territorial de Educação Profissional do Sertão Produtivo - Cetep - avenida Anísio Teixeira, s/nº. tel. (77) 3454-4024

Saúde[editar]

Vista parcial da Unacom

Caetité tem dois hospitais:

  1. Fundação Hospitalar Senhora Santana de Caetité - av. Santana, s/nº. tel: (77) 3454-1811. Particular, com serviços básicos de atendimento e internação, atende pelo SUS. Foi fundado em 1962 como "Hospital Regional e Maternidade Santana de Caetité", passando por diversas ampliações - a maior delas a partir de doação de recursos da Caritas Internacional alemã, por intermédio de Kurt Walter Dreher, que morou por décadas no distrito de Brejinho das Ametistas. Sua administração foi transferida para a Fundação quando era bispo D. Antônio Alberto do Guimarães Resende.
  2. Unacom - Hospital Municipal - Av. Dr. Ricardo de Tadeu Ladeia, s/nº, bairro Rancho Alegre. Hospital público da rede SUS, mantido pela Prefeitura Municipal em parceria com o governo do estado. É administrado pela Fundação Terra Mãe e especializado no tratamento oncológico, com atendimento para toda a região: são ao todo 48 cidades que, através da Central Estadual de Regulação, têm acesso aos seus serviços. Sua construção foi inciada ainda em 2003, quando era prefeito Ricardo Ladeia, sendo em 2008 inaugurado, ainda sem equipagem nas suas amplas instalações, com o nome de "Hospital Municipal Maria Isabel Ladeia", funcionando ali nos anos seguintes a partir da gestão de José Barreira de Alencar Filho apenas a unidade de pronto-socorro. Quando de sua reinauguração em novembro de 2020 como Hospital do Câncer foram implantados 80 leitos (10 em UTI; 13 na clínica geral; 19 em cirurgia; 18 na ortopedia e 20 para oncologia clínica e cirúrgica) mas, durante quase todo o ano seguinte boa parte da unidade foi direcionada para o atendimento dos pacientes graves da pandemia de Covid-19, voltando a se dedicar à oncologia no ano seguinte, na gestão do prefeito Valtécio Aquiar.

Existem ainda várias clínicas particulares e especializadas. O município mantém ainda uma UPA e possui atendimento emergencial pelo SAMU.

Segurança[editar]

  • Posto Avançado da Polícia Rodoviária Federal, subordinada à 8ª Delegacia PRF em Vitória da Conquista.
  • 94ª Companhia Independente de Polícia Militar de Caetité, "Guardiã do Alto Sertão". Fica localizada à R. Dois de Julho, nº 442-478, Centro.
  • Delegacia de polícia civil, com novas instalações inauguradas em 2018, fica localizada à R. Antônio Brito, s/nº, Bairro Prisco Viana. Tel: (77) 3454-2011
  • Departamento Municipal de Trânsito (Demutran), situado à Av. Profª Marlene Oliveira, nº 1000, Centro Administrativo. Tel: (77) 3454-5786.

Cotidiano[editar]

Lateral da Casa Anísio Teixeira (à esquerda), com sua biblioteca
A beleza em Caetité está nos menores detalhes...
Laguinho na praça da matriz

A cidade dispõe de duas bibliotecas públicas:

  • Biblioteca Municipal Cezar Zama - localizada à rua Almerinda Brito, s/nº (ao lado do Estádio Paulo Souto e defronte à Praça do Forró), conta com um acervo de 5.825 obras. Faça seu cadastro e boa leitura.
  • Biblioteca Pública Anísio Teixeira - Anexa à "Casa Anísio Teixeira", na lateral desta (travessa Prof. Camilo Prisco da Silva - veja foto ao lado).

E ainda:

  • Cine Teatro Anísio Teixeira - Anexo à "Casa Anísio Teixeira" (fundos), acesso pela rua Durval Castro.
  • Rádio Educadora Santana de Caetité - Av. Dom Manoel Raimundo de Melo, 607, bairro São José. tel: (77) 3454-1819. Emissora local, originalmente em AM, depois apenas em FM e online (tradicionalmente, a emissora tem sido uma ligação de caetiteenses em todo o país com seus parentes, sobretudo na zona rural).

Bancos e representantes[editar]

São três agências bancárias na cidade, todas com fechamento às 15h:

  • Banco do Brasil - agência 0230 - Avenida Santana, 233, Centro. tel: (77) 4003-3001.
  • Bradesco - Praça Coronel Cazuzinha, s/nº, Centro. tel: (77) 3454-2610
  • Caixa Econômica Federal - Avenida Santana, 408, Centro. tel: (77) 3454-5000

E ainda:

  • Sicoob - Credinor - Av. Doutor Woquiton Fernandes Teixeira, 212 - Centro. tel: (77) 9 9154-0098
  • Bem Aqui - correspondente do Banco Mercantil - agência à Av. Doutor Woquiton Fernandes Teixeira, 44, Centro. tel: (77) 3454-3756

Partir[editar]

Visão panorâmica com mais de 190 aerogeradores, no Complexo Eólico do Alto Sertão, na BA-611 Caetité - Brejinho das Ametistas.
Visão panorâmica com mais de 190 aerogeradores, no Complexo Eólico do Alto Sertão, na BA-611 Caetité - Brejinho das Ametistas.

Volte sempre a Caetité. Que você possa registrar, como fez há quase 150 anos o já citado Teodoro Sampaio, quando daqui partiu: "Em tão pouco tempo, como que aí passamos, devo dizer que deixamos Caetité pungidos de saudade".

Em Caetité a BR-122 (que deveria seguir de Minas Gerais até o Ceará), se encontra com a BR-030, seguindo ambas ao oeste até a cidade de Guanambi e dali desce para o sul rumo a Minas Gerais, passando por Montes Claros. A 122 para o norte, contudo, tem asfalto apenas até o distrito de Maniaçu, seguindo em estrada de terra até a cidade de Paramirim, ali atingindo a BA-152 (uma das melhores rodovias do Alto Sertão); esta estrada também é acessível pela BR-430, a meio caminho para Igaporã pela estrada BA-156 (que passa no distrito caetiteense de Caldeiras e pelas cidades de Tanque Novo e Botuporã). A BR-430, estrada federal de ligação, liga a cidade de Bom Jesus da Lapa a Caetité, passando por Riacho de Santana e Igaporã.

Seguindo para o sul uma das mais belas estradas da região é a BA-611, asfaltada até o distrito de Brejinho das Ametistas e dali, em terra, até Licínio de Almeida. Esta cidade é ligada pela BA-026 até Urandi, quando volta a encontrar a BR-122. Para o leste a BR-030 serve de ligação de Caetité para a capital, e passando por Brumado também a Vitória da Conquista e à Chapada Diamantina.

Saindo de Caetité pela BR-030 (ou BR-122) rumo a Guanambi, na altura do lugar chamado Brás, há o entroncamento desta rodovia com a BA-611 e com a rodovia de ligação BA-900, que liga essa estrada federal com a BR-430. Pode parecer confuso, então dê uma conferida no mapa acima, e boa viagem!

Rotas por Caetité
Brasília ← Guanambi ←  O  L  BrumadoVitória da Conquista
Bom Jesus da Lapa ← Igaporã ←  N  S  → BR-030 → BR-122
Paramirim ← Maniaçu ←  N  O  → Guanambi → Montes Claros


Estrela Este artigo é uma estrela. Ele é de alta qualidade, com informações completas e específicas sobre o assunto, com arquivos.

Se souber de alguma coisa que mudou, mergulhe fundo e ajude-o a crescer!